Educação digital para adultos em privação de liberdade

Palavras-chave: Educação digital, Prisões, Campus virtual

Resumo

Na atual sociedade do conhecimento e em rede, a educação, a capacitação tecnológica e as competências digitais são a chave para a plena integração do cidadão. Em Portugal, como na maioria dos países europeus, educação é um direito constitucional a ser garantido para todas as populações e em diferentes condições e espaços educativos, mesmo para os cidadãos que se encontram reclusos. A utilização de meios digitais é prevista e encorajada pelas diretrizes internacionais e pelas leis portuguesas, no entanto, a prática está longe de funcionar. Esta realidade evidencia a atualidade e pertinência deste texto e justifica a necessidade de produzir conhecimento acerca dos desafios educacionais e das potencialidades da Educação Digital enquanto estratégia para reduzir a discriminação, aumentar a justiça social, a inclusão e a qualificação em prisões nesta era digital. Neste estudo, apresentam-se práticas, experiências, programas e projetos de Educação Digital em prisões por todo o mundo, com destaque para o trabalho desenvolvido em Portugal pela Universidade Aberta (UAb) em parceria com a Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), relativo à criação e desenvolvimento do Campus Virtual Educonline@pris, que se assume como uma academia de educação, formação, empregabilidade e cidadania digital. Pedagogicamente inspirado pelo modelo de aprendizagem da UAb, este Campus procura responder às necessidades educativas específicas dos estudantes em situação de privação de liberdade, respeitando as limitações legais inerentes à sua condição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José António Moreira, Universidade Aberta de Portugal

Doutor em Ciências da Educação (Universidade de Coimbra). Professor Associado do Departamento de Educação e Ensino a Distância (Universidade Aberta de Portugal). Investigador no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX - CEIS20 (Universidade de Coimbra). E-mail: jmoreira@uab.pt

Referências

ADAMS, A.; PIKE, A. Digital exclusion or learning exclusion? Amn ethnographic study of adult male distance learners in English prisons. Research in Learning Technology, v. 20, n. º 4, p. 363-376, 2012.

ATTWELL, G. Personal Learning Environments-the future of eLearning? eLearning Papers, v.2, n. º 1, 2007, Disponível em: www.elearningpapers.eu

COATES, D. S. Unlocking Potential A review of education in prison. UK: Ministry of Justice, 2016. Disponível em: https://assets.publishing.service.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/524013/education-review-report.pdf

COUNCIL OF EUROPE. Recommendation of the Committee of Ministers to member states on the European Prison Rules, 2011. Disponível em: https://wcd.coe.int/ViewDoc.jsp?id=955747.

ESTRATÉGIA DE LISBOA. Conselho Europeu de Lisboa, 23 e 24 de Março de 2000, Conclusões da Presidência, 2000.

FARLEY, H.; MURPHY, A.; BEDFORD, T. Providing simulated online and mobile learning experiences in a prison education setting: Lessons learned from the PLEIADES pilot project. International Journal of Mobile and Blended Learning, v. 6, n. º 1, p. 17-32, 2014.

GARRISON, D. R.; ANDERSON, T. E-learning in the 21stcentury. London: RoutledgeFalmer, 2003.

HAMMERSCHICK, W. Report on e-learning in European prisons - Concepts, organisation, pedagogical approaches in prison education, 2010. Disponível em: http://www.adam-europe.eu/prj/3840/prj/08-lc-report-e-learning-in-prison-eu10.pdf

HAWLEY, J.; MURPHY, I.; SOUTO-OTERO, M. Prison Education and Training in Europe Current State-of-Play and Challenges. European Commission: GHK Consulting, 2013. Disponível em: http://www.antoniocasella.eu/nume/Hawley_UE_education_may13.pdf

HERRINGTON, J.; REEVES, T.; OLIVER, R. A guide to authentic e-learning. New York: Routledge, 2010.

