ESTRATÉGIAS EDUCACIONAIS REMOTAS EM UM PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM MEIO À PANDEMIA PELO CORONAVÍRUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Palavras-chave: Educação Baseada em Competências, Pandemias, Tecnologia Educacional

Resumo

Este artigo teve por objetivo descrever o processo de adaptação das atividades pedagógicas e implementação da estratégia de gamificação pelo Programa de Residência Multiprofissional em Gestão de Políticas Públicas para a Saúde da Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal, frente às adversidades enfrentadas no cenário de pandemia pelo coronavírus. Trata-se do relato de experiência de residentes e preceptores quanto à implementação das atividades pedagógicas adaptadas para o ensino remoto síncrono emergencial, no período de abril a julho de 2020. Essas atividades foram realizadas por meio do método da gamificação, denominadas "Que a força esteja com o SUS!", e as ferramentas utilizadas foram o Google Classroom, Google Meet e o Instagram - consideradas tecnologias digitais de apoio. Nos encontros virtuais, abordaram-se temas diversos, como a avaliação de políticas públicas, competências para o gestor 4.0, gerenciamento de informação em saúde e gestão do cuidado. Foi possível identificar potencialidades e os desafios com a experiência da gamificação - engajamento de todos os membros do programa de residência; autonomia e protagonismo de residentes; necessidade de ajustes no planejamento e cronograma de atividades. O uso da gamificação mostrou-se positivo e satisfatório enquanto estratégia educacional para a formação e qualificação dos residentes, conferindo continuidade ao processo de ensino-aprendizagem em meio à pandemia pelo coronavírus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosielle Alves de Moura, Residente pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal

Bacharel em Nutrição. Especialista em Atenção Básica

Dalila Machado Botelho Oliveira, Residente pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal

Bacharel em  Gestão de Saúde Coletiva.

Tássio Fernandes Cunha, Residente pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal

Bacharel em Odontologia.

Laura Sousa Oliveira Costa Bezerra, Residente pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal

Bacharel em Serviço Social.

Carolina Leite Ossege, Residente pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal

Bacharel em Enfermagem. Especialista em Atenção Cardíaca.

Raíssa de Aquino Rodrigues Ferreira, Cirurgião Dentista na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal / Escola Superior de Ciências da Saúde

Bacharel em Odontologia. Especialista em Radiologia Odontológica e Imaginologia.

Suderlan Sabino Leandro, Enfermeiro na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal / Escola Superior de Ciências da Saúde

Doutor em Enfermagem. Diretor de Assuntos profissionais da ABEn Nacional. Coordenador e professor no Curso de Graduação em Enfermagem do Centro Universitário do Distrito Federal.

Referências

ALONSO, K. M.; SILVA, D. G. A educação a distância e a formação on-line: o cenário das pesquisas, metodologias e tendências. Educação & Sociedade, Campinas, v. 39, n. 143, p. 499-514, 2018.

AMARILLA FILHO, P. Educação a distância: uma abordagem metodológica e didática a partir dos ambientes virtuais. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 2, p. 41-72, 2011.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

BERNARDI, M.; DAUDT, S. D. Paradigmas do Conhecimento e Abordagens Pedagógicas. São Leopoldo: Unisinos, 2014.

BRASIL. Lei Nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nºs 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Brasília: Palácio do Planalto, [2005].

_____________. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Educação Permanente em Saúde. Reconhecer a produção local de cotidianos de saúde e ativar práticas colaborativas de aprendizagem e de entrelaçamento de saberes. Brasília. 2014.

_____________. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção Primária à Saúde (SAPS) Protocolo de Manejo Clínico do Coronavírus (Covid-19) na Atenção Primária à Saúde. Brasília-DF. 2020a.

_____________. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico: Infecção Humana pelo Novo Coronavírus (2019-nCoV). Brasília-DF 2020b.

______________. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública|Covid-19. Boletim epidemiológico nº6. Doença pelo Coronavírus 2019. 2020c.

CARDOSO, D. C. et al. Gamificação de um ambiente virtual de programação. XVII Encoinfo – Congresso de Computação e Sistemas de Informação, 2015.

CONTRERAS, J. L. G. Gamificación en contextos educativos: análisis de aplicación en un programa de contaduría pública a distancia. Revista Universidad & Empresa, Bogotá v. 22, n. 38, p. 8-39, 2020.

COSTA, F. V. Uso do Instagram como ferramenta de estudo: análise de um perfil da área biológica. Research, Society and Development, v. 8, n. 10, p. 2, 2019.

DA SILVA, A. C.; FORTUNATO, I. A gamificação aplicada à formação inicial de professores de física em três opções metodológicas. e-Mosaicos. Rio de Janeiro, v. 9, n. 20, p. 61-81, 2020.

