Narrativas: ferramentas do campo patrimonial e potências de vidas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2020.v5.n14.p648-666

Palavras-chave:

Patrimônio, Narrativas de vida, História oral de vida, Ciberespaço, Esclerose múltipla

Resumo

O uso das narrativas como ferramentas que funcionam como justificativas técnicas para os registros e/ou tombamentos de bens culturais é evidente nos processos e nos discursos do campo do patrimônio. Este artigo apresenta duas narrativas de vida que circulam fora do campo, mas destacam como no cotidiano da vida elas têm se mostrado potências nas situações de reconfiguração identitária e de força em situações de vulnerabilidade. Essas narrativas foram selecionadas por meio de duas histórias de vida coletadas em pesquisa, por meio da metodologia história oral de vida. Trata-se de dois jovens que vivem suas vidas em condição crônica de doença desde que foram diagnosticados com esclerose múltipla e escolheram sistematizar essas experiências em narrativas e socializá-las em blogs. Essas narrativas não só os uniram como criaram uma comunidade capaz de capilarizar um movimento ativista em rede. Ressaltam, portanto, um valor incontestável para pô-las no centro da discussão sobre as funções sociais dos patrimônios pensados pelas, com e para as pessoas. O artigo é uma defesa de patrimônios pensados levando em conta as riquezas humanas vivas, capazes de produzir identidades e experiências existenciais de escuta e alteridade, além de posicionar-se, elas mesmas, como patrimônios da humanidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Alvarenga Sena Venera, Universidade da Região de Joinville, Univille

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professora do Programa de Pós-Graduação em Patrimônio Cultural e Sociedade e do curso de História da Universidade da Região de Joinville. Líder do Grupo de Pesquisa Subjetividades e (Auto)Biografias.

 

Roberta Fernandes Buriti, Rede Municipal de Educação de São Francisco do Sul

Mestra em Patrimônio Cultural e Sociedade pela Universidade da Região de Joinville. Integra os grupos de pesquisas Subjetividades e (Auto)biografias e Imbricamentos de Linguagens. Professora da rede municipal de educação de São Francisco do Sul.

Referências

BRUNER, Jerome. Fabricando Histórias: Direito, Literatura, Vida. São Paulo: Letra e Voz, 2014.

CANDAU, Joël. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2011.

CHAUÍ, Marilena. Cidadania cultural: o direito à cultura. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 1989.

ECHAVARREN, Roberto. Tu bata blanca, el pastillero mío, ambos trofeos. In: GUERRERO, Javier; BOUZAGLO, Natalie (orgs.). Excesos del cuerpo: ficciones de contagio y enfermedad en América Latina. Buenos Aires: Eterna Cadencia, 2009. p. 162-205.

FOUCAULT, Michael. Hermenêutica do sujeito. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método. Petrópolis: Vozes, 1997.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 103-133.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto / PUC-RIO, 2014.

LE GOFF, Jacques. Memória. In: ______ (org.). História e memória. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2003. p. 419-476.

LEI 12.196, de 02 de maio de 2002. Disponível em: < https://bit.ly/3fmGrNi>. Acesso em: 31 maio 2019.

MORGADO, Isabel. A pressão política sobre os líderes de opinião. A luta pela soberania do tempo. Comunicação e Política, Covilhã, 2005.

MUCHAIL, Sauma Tannus. Foucault, mestre do cuidado: textos sobre hermenêutica do sujeito. São Paulo: Loyola, 2011.

MULTIPLE SCLEROSIS INTERNATIONAL FEDERATION. Atlas da Esclerose Múltipla. Mapeamento da esclerose múltipla no mundo. Tradução da Associação Brasileira de Esclerose Múltipla. Londres: Multiple Sclerosis International Federation, 2013.

RECUERO, Raquel. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador. Porto Alegre: Sulina, 2014.

SANTOS JUNIOR, Jaime Fernando dos. Começando a blogar na AME. Blog do Jota, Porto Alegre, 17 abr. 2015. Disponível em: <http://amigosmultiplos.org.br/jota/single-post/2015/04/17/>. Acesso em: 22 maio 2019.

______. EM e Eu (Parte III) – Tempo e privilégio ou o que eu desejo perder. Blog do Jota, Porto Alegre, 27 fev. 2019. Disponível em: <http://amigosmultiplos.org.br/jota/single-post/2019/02/27/>. Acesso em: 22 maio 2019.

