MINICURSO SOBRE CUIDADOS PALIATIVOS: ESPAÇO DE POTÊNCIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NA FORMAÇÃO EM SAÚDE

Palavras-chave: Cuidados Paliativos, Capacitação de Recursos Humanos em Saúde, Equipe de Assistência ao Paciente, Educação Baseada em Competências, Saúde Holística

Resumo

Objeto: relatar a experiência de realização de um minicurso sobre cuidados paliativos realizado pela Liga Acadêmica de Oncologia de uma Universidade Pública. Metodologia: trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência. O minicurso ocorreu em uma Universidade Pública, sendo estruturado por competências e em cinco etapas, com os seguintes temas: conceitos históricos e filosóficos acerca dos cuidados paliativos; atualidades e evidências concernentes à temática; instrumentos de avaliação dos pacientes em cuidados paliativos; integralidade em saúde e abordagem de como realizar a comunicação de notícias difíceis, utilizando o protocolo SPIKES. Para tanto, utilizou-se como metodologia a exposição dialogada, e métodos de ensino ativos, como cine-debate, simulação e psicodrama. O minicurso teve 4 horas de duração e contou com a presença de 50 pessoas, dentre estas discentes e profissionais de Enfermagem, Medicina, Nutrição e Psicologia. Resultados: as metodologias adotadas no minicurso possibilitaram a mobilização de conhecimentos prévios, a construção coletiva de conceitos, reflexões sobre temas de difícil abordagem, boa interação entre os participantes, conhecimento de instrumentos utilizados na prática clínica em cuidados paliativos pela equipe interprofissional, tomada de decisão, além da aquisição de habilidades socioemocionais e de comunicação, segundo relatos dos participantes. Conclusão: sinaliza-se para a importância da promoção de espaços dialógicos que versem sobre os cuidados paliativos nos cenários de formação em saúde, e que se estruturem no ensino baseado em competências, para prestação de um cuidado humanizado, solidário e ético ao ser humano e sua família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Vitor Andrade, Residente em Enfermagem na Saúde Mental e Psiquiatria pela Universidade de São Paulo - Brasil

Bacharel em Enfermagem pela Universidade Federal de Viçosa.

Ana Luiza Rodrigues Lins, Residente em Oncologia no Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva - Brasil

Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Viçosa.

Leticia Milagres Paiva, Mestranda em Saúde e Nutrição pela Universidade Federal de Ouro Preto - Brasil

Bacharel em Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa e em Psicologia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia de Viçosa.

Thalyta Cássia de Freitas Martins, Doutoranda em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz - Brasil

Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Viçosa.

Erica Toledo de Mendonça, Professora no Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Viçosa - Brasil

Doutora em Ciência da Nutrição pela Universidade Federal de Viçosa. Pesquisadora do Grupo de Estudos Interdisciplinares em Saúde.

Referências

World Health Organization. World health statistics 2020: monitoring health for the SDGs, sustainable development goals. Geneva: World Health Organization; 2020.

Martins TC, Silva JH, Máximo GD, Guimarães RM. Transição da morbimortalidade no Brasil: um desafio aos 30 anos de SUS. Ciência & Saúde Coletiva. 2021;26:4483-96.

Radbruch L, Lima L, Knaul F, Wenk R, Ali Z, Bhatnaghar S, Blanchard C, Bruera E, Buitrago R, Burla C, Callaway M. Redefining palliative care-A new consensus-based definition. Journal of pain and symptom management. 2020;60(4):754-64.

IAHPC - International Association for Hospice e Palliative Care. Palliative Care Definition. Available from: https://hospicecare.com/what-we-do/projects/consensus-based-definition-of-palliative-care/definition/

Bruera, E. et al. Palliative care: basic principles. In: Bruera E. Palliative care in developing world: principles and practice. Houston: International Association for Hospice and Palliative Care, 2004. p. 1-9.

Mercadante S, Gregoretti C, Cortegiani A. Palliative care in intensive care units: why, where, what, who, when, how. BMC anesthesiology. 2018;18(1):1-6.

Worldwide Palliative Care Alliance. Global Atlas of Palliative Care at the End of Life. WHO:England. 2014. Available from: http://www.who.int/nmh/Global_Atlas_of_Palliative_Care.pdf

Cotta RM, Costa GD, Mendonça ET. Portfólio reflexivo: uma proposta de ensino e aprendizagem orientada por competências. Ciência & Saúde Coletiva. 2013;18:1847-56.

Silva KL, Sena RR, Belga SM, Silva PM, Rodrigues AT. Health promotion: challenges revealed in successful practices. Revista de saude publica. 2014;48:76-85.

Cruz CD, Riera R. Comunicando más notícias: o protocolo SPIKES. Diagn. tratamento. 2016;21(3):106-8.

