Autobioformação: processos formativos constituídos e redimensionados pelo vivido

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1108

Palavras-chave:

Autobioformação, Ruralidade da presença, Pesquisa Narrativa, Docência na roça

Resumo

Com o presente texto, busco compreender como a autobioformação representa condições para que professores/as que atuam em escolas da roça constituam a presentificação do ser-na-roça para significar sua existência a partir da ruralidade da presença. Utiliza-se como método a Pesquisa Narrativa, com ênfase no movimento biográfico-narrativo, associada à abordagem qualitativa e ancorada nas bases da fenomenologia e da hermenêutica. Os dispositivos de recolha e de produção de dados da pesquisa se configuram em torno das entrevistas narrativas e das etnografias na roça. Conclui-se que o processo de autobioformação se apresentou neste estudo como demarcação de proposições epistemológicas e políticas do ser-docente, configurando-se como abertura para a existencialidade de professores e professoras da roça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Charles Maycon de Almeida Mota, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA (UEFS)/SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VÁRZEA DO POÇO (SMEVP)

Possui graduação em Pedagogia pelo Instituto Superior de Ensino Capimgrossense (2009), e em Matemática pela Universidade do Estado da Bahia (2015), Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Extensão (2012), Mestre em Educação e Diversidade pela Universidade do Estado da Bahia (2016). É professor da Educação Básica e Psicopedagogo no Centro de Referência ao Apoio Pedagógico no município de Várzea do Poço - BA. Professor visitante na Universidade Estadual de Feira de Santana, pesquisador no DIVERSO - Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade e no DIFEBA - Diversidade, Formação, Educação Básica e Discurso. É membro do GT 13 Ensino Fundamental da ANPED. Doutor em Educação e Contemporaneidade no Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Coordenação Pedagógica, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade, diversidade, formação de professores e educação do campo.

Referências

BARROS, Manoel de. Tratado geral das grandezas do ínfimo. 5. ed. Rio de Janeiro: Record, 2009.

CLANDININ, D. Jean ; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Tradução Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILEEL/EFU. 2. ed. Uberlândia: EDUFU, 2015.

FERREROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: FINGER, M.; NÓVOA, A. (org.). O método (auto)biográfico e a formação. 2. ed. Natal: EDUFRN, 2014. p. 77-90.

HEIDEGGER, Martin. Ensaios e Conferências. Tradução Emmanuel Carneiro Leão, Gilvan Fogel, Marcia Sá Cavalcante Schuback. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Tradução revisada Marcia Sá Cavalcante Schuback; Posfácio de Emmanuel Carneiro Leão. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

HERNÁNDEZ, Fernando. Minha trajetória pela perspectiva narrativa da pesquisa em educação. In: HERNÁNDEZ, Fernando. Pesquisa Narrativa: interfaces entre histórias de vida, arte e educação. Santa Maria: ED. da UFSM, 2017. p. 49-73.

IVENICKI, Ana; CANEN, Alberto Gabbay. Metodologia da Pesquisa: rompendo fronteiras curriculares. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2016.

MOTA, Charles Maycon de Almeida. Docência em classes multisseriadas: conhecimento de si, práticas pedagógicas e diferenças nas escolas da roça. Curitiba: CRV, 2019.

MOTA, Charles M. A.; SILVA, Fabrício O.; RIOS, Jane Adriana V. P.; Ruralidades contemporâneas: educação básica em foco. Cadernos de Pesquisa. São Luis, v. 28, n. 2, p. 39-64, abr./jun. 2021. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/9520/9126. Acesso em: 04 set. 2022.

PINEAU, Gaston; LE GRAND, Jean-Louis. As histórias de vida. Tradução Carlos Eduardo Galvão Braga e Maria da Conceição Passeggi. Natal: EDUFRN, 2012.

PINEAU, Gaston. Narrativas autobioformativas. In: SOUSA, Elizeu Clementino de; DEMARTINI, Zelia de Brito Fabri; GONÇALVES, Marlene. Gênero, diversidade e resistência: escrita de si e experiências de empoderamento. Curitiba, PR: CRV, 2016. p. 11-16.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa: o tempo narrado. Tradução Claudia Berliner. v. 3. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

SOUZA, Elizeu Clementino de. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A; Salvador, BA: UNEB, 2006.

Downloads

Publicado

2023-04-28

Como Citar

MOTA, C. M. de A. Autobioformação: processos formativos constituídos e redimensionados pelo vivido. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1108, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1108. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/15081. Acesso em: 2 mar. 2024.