DA SILVA, L. Q.; FOSSATTI, P.; JUNG, H. S. Metodologias Ativas: A Google For Education Como Ferramenta Disruptiva Para o Ensino e Aprendizagem. Paidéi@-Revista Científica de Educação a Distância, v. 10, n. 18, 2018.

DE OLIVEIRA, H. V.; DE SOUZA, F. S. Do conteúdo programático ao sistema de avaliação: reflexões educacionais em tempos de pandemia (Covid-19). Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 2, n. 5, p. 15-24, 2020.

DISTRITO FEDERAL. Decreto N° 40.539, de 19 de março de 2020. Dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do novo coronavírus, e dá outras providências. Distrito Federal: Palácio do Buriti, 2020.

_________________. Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Portaria nº 74, de 29 de abril de 2015. Regulamento dos programas de residências em área profissional da saúde: modalidade multiprofissional e uniprofissional da Escola Superior de Ciências Da Saúde (ESCS) e da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal. Distrito Federal: Palácio do Buriti, 2020.

DURHAM, M. G.; KELLNER, D. M. Media and cultural studies: keyworks / edited by Meenakshi Gigi Durham and Douglas M. Kellner. Rev. ed. p. cm. (Keyworks in cultural studies), 2006.

FARDO, M. L. A gamificação aplicada em ambientes de aprendizagem. Renote – Novas Tecnologias na Educação, v. 11, nº 1, 2013.

FISCHER, A.; GRIMES, C.; VICENTINI, M. A. A escrita gamificada de fanfictions com o apoio de tecnologias digitais em um clube de inglês. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 58, n. 3, p. 1164-1196, 2019.

GUIMARÃES, G. L. P; MENEZES, K. A. T. DE; CONCEIÇÃO, S. DOS S.; LISBOA, C. S.; ARAGÃO, N.S.C. DE. Sala de Aula Invertida no Ensino Superior de Enfermagem: Revisão de Literatura. Cenas Educacionais, v. 3, p. e8438, 2020.

JAEGER, C. A. A gamificação como aliada à gestão educacional. Trabalho de conclusão de especialização. 2018.

BOTTENTUIT JUNIOR, J. B.; LISBÔA, E. S.; COUTINHO, C. P. Google educacional: utilizando ferramentas web 2.0 em sala de aula. Paidéi@-Revista Científica de Educação a Distância, v. 3, n. 5, 2011.

LEÃO, K. S. A.; SANTOS, B. M. Sala de Aula Invertida no Ensino da lei da Inércia com Aplicação de Jogo Lúdico. 2019. 138 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física, Universidade Federal do Acre, Rio Branco, 2019.

MELLO, J. A. V. B. et al. Gamificação como alternativa de ensino e interação com a sociedade. Da Investigação às Práticas, Lisboa, v. 9, n. 2, p. 31-45, 2019.

OLIVEIRA, J. K. C.; PIMENTEL, F. S. C. Epistemologias da gamificação na educação: teorias de aprendizagem em evidência. Revista da FAEEBA, Salvador, v. 29, n. 57, p. 236-250, 2020.

PEREIRA, Z. T. G.; DA SILVA, D. Q. Metodologia ativa: Sala de aula invertida e suas práticas na educação básica. REICE: Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 16, n. 4, p. 63-78, 2018.

PEREIRA, J. A.; SILVA JUNIOR, J. F.; DA SILVA, E. V. Instagram como Ferramenta de Aprendizagem Colaborativa Aplicada ao Ensino de Química. Revista Debates em Ensino de Química, v. 5, n. 1, p. 119-131, 2019.

RIBEIRO, V.G. et al. Emprego de técnicas de gamificação na Educação Científica: relato de uma intervenção como apoio à Estatística. Research, Society and Development, v. 9, n. 1, 26 p., 2020.

SCHLEMMER, E. Gamificação em espaços de convivência híbridos e multimodais: design e cognição em discussão. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, v. 23, n. 42, p. 73-89, 2014.

SILVA, J. B.; SALES, G. L.; CASTRO, J. B. Gamificação como estratégia de aprendizagem ativa no ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo , v. 41, n. 4, e20180309, 2019.

SOUZA, S. V.; FERREIRA, B. J. Preceptoria: perspectivas e desafios na Residência Multiprofissional em Saúde. ABCS Health Sciences, v. 44, n. 1, p. 15–21, 2019.

Publicado
2020-12-02
Métricas
  • Visualizações do Artigo 2226
  • ♪Áudio♪ downloads: 5
Como Citar
Moura, R. A. de, Oliveira, D. M. B., Cunha, T. F., Bezerra, L. S. O. C., Ossege, C. L., Ferreira, R. de A. R., & Leandro, S. S. (2020). ESTRATÉGIAS EDUCACIONAIS REMOTAS EM UM PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM MEIO À PANDEMIA PELO CORONAVÍRUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. Cenas Educacionais, 3, e9114. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9114
Seção
Relato de Experiência