______. EM e Família (Parte IV) – Obrigado! Blog do Jota, Porto Alegre, 3 jan. 2018. Disponível em: <http://amigosmultiplos.org.br/jota/single-post/2018/01/03/>. Acesso em: 22 maio 2019.

SANTOS JUNIOR, Jaime Fernando dos; BURITI, Roberta Fernandes; VENERA, Raquel A. L. S. Entrevista de história oral de vida. Acervo da pesquisa Memórias Múltiplas e Patrimônio Cultural em Rede: o Desafio (Auto)Biográfico diante da Ameaça da Perda. São Paulo: Museu da Pessoa; Joinville: Laboratório de História Oral da Univille, 2018.

SILVEIRA, Bruna Rocha. Bem-vindos à minha vida. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 11 mar. 2009. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2009/03/11/Bem-vindos-à-minha-vida>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Carta ao marido da jovem grávida. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 30 nov. 2016a. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2016/11/30/Carta-ao-Marido-da-Jovem-Grávida>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Classificados esclerosados. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 3 maio 2015a. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2015/05/03/Classificados-Esclerosados>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Consulta Pública Fingolimode. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 8 abr. 2014a. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2014/04/08/>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Incluir é pra quem? Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 14 maio 2015b. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2015/05/14/Incluir-é-pra-quem?>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Manifesto dos Crônicos. Crônicos do dia a dia. Disponível em: <https://bit.ly/2Z9YOyc>. Acesso em: 20 dez. 2019.

______. Mural de avisos. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 17 jul. 2011. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2011/07/17/>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Nada sobre nós sem nós. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 7 jan. 2016b. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2016/01/07/Nada-sobre-nós-sem-nós>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. O Encontro do Dia Mundial da EM foi show. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 27 maio 2013. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2013/05/27/>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Porquê escrevo. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 11 mar. 2014b. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2014/03/11/Porquê-escrevo>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Quem sou eu? Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 24 jul. 2017. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2017/07/24/>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Remédio na justiça. Esclerose Múltipla e Eu, Porto Alegre, 18 mar. 2010. Disponível em: <http://esclerosemultiplaeeu.blogspot.com/single-post/2010/03/18/>. Acesso em: 31 out. 2019.

______. Dor compartilhada é dor diminuída: autobiografia e formação identitária em blogs de pessoas em condição de doença. 187f. Tese de Doutorado. (Faculdade de Educação) Porto Alegre, 2016.

SILVEIRA, Bruna Rocha; BURITI, Roberta Fernandes; VENERA, Raquel A. L. S. Entrevista de história oral de vida. Acervo da pesquisa Memórias Múltiplas e Patrimônio Cultural em Rede: o Desafio (Auto)Biográfico diante da Ameaça da Perda. São Paulo: Museu da Pessoa; Joinville: Laboratório de História Oral da Univille, 2018.

SZYMCZAK, Maureen B.; VENERA, Raquel. A ativação valorativa das histórias de vidas no Museu da Pessoa. Anais do Museu Histórico Nacional, v. 51, p. 174-190, 2019.

TAYLOR, Diana. Performance e patrimônio cultural intangível. PÓS, v. 1, n. 1, p. 91-103, 2011. Disponível em: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15407/12264>. Acesso em: 27 dez. 2019.

THOMPSON, Paul. Histórias de vida como patrimônio da humanidade. In: WORCMAN, K.; PEREIRA, J. V. (orgs.). História falada: memória, rede e mudança social. São Paulo: Sesc; Museu da Pessoa; Imprensa Oficial de SP, 2006.

VALENÇA, Nilton. Patrimônios vivos de Pernambuco: uma análise sobre a cessão dos direitos patrimoniais de autor. 59f. Monografia (Formação de Gestores Culturais dos Estados do Nordeste) – Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

VEIGA-NETO, Alfredo. Incluir para excluir. In: LARROSA, Jorge; SKLIAR, Carlos (orgs.). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 105-118.

Downloads

Publicado

2020-06-29

Como Citar

VENERA, R. A. S.; BURITI, R. F. Narrativas: ferramentas do campo patrimonial e potências de vidas. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 5, n. 14, p. 648–666, 2020. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2020.v5.n14.p648-666. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/7969. Acesso em: 5 mar. 2024.