OPERAÇÕES ARITMÉTICAS INVERSAS E CÁLCULO MENTAL NO JOGO DIGITAL FAZENDINHA MATEMÁTICA

Palavras-chave: Jogos educacionais digitais, Educação matemática, Reversibilidade, Operações inversas

Resumo

Baseando-se nos conceitos de reversibilidade e cálculo mental e acreditando no potencial dos jogos digitais para a aprendizagem matemática, relatamos, neste artigo, uma experiência desenvolvida com estudantes dos Anos Finais do Ensino Fundamental, quando estes jogaram e avaliaram um jogo digital educacional de conteúdo matemático chamado Fazendinha Matemática. Dentro de uma abordagem qualitativa analisamos a experiência obtendo como resultados que o jogo permitiu explorar e estimular a percepção dos alunos sobre as relações que as operações de multiplicação e divisão possuem uma como inversa da outra; estimular o cálculo mental; fazê-los identificar a matemática presente no jogo; avaliar o interesse deles pelo jogo e sugerir mudanças para torná-lo ainda mais atrativo. Concluímos que uma maneira de ajudar os alunos a compreender as operações inversas e, portanto, o conceito de reversibilidade, é inseri-los em ambientes ricos, explorando o cálculo mental e fazendo uso de recursos didáticos, como é o caso dos jogos digitais educacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Omar de Sousa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Graduando em Ciência da Computação. Atuei como bolsista de iniciação científica CNPq PIBITI 2019-2020.
Pablo Silva de Souza, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Graduando em Cinema e Audiovisual na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista IC-UESB no período 2019-2020
Laelson Almeida Miranda, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Graduando do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Bolsista de Iniciação Cientifica do CNPq, pelo projeto Sequências Didáticas para o aumento da cognição e metacognição matemática de estudantes das Séries Iniciais do Ensino Fundamental.
Tânia Cristina Rocha Silva Gusmão, Professora nos Programas de Pós-Graduação em Ensino (PPGEn) e em Educação Científica e Formação de Professores (PPG.ECFP) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Doutora em Didática da Matemática pela Universidade de Santiago de Compostela. Participa como professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Educación en Ciencias y en Didáctica de las Ciencias Experimentales da UNL, Santa Fe - Argentina e do Programa de Didática das Ciencias Experimentais e da Matemática da Universidade de Santiago de Compostela, Espanha. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas Museu Pedagógico: Didática das Ciências Experimentais e da Matemática (GDICEM).

Referências

ALVES, L. Relações entre os jogos digitais e aprendizagem: delineando percurso. Educação, Formação & Tecnologias, v.1, n.2, p.3-10, 2008.

ALVES, L.; BIANCHIN, M. A. O jogo como recurso de aprendizagem. Revista Psicopedagogia, v.27, n.83, p.282-287, 2010.

BELMONTE, J. M. G. Las relaciones multiplicativas: el cálculo multiplicativo y de división. Cálculo mental y com calculadora. In: CHAMORRO, M. del Carmen (Coord) Didáctica de las Matemáticas para Primaria. Pearson, Prentice Hall: Madrid, 2003.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Traduzido por Maria João Sara dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Portugal: Porto Editora, 1994.

BOMFOCO, M. A.; AZEVEDO, V. de A. Os jogos eletrônicos e suas contribuições para a aprendizagem na visão de J. P. Gee. RENOTE - Revista novas tecnologias na educação, v.10, n.3, p.1-9, 2012.

CASTRO; E.; RICO, L.; CASTRO, E. Numeros y Operaciones: fundamentos para uma aritmética escolar. Editorial Sínteses: Madrid, 1996.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

DIAS, G, A.; GUSMÃO, T. C. R. S.; MARQUES, M. De uma sequência didática a construção de um jogo educacional digital: fazendinha matemática. Revista Binacional Brasil Argentina, v.6, n.1, p.235-246, 2017.

GEE, J. P. What video games have to teach us about learning and literacy. Nova York: Palgrave Macmillan, 2004.

GÓMEZ, B. A. Numeración y Calculo. Editorial Sínteses: Madrid, 1998.

