Nas Brechas das Normas se Tecem Resistências

experiências não-heterossexuais na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n72.p266-280

Palavras-chave:

Hetoronormatividade, Poder, Resistência, Escola

Resumo

A pesquisa ora apresentada busca analisar as narrativas pessoais dos/as estudantes não-heterossexuais de uma escola pública localizada no município de Queimadas (PB) acerca das formas de resistências que esses encenam para superar as experiências de abjeção causadas pela LGBTQIAPfobia. No intento de construir e alcançar os resultados da investigação, utilizamos a combinação de metodologias de natureza qualitativa: revisão de literatura junto às entrevistas semiestruturadas. Argumentamos que na escola a norma sexual é uma tendência e, ao mesmo tempo, uma impossibilidade de ser completamente obedecida por todos/as. O controle, a disciplina e a vigilância não são as únicas faces da relação com o poder para os/as estudantes que não correspondem a heteronormatividade. Concluímos que dois polos antagônicos estão no embate conflituosamente: o desejo pelo controle e o desejo pelo enfrentamento. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nerize Laurentino Ramos, Universidade Estadual da Paraíba

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (1988), mestrado em Sociologia Rural (C. Grande)pela Universidade Federal da Paraíba (1999) e doutorado em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (2009). Atualmente é Professora Doutora - D - DE, no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual da Paraíba. Tem experiência na área de Desenvolvimento Regional / Desenvolvimento rural, com enfoque nas ruralidades, redes sociais, territórios, atores e processos sociais no campo, agricultura familiar, políticas públicas para o semi-árido. É líder do Grupo de Pesquisa: Trabalho, Políticas e Desenvolvimento Regional.

Emannuely Maria da Silva Santos, Universidade Federal de Campina Grande

Licenciada em Sociologia pela Universidade Estadual da Paraíba; mestranda em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande. Desde 2020, é integrante do grupo de pesquisa Trabalho, Políticas e Desenvolvimento Regional, da Universidade Estadual da Paraíba, desenvolvendo pesquisas na área de concentração da Sociologia da educação.

Referências

ABGLT. Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil (2016) - as experiências de Adolescentes e Jovens Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais em nossos Ambientes Educacionais. Curitiba: Secretaria de Educação da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT, 2016.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, p. 549-559, mai/ago, 2011.

BOZON, Michel. Sociologia da sexualidade. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2004.

BRANCO, Guilherme Castelo. Atitude-limite e relações de poder: uma interpretação sobre o estatuto da liberdade em Michel Foucault. verve. Revista semestral autogestionária do NuSol, n. 13, p. 202-2016, 2008.

BRANDÃO, Ana Maria. Dissidência sexual, género e identidade. VI Congresso Português de Sociologia. Lisboa, 2008.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade; Rio deJaneiro: Civilização brasileira, 2003.

CÉSAR, Maria Rita de Assis; DUARTE, André de Macedo. Governamento e pânico moral: corpo, gênero e diversidade sexual em tempos sombrios. Educar em Revista, Curitiba, v. 33, n. 66, p. 141-155, out/dez, 2017.

CÉSAR, Maria Rita de Assis. Gênero, sexualidade e educação: notas para uma" Epistemologia". Educar em revista, Curitiba, n.35, p. 35-51, 2009.

COSTA, Jussara Carneiro. Apontamentos para uma discussão sobre gênero, sexualidade e direitos sexuais e reprodutivos. In: III Seminário Nacional Gênero e Práticas Culturais. Olhares diversos sobre a diferença. João Pessoa, 2011. p. 1-15.

DA SILVA, Tomaz Tadeu et al. A produção social da identidade e da diferença. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes. 2000. p. 73-102.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do discurso. São Paulo, Edições Loyola, 1996. FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: A vontade de saber. Belo Horizonte: Paz e Terra, 2020. FOUCAULT, Michael. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979

LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. – Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogia da Sexualidade. In: LOURO, G.L. (Org). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica. 2018. p. 9-42.

MISKOLCI, Richard. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, n. 11. Jan/jun 2009. p.150-182.

MISKOLCI, Richard. A Teoria Queer e a Questão das Diferenças: por uma analítica da normalização. 16º Congresso de leitura do Brasil. 2007. p. 1-19.

MISKOLCI, Richard. Reflexões sobre normalidade e desvio. Estudos de Sociologia, Araraquara, 13/14. 2003. p.109-125.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-11-17

Como Citar

LAURENTINO RAMOS, N.; DA SILVA SANTOS, E. M. Nas Brechas das Normas se Tecem Resistências : experiências não-heterossexuais na escola. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 32, n. 72, p. 266–280, 2023. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n72.p266-280. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/17712. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático 72