Navegar é preciso! Sobreviver é urgente! Metáforas de vida e de educação.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1107

Palavras-chave:

Narrativas autobiográficas, Ensino Remoto emergencial, Docência Universitária

Resumo

Nesta narrativa autobiográfica são relatadas e analisadas vivências singulares de uma professora universitária durante o Ensino Remoto, concebido como alternativa emergencial frente à pandemia do Coronavírus para que as atividades formativas tivessem continuidade. A partir de um olhar crítico para a inserção de Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação nos processos de ensino e aprendizagem no Ensino Superior, a autora descreve sua participação em alguns dos momentos decisórios institucionais sobre o modo como as aulas teriam continuidade. Além disso, a autora, ao narrar suas memórias e práticas, apresenta sua vivência docente durante o período de adaptação do ensino presencial ao remoto, valendo-se de dados de pesquisa em ensino, por ela desenvolvida, para analisar os dilemas vivenciados durante a disciplina virtual e as avaliações dos estudantes sobre a experiência dessa formação não presencial. Assim, analisa que pensar criticamente a técnica e nossa relação com ela é fundamental para que possamos rever nossas práticas pedagógicas no retorno às aulas presenciais, de modo a explorar as múltiplas possibilidades didáticas de integração das tecnologias contemporâneas nas salas de aula universitárias de forma crítica e coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bethania Medeiros Geremias, Universidade Federal de Viçosa

Doutora e mestre em Educação Científica e Tecnológica pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Realizou Doutorado Sanduíche, pelo Programa Institucional de Bolsas de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no laboratório CommunIcations MEdiations, Organisations Savoirs (Cimeos) da Université de Dijon-França. Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Referências

ALVES Nilda. Decifrando o pergaminho – o cotidiano das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês B.; ALVES, Nilda. (Orgs.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 13-38.
BERTAUX, Daniel. Narrativas de vida: a pesquisa e seus métodos. 2. ed. Tradução: Zuleide Alves Cardoso Cavalcanti e Denise Maria Gurgel Lavallée; revisão científica: Maria da Conceição Passeggi e Márcio Venício Barbosa. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010. 167 p.
BRASIL. Ministério da Educação. Projeto alunos conectados, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mec/pt-br/alunosconectados Acesso em: 31 ago. 2022.
CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC domicílios 2019 [livro eletrônico]. São Paulo, SP: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2019. Disponível em: https://www.cetic.br/media/docs/publicacoes/2/20201123121817/tic_dom_2019_livro_eletronico.pdf Acesso em: 31 ago. 2022.
CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC domicílios 2018 [livro eletrônico]. São Paulo, SP: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2018. Disponível em: https://www.cetic.br/media/docs/publicacoes/2/12225320191028-tic_dom_2018_livro_eletronico.pdf Acesso em: 22 ago. 2022.
FEENBERG, Andrew. Transformar la tecnología. Una nueva visita a la teoría crítica. Bernal, Editorial: Universidad Nacional de Quilmes, 2012. 312 p. (Colección Ciencia, Tecnología y Sociedad).
FREIRE, Paulo; FREIRE, Ana Maria Araújo; OLIVEIRA, Walter Ferreira de. Pedagogia da Solidariedade, 2ª Ed., São Paulo: Paz e Terra, 2016.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo, SP: Editora Unesp, 2000.
FREITAS, Denise; GALVÃO, Cecília. O uso de narrativas autobiográficas no desenvolvimento profissional de professores. Ciências & Cognição, v.12, p. 219-233, dez. 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cc/v12/v12a21.pdf Acesso em: 03 jul. 2022.
HODGES, Charles et. alli. As diferenças entre o aprendizado online e o ensino remoto de emergência. Revista da Escola, Professor, Educação e Tecnologia, v. 2, p. 1-12, jun. 2020. Disponível em: https://escribo.com/revista/index.php/escola/article/view/17/16 Acesso em: 31 ago. 2022.
JOSSO, Marie-Christine. Da formação do sujeito ao sujeito da formação. In: NÓVOA,
António; FINGER, Matthias (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus, 2010, p. 59-79.
LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. NORONHA, Jovita M. G (org). Tradução: Jovita Maria Gerheim Noronha; Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.
SANTOS, Yuri Andrei Batista; TORGA, Vânia Lúcia Menezes. Autobiografia e (res)significação. Bakhtiniana. Revista de Estudos do Discurso, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 119–144, 2020. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/42467 Acesso em: 31 ago. 2022.
VIEIRA-PINTO, Álvaro. O Conceito de Tecnologia. Rio de Janeiro, RJ: Contraponto, 2005.

Downloads

Publicado

2023-04-28

Como Citar

GEREMIAS, B. M. Navegar é preciso! Sobreviver é urgente! Metáforas de vida e de educação. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1107, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1107. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/14836. Acesso em: 1 mar. 2024.