Em defesa da “educação sexual”

sentidos produzidos em vídeos do youtuber Felipe Neto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n72.p320-334

Palavras-chave:

discurso, educação sexual, YouTube

Resumo

O artigo tem como objetivo apresentar parte das análises de uma pesquisa de mestrado em educação, com foco nos discursos de gênero e sexualidade que circulam por vídeos do youtuber Felipe Neto em seu canal no YouTube. Foram selecionados, a partir de mecanismos próprios de busca da plataforma, vídeos em que o influenciador aciona enunciados que remetem a diversas questões envolvendo gênero e sexualidade. As perspectivas teórico-metodológicas que conduziram a investigação alinham-se à análise do discurso de inspiração foucaultiana e às teorizações pós-estruturalistas. O artigo mobiliza argumentos a partir dos vídeos em que o youtuber assume determinados posicionamentos acerca do que ele chama de “educação sexual”. Nossas análises nos conduzem a problematizar as relações entre os vídeos e o contexto conservador contemporâneo, promovendo disputas enunciativas em torno da ideia de informar jovens sobre questões de sexualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Priscila Gonçalves dos Santos, Rede estadual de ensino de Minas Gerais

Mestra em Educação. Professora dos anos iniciais da rede estadual de ensino de Minas Gerais.

Roney Polato de Castro, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutor em Educação. Professor do Programa de Pós-graduação e da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora-MG

Referências

A CURA da aids foi descoberta? [+13]. 15 mar. 2019. (19 min). Publicado pelo canal Felipe Neto. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=i9F5r_diAYA. Acesso em: 6 nov. 2020.

ANDRADE, Paula Deporte de. Artefatos culturais midiáticos e pedagogias culturais: uma análise para explorar as qualidades pedagógicas da vida contemporânea. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 38., 2017, São Luís. Anais eletrônicos [...]. São Luís, MA: UFMA, 2017. Disponível em: http://anais.anped.org.br/sites/default/files/arquivos/trabalho_38anped_2017_GT16_248.pdf. Acesso em: 26 mai. 2023.

BRITZMAN, Deborah. O que é essa coisa chamada amor: identidade homossexual, educação e currículo. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 71-96, jan./jul. 1996. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71644/40637. Acesso em: 26 mai. 2023.

FELIPE NETO invadiu Moordale pra distribuir umas HQs de Sex Education | Netflix Brasil. 23 jan. 2020. (2 min). Publicado pelo canal Netflix Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IuJl1W0uC8U. Acesso em: 20 dez. 2020.

FOUCAULT, Michel. A ordem do Discurso: aula inaugural no College de France. Pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. 3. ed. São Paulo: Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Políticas públicas de educação: entre o direito à educação e a ofensiva antigênero. In: RIBEIRO, Paula R. C.; MAGALHÃES, Joanalira C.; SEFFNER, Fernando; VILAÇA, Teresa (Orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: resistência e ocupa(ações) nos espaços de educação. Rio Grande/RS: Editora da FURG, 2018, p. 179-210.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018. p. 7-42.

MACHADO, Roberto. Introdução. Por uma genealogia do saber. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. 13. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1998.

MIGUEL, Luis Felipe. Da “doutrinação marxista” à “ideologia de gênero” - Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 7, n. 15, p. 590-621, 2016. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/25163. Acesso em: 15 abr. 2023.

RIZZA, Juliana Lapa. Educação sexual, orientação sexual, educação para a sexualidade. Diversidade e Educação, Rio Grande, v. 1, n. 1, p. 6-9, jan./jun. 2013. Disponível em: https://periodicos.furg.br/divedu/article/view/6211. Acesso em: 06 mar. 2023.

SANTOS, Michele P. G. “Dá um like e se inscreve no canal!”: problematizando discursos de gêneros e sexualidades em vídeos do youtuber Felipe Neto. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Juiz de Fora, Programa de Pós-graduação em Educação, Juiz de Fora (MG), 2021.

SEVILLA, Gabriela; SEFFNER, Fernando. A guinada conservadora na educação: reflexões sobre o novo contexto político e suas reverberações para a abordagem de gênero e sexualidade na escola. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO 11 & 13TH WOMEN’S WORLDS CONGRESS, 2017, Florianópolis. Anais eletrônicos [...]. Florianópolis, 2017. Disponível em: http://www.en.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1499465018_ARQUIVO_textocompletofazendogeneroversaofinalgabrielasevillaefernandoseffner.pdf. Acesso em: 11 abr. 2023.

WORTMANN, Maria Lúcia; COSTA, Marisa Vorraber; SILVEIRA, Rosa Hessel. Sobre a emergência e a expansão dos Estudos Culturais em Educação no Brasil. Educação, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 32-48, jan./abr. 2015. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/18441. Acesso em: 30 ago. 2019.

XAVIER FILHA, Constantina. Violência sexual contra crianças: ações e omissões nas/das instituições educativas. In: XAVIER FILHA, Constantina (Org.). Sexualidade, gênero e diferenças na educação das infâncias. Campo Grande: Editora UFMS, 2012, p. 131-165.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-11-17

Como Citar

PRISCILA GONÇALVES DOS SANTOS, M. .; POLATO DE CASTRO, R. Em defesa da “educação sexual”: sentidos produzidos em vídeos do youtuber Felipe Neto. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 32, n. 72, p. 320–334, 2023. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n72.p320-334. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/17558. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático 72