LOCKITT, W. Technology in prisons, 2011. Disponível em: http://www.wcmt.org.uk/sites/default/files/migrated-reports/797_1.pdf

MACULAN, A.; RONCO, D., VIANELLO, F. Prison in Europe: overview and trends. Roma: European Prison Observatory, 2013. Disponível em: http://www.prisonobservatory.org/upload/PrisoninEuropeOverviewandtrends.pdf

MANGER, T.; EIKELAND, O.J.; ASBJØRNSEN, A. Why do not more prisoners participate in adult education? An analysis of barriers to education in Norwegian prisons. International Review of Education, n. º 65, p. 711–733, 2019.

MENDES, A.; BASTOS, G.; AMANTE, L.; AIRES, L.; CARDOSO, T. Modelo Pedagógico Virtual. Cenários de desenvolvimento. Lisboa: Universidade Aberta, 2018.

MONTEIRO, A.; MOREIRA, J. A.; LEITE, C. O eLearning em estabelecimentos prisionais: possibilidades e limites para a inclusão digital e justiça social. Revista Diálogo Educacional, v. 16, n.º 47, p. 77-102, 2016. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/dialogo?dd1=16098&dd99=view&dd98=pb

MONTEIRO, A.; LEITE, C.; BARROS, R. Eu ganhei mais o gosto de estudar: O e-learning como um meio de Aprendizagem ao longo da vida de reclusas de um Estabelecimento prisional português. Educação e Sociedade, v. 39, n. º 142, p. 129-150, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v39n142/1678-4626-es-ES0101_7330216156650.pdf

MOORE, J.; DICKSON-DEANE, C.; GALYEN, K. e-Learning, online learning, and distance learning environments: Are they the same? The Internet and Higher Education, v. 14 n. º 2, p. 129-135, 2011.

MUÑOZ, V. El derecho a la educación de las personas privadas de libertad. Asamblea General Consejo de Derechos Humanos – ONU, 2009. Disponível em: https://cdn.penalreform.org/wp-content/uploads/2013/06/UNHRC_Ed2009_sp_0.pdf

PEREIRA, A.; MENDES, A. Q.; MORGADO, L.; AMANTE, L.; BIDARRA, J. Modelo Pedagógico Virtual da Universidade Aberta. Lisboa: Universidade Aberta, 2007.

RENBARGER, R.; RIVERA, G.; SULAK, T. What predicts literacy, numeracy, and problem solving for incarcerated individuals? A PIAAC examination. Journal of Offender Rehabilitation, v. 58, n. º 3, p. 199- 219, 2019.

SILVA, S.; MOREIRA, J. A.; ALCOFORADO, L. Educação Digital no Ensino Superior em Portugal em Contexto de Reclusão: o Campus Virtual Educonline@Pris. EccoS – Revista Científica, v. 51, n. 4, p. 1-22, 2019. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/index.php?journal=eccos&page=article&op=view&path%5B%5D=16256

THE OPEN UNIVERSITY. Make a New Start Studying with The Open University - A Guide For Learners in Secure Environments 2019/2020. UK: The Open University, 2019. Disponível em: http://www.open.ac.uk/secure-environments/sites/www.open.ac.uk.secure-environments/files/files/Prospectus%20_SiSE1819.pdf

TURLEY, C.; WEBSTER, S. Implementation and Delivery of the Test Beds Virtual Campus Case Study, National Centre for Social Research, 2010. Disponível em: https://www.gov.uk/government/uploads/system/uploads/attachment_data/file/31466/11-827-implementation-of-test-beds-virtual-campus.pdf.

UNED. Guía práctica: Conocer y utilizar el Campus UNED y los Cursos Virtuales en aLF Docente. Madrid: UNED, 2019. Disponível em: https://descargas.uned.es/publico/pdf/Guiapractica_aLF.pdf

VIEDMA ROJAS, A. La situación de la educación en las cárceles de España: realidades y expectativas de transformación. In: Los derechos de los reclusos y la realidad de las cárceles españolas. Perspectivas sociales, políticas, jurídicas y filosóficas. p. 95–117, 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/318852947_La_situacion_de_la_educacion_en_las_carceles_de_Espana_realidades_y_expectativas_de_transformacion
Publicado
2021-04-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 43
  • Html downloads: 1
Como Citar
Moreira, J. A. (2021). Educação digital para adultos em privação de liberdade. Plurais Revista Multidisciplinar, 6(1), 20-33. https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2021.v6.n1.11704