Conhecimento matemático na Educação Infantil: saberes e práticas de professoras num grupo colaborativo

Palavras-chave: Educação Matemática. Grupo colaborativo. Formação continuada de professores. Medidas.

Resumo

O presente artigo traz excertos de uma dissertação, que buscou investigar quais os saberes e conhecimentos matemáticos e metodológicos são mobilizados, reconhecidos e ressignificados por professores da Educação Infantil, da Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte/MG, quando se reúnem em grupo de estudos. Temos como objetivo no artigo apresentar reflexões sobre o conhecimento matemático que deve ser abordado na Educação Infantil, pelo professor e trazer os registros das práticas envolvendo as medidas de tempo e de comprimento, que foram discutidas ao longo de encontros do grupo, destacando os fazeres práticos dos professores. A pesquisa foi desenvolvida partindo de uma abordagem qualitativa e com a perspectiva de elaboração de narrativas orais e escritas. O plano de trabalho de campo e os instrumentos de registros de informações compreenderam a formação do grupo de professoras, aplicação de questionários em alguns momentos, encontros periódicos de formação, discussão, planejamento e registro. Ainda envolveu a elaboração de um diário de campo pela pesquisadora, elaboração de registros pelos participantes, registros de áudio e vídeo das atividades desenvolvidas no grupo e, incentivo à produção de relatos a serem compartilhados com outros professores. Analisamos que os saberes e conhecimentos matemáticos e metodológicos foram mobilizados, e outras aprendizagens como conhecimento curricular, durante a constituição e continuidade do grupo de estudos. Como produto final organizamos, a partir dos encontros e relatos orais e escritos das professoras, um livro, com a perspectiva de constituir um material de viés formativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise França Stehling, Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Mestre em Educação Matemática (UFMG - 2018), pós graduada em Educação Matemática (UFMG - 2012) e em Informática em Educação (UFLA - 2006). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Atualmente é professora rede municipal ensino da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte: educação infantil e ensino fundamental. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em formação de educadores, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Infantil, Formação continuada de professores, Educação Matemática e Grupo de estudos.

Keli Cristina Conti, Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Belo Horizonte/MG

Possui Licenciatura Plena em Matemática pelas Faculdades Integradas de Amparo (1999); Normal Superior pelo Centro Universitário Hermínio Ometto (2004); Licenciatura em Pedagogia pelo Centro Universitário de Araras (2011); Especialização em Matemática para Professores da quinta a oitava séries do Ensino Fundamental pelo Imecc/Unicamp (2006); Mestrado em Educação, linha de pesquisa Educação Matemática, pela Faculdade de Educação da Unicamp (2009); e Doutorado em Educação, linha de pesquisa Ensino e Práticas Culturais, pela Faculdade de Educação da Unicamp (2015). Durante o doutoramento, realizou estágio de pesquisa na Universidade de Lisboa (Portugal) pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE/CAPES). Atualmente é Professora Adjunta do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino da Faculdade de Educação (FAE) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), integrando o grupo de Educação Matemática e o Programa de Mestrado Profissional em Educação e Docência (Promestre), onde coordena a linha de Educação Matemática. Tem experiência como docente e pesquisadora na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática e Educação Estatística, atuando principalmente com os seguintes temas: Formação de Professores, Desenvolvimento Profissional, Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos.

Referências

AZEVEDO, Priscila Domingues. O conhecimento matemático na educação infantil: o movimento de um grupo de professoras em processo de formação continuada. 2012. 241 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

BOGDAN, Roberto C.; BIKLEN, Sari Knopp. A Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil – Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB 05/2009 que fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, 18 de dezembro de 2009, Seção 1,18p.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Brinquedos e brincadeiras de creches: manual de orientação pedagógica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica – Brasília: MEC/SEB, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Ser docente na Educação Infantil: entre o ensinar e o aprender. 1. ed. – Brasília: MEC/SEB, 2016, 128 p. Coleção Leitura e escrita na educação infantil, v. 2.

CONTI, Keli Cristina. Desenvolvimento profissional de professores em contextos colaborativos em práticas de letramento estatístico. 2015. 273 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, Campinas,2015.

FIORENTINI, Dario. Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: BORBA, Marcelo de Carvalho; ARAÚJO, Jussara de Loiola (org) Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. 2 ed. Belo Horizonte, Autêntica: 2006.

FIORENTINI, Dario; LORENZATO, Sérgio. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. 3 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

LORENZATO, Sérgio. Educação Infantil e percepção matemática. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Formadores de professores, conhecimentos da docência e casos de ensino. In: Formação de professores, práticas pedagógicas e escola. MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues (org.) – São Carlos: EdUFSCar, 2002.

MELLO, Maria Aparecida; BASSO, Itacy Salgado. Formação continuada de professoras de Educação Infantil na perspectiva histórico-cultural: a atividade mediada em processos colaborativos. In: Formação de professores, práticas pedagógicas e escola. MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti; REALI, Aline Maria de Medeiros Rodrigues (org.) – São Carlos: EdUFSCar, 2006.

NACARATO, Adair Mendes. Narrar a experiência docente... Um processo de (auto)formação. In: GRANDO, Regina Célia; TORICELLI, Luana; NACARATO, Adair Mendes (org.) De professora para professora – Conversas sobre iniciAção matemática. São Carlos: Pedro & João Editores, 2008.

SMOLE, Kátia Stocco, DINIZ, Maria Ignez, CÂNDIDO Patrícia. Coleção – Matemática de 0 a 6. Porto Alegre: Artmed, 2000 e Penso, 2014. 3 v.

STEHLING, Denise França. Saberes e conhecimentos matemáticos na Educação Infantil: formação continuada de professores em um grupo de estudos. 2018. 147f. Dissertação (Mestrado em Educação e Docência) — Faculdade de Educação. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte.

STEHLING, Denise França; CONTI, Keli Cristina. A arte da palavra: ressignificando o vivido. Belo Horizonte: FaE/UFMG, 2019.

Publicado
2020-08-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 65
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 25
Como Citar
Stehling, D. F., & Conti, K. C. (2020). Conhecimento matemático na Educação Infantil: saberes e práticas de professoras num grupo colaborativo. Revista Baiana De Educação Matemática, 1, e202005. https://doi.org/10.47207/rbem.v1i0.9175