As perguntas para desenvolver estratégias: Álgebra e Resolução de Problemas no Ensino Médio

Palavras-chave: Álgebra, Perguntas, Resolução de Problemas, Estratégias.

Resumo

Esta pesquisa de Mestrado, com um recorte aqui apresentado, teve como objetivo investigar como as perguntas podem promover o desenvolvimento de estratégias de resolução de problema algébrico no 3º Ano do Ensino Médio. Realizada com duas alunas do 3° Ano do Ensino Médio numa Escola pública da Rede Estadual da cidade de Afogados da Ingazeira – PE, em setembro/2015 a agosto/2016. A Metodologia da pesquisa foi qualitativa e envolveu dois estudos de caso. Os instrumentos de coleta de dados foram entrevistas e tarefa de resolução de um problema algébrico. Os resultados sugerem que as alunas compreendem que resolver problema é diferente de fazer exercícios. Perguntar serve para tirar dúvidas, relembrar assuntos ou aprender mais sobre um conteúdo, permitem ao professor obter informação, levantamento de conhecimentos prévios, além de explorar seu modo de pensar sobre a Matemática, interpretação, busca por soluções, reflexões, conjecturas e favorecimento dos cálculos escritos. Além disso, desenvolveram duas estratégias de resolução, uma utilizando a Aritmética, outra, o Sistema de Equações Lineares do 1º Grau. As perguntas lhes ajudaram a tomar decisões e proceder com o cálculo de modo satisfatório e as fizeram ampliar seu raciocínio algébrico. A linguagem algébrica não parecera constituir problema para elas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joseane Mirtis de Queiroz Pinheiro, Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco (SEE-PE)

Professora da Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco (SEE-PE). Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Kátia Maria de Medeiros, Universidade Estadual da Paraíba

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1994), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (1999) e Doutorado em Educação, na Especialidade Didática da Matemática, na Universidade de Lisboa (2010), com a tese intitulada A Comunicação na Formação Inicial de Professores de Matemática: Concepções e Práticas de Explicação na Sala de Aula. O diploma foi revalidado na USP, em 2013. Foi professora de Matemática do Ensino Fundamental e Médio por 14 anos (1990-2004). É professora de Educação Matemática da UEPB desde 2004. Coordenadora do Projeto de Pesquisa Investigando a Formulação e a Resolução de Problemas Matemáticos em Sala de Aula: Explorando Conexões entre Escola e Universidade, da CAPES (2013-2015). Coordenadora dos Estágios Supervisionados da Licenciatura em Matemática, da UEPB, campus de Campina Grande (2013-2017). Docente Orientadora do Programa Residência Pedagógica, área de Matemática-Campina Grande/CAPES/UEPB(2018-2020). Coordenadora do Laboratório de Matemática-UEPB, Campus de Campina Grande (2014- ). Atua na Licenciatura em Matemática, no Programa de Pós-Graduação Doutorado em Educação em Ciências e Matemática Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC. Tem experiência na área de Matemática. Trabalha principalmente nos seguintes temas: formulação e resolução de problemas matemáticos, sala de aula, laboratório no ensino de matemática, calculadora, investigações matemáticas, modelagem em Educação Matemática, formação de professores e comunicação no ensino e na aprendizagem da Matemática. Editora-Chefe e Revisora da Revista Educação Matemática em Foco, da UEPB, também Revisora dos seguintes periódicos: Zetetiké (UNICAMP), Vidya-UNIFRA/RS, Atos de Pesquisa em Educação FURB/SC, Principia-IFPB; ,Alexandria (UFSC); Ciências & Ideias (IFRJ); Movimento-Revista de Educação (UFF); Revista Baiana de Educação Matemática-UNEB-BA/IFPE(Sertão); Revista Educação Matemática Debate (UNIMONTES-MG); Revista da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática-Revista REAMEC-UFMT. Líder do GPDM (Grupo de Pesquisa em Didática da Matemática-CNPq). Linhas de Pesquisa: Didática da Matemática; Fundamentos e Metodologias para a Educação em Ciências e Matemática.

   

Referências

BANEGAS, J. L’argumentació en Matemàtiques. XIIè Congrés Valencià de Filosofia (Trad. De Miguel Gimenez & Andrew Aberdein). Valencià, 1998.