Lins AL, Andrade JV, Paiva LM, Martins TCF, Mendonça ET. “O que sabemos sobre cuidados paliativos”:(re) construindo conceitos por meio de uma experiência dialógica. Revista ELO–Diálogos em Extensão. 2019;8(1).

McNaught C, Lam P. Using Wordle as a supplementary research tool. Qualitative Report. 2010;15(3):630-43.

Costa AP, Poles K, Silva AE. Formação em cuidados paliativos: experiência de alunos de medicina e enfermagem. Interface-Comunicação, Saúde, Educação. 2016;20:1041-52.

Silva AE, Sousa PA, Ribeiro RF. Comunicação de notícias difíceis: percepção de médicos que atuam em oncologia. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. 2018;8(1):1-8.

Worldwide Palliative Care Alliance. Global Atlas of Palliative Care, 2nd. WHO:England. 2020.

Albuquerque MR, Silva JA, Botelho NM. Discutindo cuidados paliativos na graduação em medicina: relato de experiência. Interdisciplinary Journal of Health Education. 2020;5(1):33-39.

Gonçalves RG, Silveira BR, Pereira WC, Ferreira LB, Queiroz AA, Menezes RM. Teaching palliative care in undergraduate nursing education. Rev Rene. 2019(20):68.

Evangelista CB, Lopes ME, Costa SF, Batista PS, Batista JB, Oliveira AM. Palliative care and spirituality: an integrative literature review. Revista brasileira de enfermagem. 2016;69:591-601.

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 40 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

Fonseca ACF, Silva NK. Identificação da necessidade de cuidados paliativos. In: Cordeiro FR. et al. Final de vida: abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Moriá, 2021. p. 123-136.

Xavier ED, Junior AJ, de Carvalho MM, Lima FR, de Santana ME. Diagnósticos de enfermagem em cuidados paliativos oncológicos segundo diagrama de abordagem multidimensional. Enfermagem em Foco. 2019;10(3).

Carvalho RT, Parsons HA. (Org.) Manual de Cuidados Paliativos, 2ª ed. São Paulo: Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP), 2012.

Baik D, Russell D, Jordan L, Dooley F, Bowles KH, Masterson Creber RM. Using the palliative performance scale to estimate survival for patients at the end of life: a systematic review of the literature. Journal of palliative medicine. 2018;21(11):1651-61.

Freire P. Pedagogia do oprimido. 9 ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1981.

Carmo RALO, Siman AG, de Matos RA, de Mendonça ET. Cuidar em oncologia: desafios e superações cotidianas vivenciados por enfermeiros. Revista Brasileira de Cancerologia. 2019;65(3):e-14818-10.

Andrade JV, Lins AL, de Mendonça ET. Desejos ante a inexorável finitude: antes de morrer eu quero... Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. 2021;11.

Andrade JV, de Mendonça ET, Oliveira DM, de Souza CC, Lins AL. Spirituality in Daily Healthcare Provided in Brazil: Meanings and Practices of the Nursing Team. Journal of Holistic Nursing. 2021; 21:08980101211041185.

Lucchetti G, Granero A, Bassi R, Latorraca R, Nacif S. Spirituality in clinical practice: what should the general practitioner know. Rev Soc Bras Clín Méd. 2010;8:154-8.

Souza HL, Lacerda LC, Lira GG. Significado de cuidados paliativos pela equipe multiprofissional da unidade de terapia intensiva. Rev. enferm. UFPE on line. 2017;11(10):3885-92.

Borges MS, Freitas GF, Gurgel WG. A comunicação da má notícia na visão dos profissionais de saúde. Tempus Actas de Saúde Coletiva. 2012;6(3):113-126.

Abreu AG, Freitas JS, Berte M, Ogradowski KR, Nestor A. O uso da simulação realística como metodologia de ensino e aprendizagem para as equipes de enfermagem de um hospital infanto-juvenil: relato de experiência. Ciência & Saúde. 2014;7(3):162-6.

ROJAS-BERMÚDEZ, J. G. Introdução ao psicodrama. São Paulo: Editora Agora, 2016.

Guirro ÚB, Perini CC, Siqueira JE. PalliComp: um instrumento para avaliar a aquisição de competências em cuidados paliativos. Revista Brasileira de Educação Médica. 2021;45.

Publicado
2021-12-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 164
  • PDF (English) downloads: 25
Como Citar
Andrade, J. V., Lins, A. L. R., Paiva, L. M., Martins, T. C. de F., & Mendonça, E. T. de. (2021). MINICURSO SOBRE CUIDADOS PALIATIVOS: ESPAÇO DE POTÊNCIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NA FORMAÇÃO EM SAÚDE. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e13137. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/13137
Seção
Relato de Experiência