GUSMÃO, T. C. R. S. Desenvolvimento e aplicação de videogames para potencializar o ensino e a aprendizagem da Matemática na Educação Básica. Projeto de Pesquisa. UESB, 2013.

GUSMÃO, T. C. R. S. Sequências didáticas para o aumento da cognição e metacognição matemática de estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental. Projeto de Pesquisa. UESB, 2009.

GUSMÂO, T. C. R. S.; EMERIQUE, P. S. Do Erro Construtivo ao Erro Epistemológico: um espaço para as emoções. Bolema, v.13, n.14, 2000.

FIOREZE, L. A. O computador, o ensino-aprendizagem e as diversas tecnologias. In:______. Rede de conceitos em matemática: Reflexões sobre o ensino e a aprendizagem e proporcionalidade utilizando atividades digitais. Curitiba: Appris, 2016.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v.35, n.3, p.20-29, 1995.

HACIOMEROGLU, E. S.; ASPINWALL, L.; PRESMEG N. The role of reversibility in the learning of the calculus derivative and antiderivative graphs. In: SWARS, S. L., STINSON, D. W.; LEMONS-SMITH, S. (Eds.). Proceedings of the 31st annual meeting of the North American Chapter of the International Group for the Psychology of Mathematics Education. Atlanta, GA: Georgia State University, 2009. p.81-88

INHELDER, B.; PIAGET, J. The Growth of Logical Thinking from Childhood to Adolescence. New York: Basic Books, 4-11, 272-274, 1958.

KISHIMOTO, T. M. O Jogo e Educação Infantil. São Paulo. 2º tiragem da 1º ed.1994.

MAFULAH, S.; JUNIATI; SISWONO, T.Y.E. The aspects of reversible thinking in solving algebraic problems by an elementary student winning National Olympiad medals. Science, World Transactions on Engineering and Technology Education, v.15, n.2, 2017.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. 4 ed., São Paulo: Atlas, 2010.

NETO, F. S.; ALVES, L. Jogos Digitais e Aprendizagem: um estudo de caso sobre a influência do design de interface. IX SBGames - Florianópolis - SC, 8 a 10 de Novembro de 2010.

RAMFUL, A.; OLIVE, J. Reversibility of thought: an instance in multiplicative tasks. The J. of Mathematical Behavior, 27, 138-151, 2008.

RAMOS, D. K. et al. O uso de jogos eletrônicos para o exercício das habilidades cognitivas: Relato de uma experiência no Ensino Fundamental. In: ALVES, L.; NERY, J. (Orgs.). Jogos eletrônicos, mobilidades e educação - Trilhas em construção. Salvador: EDUFBA, 2015.

SANTOS, M. Â. F.; MIRANDA, L. A.; GUSMÃO, T. C. R. S. Jogos educativos e operações inversas na matemática. 2019. Disponível em: <http://anais.uesb.br/index.php/cmp/article/viewFile/8817/8921> (acesso em: 20/01/2020)

SOUSA, J. R. et al. Contribuições do (re)desenho de tarefas para aproximação da matemática com o entorno social da escola. Revista Práxis Educacional, v.15, n.33, p.444-471, 2019.

TELLES, H. V. Antropologia e games studies: o giro cultural na abordagem sobre os jogos eletrônicos. In: ALVES, Lynn. NERY, Jesse. (Orgs.). Jogos eletrônicos, mobilidades e educação - Trilhas em construção. Salvador: EDUFBA, 2015.

WIELEWSKI, G. D. Aspectos do pensamento matemático na resolução de problemas: uma apresentação contextualizada na obra de Krutetskii. (Tese de doudorado, PUC-SP), 2005.

Publicado
2020-07-18
Métricas
  • Visualizações do Artigo 148
  • ♪ÁUDIO♪ downloads: 15
Como Citar
SOUSA, M. O. DE; SOUZA, P. S. DE; MIRANDA, L. A.; GUSMÃO, T. C. R. S. OPERAÇÕES ARITMÉTICAS INVERSAS E CÁLCULO MENTAL NO JOGO DIGITAL FAZENDINHA MATEMÁTICA. Cenas Educacionais, v. 3, p. e9091, 18 jul. 2020.
Seção
Dossiê Temático - Ensino de Ciências e Educação Matemática