BISHOP, A.; GOFFREE, F. Classroom Organization and Dynamics. In B. Christiansen, A. Howson & M. Otte (Eds.), Perspectives on mathematics education (pp. 309-365). Dordrecht: D. Reidel, 1986.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental - Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC?SEF, 1997.

DOUEK, N. (1999). Argumentative Aspects of Proving of Some Undergraduate Mathematics Students’Performances. Disponível em: http://www.lettredelapreuve. it/OldPreuve/Resumes/Douek/Douek99/Douek99.html)

DORIGO, M. Investigando as concepções de equação de um grupo de alunos do Ensino Médio, 2010. Dissertação de Mestrado. Universidade Bandeirante de são Paulo.

EISENBERG, T.; DREYFUS, T. Os Polinômios no Currículo da Escola Média. In: As ideias da Álgebra. COXFORD, A. F.; SHULTE, A. P. São Paulo: Atual, 1995.

FREIRE, P.; FAUNDEZ, A. Por uma Pedagogia da Pergunta. 4ª Edição, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

GUERREIRO, A. Comunicação Matemática na Sala de Aula: Conexões entre Questionamento, Padrões de Interação, Negociação de Significados e Normas Sociais e Sociomatemáticas. IN: Práticas Profissionais dos Professores de Matemática. PONTE, João Pedro da. (Org.) Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. 1ª Edição, 2014.

MEDEIROS, K.M. O Contrato Didático e a Resolução de Problemas Matemáticos em Sala de Aula. Educação Matemática em Revista, SBEM, nº 9/10, 20, 2001.

ONUCHIC, L. R. Ensino-Aprendizagem de Matemática através da Resolução de Problemas. In: Pesquisa em Educação Matemática: Concepções e Perspectivas. BICUDO, M.A.V. (org.). São Paulo: Editora UNESP, 1999.

PEREIRA, A. Comunicação e Ensino das Ciências: Contributo para o Estudo da Pergunta no Discurso da aula de Ciências do Ensino Básico (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa), 1991.

PONTE, J.P. Estudos de caso em educação matemática. Bolema, 2006, Nº 25, pp. 105-132.

RIBEIRO, A. J.; CURY, H. N. Álgebra para a Formação do Professor: Explorando os Conceitos de Equação e Função – 1ª edição, Belo Horizonte , Autêntica Editora, 2015. (Coleção Tendências em Educação Matemática).

RIBEIRO, A. J. Analisando o Desempenho de Alunos do Ensino Fundamental em Álgebra, com base em dados do SARESP. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo., 2001.

RUTHVEN, K.; HOFMANN, R.; MERCER, N. A Dialogic Approach to Plenary Problem Synthesis. In B. Ubuz (Ed.), Proceedings of the 35th Conference of the International Group for the Psychology of Mathematics Education (Vol. 4, pp. 81-88). Ankara, Turkey: PME, 2011.

SESSA, C. Introducción al estudio didáctico del álgebra. Orígenes y perspectivas. Buenos Aires: Libros del Zorzal, 2005.

SOUZA, E. R.; DINIZ, M. I. S. V. Álgebra: das Variáveis às Equações e Funções. São Paulo: IME-USP, 2ª edição, 1996.

STAKE, R.E. Pesquisa Qualitativa: como as coisas funcionam. In: Pesquisa Qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Coleção Métodos de Pesquisa. Editora: Penso, 2011.

TELES, R. A M. T. A Aritmética e Álgebra na Matemática Escolar. In: Anais do VII Encontro Nacional de Educação Matemática, Recife: UFPE, 2004.

USISKIN, Zalman. Dificuldades das Crianças que se iniciam em Álgebra. IN: COXFORD, Arthur F. e SHULTE, Albert P. As ideias da Álgebra. São Paulo: Atual, 1995.

Publicado
2020-10-23
Métricas
  • Visualizações do Artigo 44
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 17
Como Citar
Pinheiro, J. M. de Q., & Medeiros, K. M. de. (2020). As perguntas para desenvolver estratégias: Álgebra e Resolução de Problemas no Ensino Médio. Revista Baiana De Educação Matemática, 1, e202010. https://doi.org/10.47207/rbem.v1i.9315