Intergeracionalidade, Gênero e Sexualidade

(re)existências no ensino superior

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n72.p281-300

Palavras-chave:

Universidade, Intergeracionalidade, Gênero, Sexualidade, Interseccionalidade

Resumo

O estudo foi realizado com pessoas idosas e jovens que experimentaram a convivência em disciplinas de graduação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Partimos da intergeracionalidade e das intersecções com gênero e sexualidade. Foram sujeitos da pesquisa 15 pessoas idosas e 15 jovens que responderam a um questionário com dados de perfil e participaram de entrevista com roteiro semiestruturado. Para a análise do perfil sociológico e dos discursos utilizamos a abordagem interseccional construcionista e a perspectiva foucaultiana. A maior parte dos sujeitos (86,67% das pessoas idosas e 60% dos/as jovens) foi formada por mulheres cisgênero. Somente entre jovens encontramos pessoas pretas e pluralidade de orientação sexual. Encontramos enunciados que articulam dispositivos de aliança e de sexualidade. As reflexões oferecem contribuições para (re)pensar e lidar com os marcadores sociais da diferença, na perspectiva original da interseccionalidade: compromisso com a justiça social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Ramirez Meza, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Ciências Sociais (2019) e mestrado em Estudos Culturais (2022) pela UFMS. Técnico de nível médio da UFMS, participou do Programa Escola de Conselhos (1999-2008). Coordenou a Secretaria Executiva do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (dez/2008-abr/2011). Criou o Programa de Promoção dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa/UFMS (2011), atual Programa Universidade Aberta à Pessoa Idosa/UFMS. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Estudos Culturais, atuando principalmente nos seguintes temas: pessoa idosa, garantia e defesa de direitos, controle social de políticas públicas e relações de poder na intergeracionalidade.

Marcelo Victor da Rosa, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutor em Educação (UFMS). Professor nos Programas de Pós-Graduação em Estudos Culturais (PPGCult) e Educação (PPGEdu) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Líder do Núcleo de Estudos Néstor Perlongher.

Referências

ARCOVERDE, Marcos Augusto Moraes. A percepção da sexualidade do corpo idoso. 2006, 88f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Setor de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Paraná, 2006. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/7927.

BOURDIEU, Pierre. A “juventude” é apenas uma palavra (entrevista a Anne-Marie Métailé, publicada em Les Jeunes et le premier emploi, Paris, Associatión de Ages, 1978, pp. 520-530). In: BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Lisboa: Fim de Século, p. 151-162, 2003.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu, Campinas, n. 26, p. 329-376, jan./jun., 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332006000100014.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm.

BRASIL. Lei nº 8.842, de 4 de fevereiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8842.htm.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto da Pessoa Idosa e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm.

BRASIL. Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm.

CAMARANO, Ana Amélia; KANSO, Solange; MELLO, Juliana Leitão. Como vive o idoso brasileiro. In: CAMARANO, Ana Amélia (org.). Os novos idosos brasileiros: muito além dos 60? Rio de Janeiro: IPEA, p. 25-73, 2004. Disponível em: https://portalantigo.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=5476.

COLLINS, Patricia Hill. Se perdeu na tradução? Feminismo negro, interseccionalidade e política emancipatória. Parágrafo, São Paulo, v. 5, n. 1, jan., 2017. Disponível em: https://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/issue/view/56.

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, jan., 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2002000100011.

DEBERT, Guita; BRIGEIRO, Mauro. Fronteiras de gênero e a sexualidade na velhice. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 27, n. 80, p. 37-54, out., 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-69092012000300003.

DUARTE, Alisson José Oliveira. Sexualidade e religião: um olhar crítico acerca das influências da religião sobre o comportamento sexual. Revista Relegens Threskéia, v. 6, n. 2, p. 74-98, dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v6i2.54134.

DUARTE, Juliana Cristina dos Santos. “Tô velha, mas não tô morta”: um olhar antropológico sobre mulheres que participam do projeto Universidade Aberta à Pessoa Idosa da UFMS. 144f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande, 2021. Disponível em: https://repositorio.ufms.br/handle/123456789/3670.

FAVERO, Sofia. Cisgeneridades precárias: raça, gênero e sexualidade na contramão da política do relato. Bagoas, Natal, v. 13, n. 20, p. 169-197, jun., 2019. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/18675.

FERNANDES, Juliana; BARROSO, Karoline; ASSIS, Amanda; POCAHY, Fernando. Gênero, sexualidade e envelhecimento: uma revisão sistemática da literatura. Clínica & Cultura, v. IV, n. 1, jan.-jun., p. 14-28, 2015. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/clinicaecultura/article/view/3403.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. 13. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert L.; RABINOW, Paul. Michel Foucault: uma trajetória filosófica para além do estruturalismo e da hermenêutica. Trad. Vera Porto Carrero. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 231-249, 1995.

FOUCAULT, Michel. As formações discursivas. In: FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, p. 35-44, 2008.

FOUCAULT, Michel. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 1972.

FOUCAULT, Michel. Os anormais: curso no Collège de France (1974-1974). Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GOMES, Romeu; MURTA, Daniela; FACCHINI, Regina; MENEGHEL, Stela Nazareth. Gênero, direitos sexuais e suas implicações na saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1997-2005, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.04872018.

GROPPO, Luís Antonio. Dialética das juventudes modernas e contemporâneas. Revista de Educação do COGEIME, v. 13, n. 25, dez. p. 9-22, 2004. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-cogeime/index.php/COGEIME/article/view/629.

HAYASHI, Madoka. O bem-estar do idoso no Japão: primeiras aproximações do trabalho realizado pelo assistente social na atenção ao idoso. 2009. 97f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Serviço Social) – Departamento de Serviço Social, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/120147.

HENNING, Carlos Eduardo; DEBERT, Guita Grin. Velhice, gênero e sexualidade: revisando debates e apresentando tendências contemporâneas. Mais 60: estudos sobre envelhecimento. São Paulo: SESC São Paulo, v. 26, n. 63, dez., p. 8-31, 2015. Disponível em; http://repositorio.bc.ufg.br/handle/ri/18587.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?id=245700&view=detalhes.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os indígenas no Censo Demográfico 2010: primeiras considerações com base no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/indigenas/indigena_censo2010.pdf.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101681.

KYRILLOS, Gabriela de Moraes. Uma análise crítica sobre os antecedentes da interseccionalidade. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 28, n. 1, 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n156509.

LOREA, Roberto Arriada. Acesso ao casamento no Brasil: uma questão de cidadania sexual. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 14, n. 2, p. 488-496, maio-ago., 2006. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2006000200009.

MARQUES, Eugênia Portela de Siqueira. O acesso à educação superior e o fortalecimento da identidade negra. Revista Brasileira de Educação, v. 23, p. 1-23, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782018230098.

MELO, Késia Maria Maximiano de; MALFITANO, Ana Paula Serrata; LOPES, Roseli Esquerdo. Os marcadores sociais da diferença: contribuições para a terapia ocupacional social. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, v. 28, n. 3, p. 1061-1071, 2020. DOI: https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoARF1877.

PASSAMANI, Guilherme Rodrigues; VASCONCELOS, Alexandre Meira de; ROSA, Marcelo Victor da; ISHII, Renato Porfírio. Pobres, pretos/as, periféricos/as, jovens e em escolarização: a constituição dos sujeitos da 18ª Parada da Cidadania LGBT de Campo Grande/MS. Revista Latino Americana de Geografia e Gênero, v. 11, n. 2, p. 57-81, 2020. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/rlagg/issue/view/786.

PISCITELLI, Adriana. Interseccionalidades, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 11, n. 2, p. 263-274, jul., 2008. DOI: https://doi.org/10.5216/sec.v11i2.5247.

POCAHY, Fernando. A idade um dispositivo. A geração como performativo. Provocações discursivo-desconstrucionistas sobre corpo-gênero-sexualidade. Polis e Psique, v. 1, n. Temático, 2011, p. 195-211. DOI: https://doi.org/10.22456/2238-152X.31539.

SILVA, Anna Cruz de Araújo Pereira; SILVA JR., Paulo Isan Coimbra. Para além de um Estatuto: direitos e obrigações de velhos indígenas. In: XVI Congresso Nacional/CONPEDI, 2007, Belo Horizonte - Minas Gerais. Anais do XVI Congresso Nacional do CONPEDI. Florianópolis - Santa Catarina: Fundação Boiteux, 2007. Disponível em: http://www.publicadireito.com.br/conpedi/anais_bh.html.

SOUZA, Ângela Maria Freire de Lima e; MENEZES, Márcia Barbosa de. Gênero e trabalho no campo da Matemática. Breve história e notas sobre um diagnóstico preliminar. In: YANNOULAS, Silvia Cristina (coord.). Trabalhadoras: análise da feminização das profissões e ocupações. Brasília, DF: Abaré, 2013. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31211.

YANNOULAS, Silvia Cristina. Sobre o que nós, mulheres, fazemos. In: YANNOULAS, Silvia Cristina (coord.). Trabalhadoras: análise da feminização das profissões e ocupações. Brasília, DF: Abaré, 2013. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31211.

ZAMBONI, Marcio. Marcadores Sociais da Diferença. Sociologia: grandes temas do conhecimento (Especial Desigualdades), São Paulo, v. 1, p. 14 - 18, ago., 2014.

ZORDAN, Eliana Piccoli; FALCKE, Denise; WAGNER, Adriana. Casar ou não casar? Motivos e expectativas com relação ao casamento. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 15, n. 2, p. 56-76, ago., 2009. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1677-11682009000200005.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-11-17

Como Citar

RAMIREZ MEZA, E.; VICTOR DA ROSA, M. Intergeracionalidade, Gênero e Sexualidade: (re)existências no ensino superior. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 32, n. 72, p. 281–300, 2023. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n72.p281-300. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/17682. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático 72