DIÁLOGO-PROBLEMATIZADOR E PESQUISA-AÇÃO NO ESTÁGIO CURRICULAR DOCENTE MEDIADA POR TECNOLOGIAS CRIATIVAS EDUCACIONAIS EM REDE

Palavras-chave: Diálogo-Problematizador, Pesquisa-Ação, Estágio Curricular Docente, Tecnologias Criativas Educacionais em Rede

Resumo

Trata-se de sistematização do ensino-aprendizagem universitário, na perspectiva dialógico-problematizadora, no escopo curricular do estágio curricular docente, no curso de formação inicial de professores de Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Do ponto de vista tecnológico-educacional, mediamos tanto os trabalhos universitários de orientação docente, tanto como o do discente-estagiário(a), com tecnologia criativa educacional, caracterizada como ambiente virtual de ensino-aprendizagem livre e aberto. Coerentemente com a pesquisa-ação, o desenvolvimento ocorreu em ciclos espiralados de planejamentos, relatos, avaliações deliberativas e replanejamentos, todas estas quatro etapas mediadas tecnologicamente em rede, garantindo a criticidade e colaboração no âmbito prático da investigação-ação na unidade escolar básica. Os resultados produzidos sinalizam boas orientação universitária e condução docente-estagiária, ainda que a natureza colaborativa da mesma necessite de otimizações na mediação tecnológico-educacional criativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio da Purificação de Bastos, Professor na Universidade Federal de Santa Maria.
Doutor em Educação/Didática pela Universidade de São Paulo (USP/SP). Pós-Doutorado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFCS/SC). Pesquisador no grupo Educação Científica e Tecnológica Orientada por Pesquisa-ação e Educação Dialógico-problematizadora.
Ilse Abegg, Professora no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Maria.

Doutora em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pesquisador no grupo Educação Científica e Tecnológica Orientada por Pesquisa-ação e Educação Dialógico-problematizadora.

 

Referências

ABEGG, I. Produção colaborativa e diálogo-problematizador mediados pelas tecnologias da informação e comunicação livres. 2009. 183 f. Tese (Doutorado em Informática na Educação). Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2009. Disponível em: <http://goo.gl/5c1BFc>. Acesso em: 26 mai. 2015.

ABEGG, I. et al. Relatório Final do projeto Estágio Supervisionado de Ensino mediado pelo wiki do Moodle. Edital Nº 001/2013 Programa Pesquisador Gaúcho – PQG. 2015.

ABEGG, I.; DE BASTOS, F. P. Convergência e integração de tecnologias criativas em ambientes virtuais. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 18, n. 1, p. 60-70, abr. 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8635592 . Acesso em: 05 abr. 2016. doi: <http://dx.doi.org/10.20396/etd.v18i1.8635592>

ANGOTTI, J. A P. Conceitos Unificadores e Ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física vol. 15, nº (1 a 4), p. 191 – 198; 1993. disponível em http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/vol15a20.pdf

ANGOTTI, J. A P.; DELIZOICOV, D. N. Metodologia do Ensino de Ciências. Editora Cortez, Rio de Janeiro, 1992.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 1 de julho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, 2 de julho de 2015. Seção 1, p. 8-12.

CARR, W.; KEMMIS, S. Becoming critical education: knowledge and action research. London: The Palmer Press, 1986.

DAVÍDOV, V. V. La enseñanza escolar y el desarrollo psíquico: investigación teórica y experimental. Tradução: Marta Shuare. Moscú: Progreso, 1988.

FREIRE, P. Educação como Prática da Liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 1967 (disponível em https://educarparaomundo.files.wordpress.com/2016/07/paulo-freire-educac3a7c3a3o-como-prc3a1tica-da-liberdade.pdf )

GANGUIN, S.; HOBLITZ, A. Mobile Media – Mobile Creativity? Revista Comunicação e Sociedade, Braga, Portugal, v. 22. 2012. Disponível em: <http://goo.gl/ZTqDzW>. Acesso em: 26 mai. 2015. ISSN 2183-3375.

KEMMIS, S.; McTAGGART, R. Como Planificar la Investigación-Acción. Laertes, Barcelona, 1988.

MARTINHO MARQUES, T. Fluência Tecnológica. MIT Media Lab, Massachusetts, USA, 2016. disponível em http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/847/53/20152_ulsd_dep.17852_tm_anexo38e.pdf

Publicado
2020-06-10
Métricas
  • Visualizações do Artigo 65
  • ♪Áudio♪ downloads: 11
Como Citar
BASTOS, F. DA P. DE; ABEGG, I. DIÁLOGO-PROBLEMATIZADOR E PESQUISA-AÇÃO NO ESTÁGIO CURRICULAR DOCENTE MEDIADA POR TECNOLOGIAS CRIATIVAS EDUCACIONAIS EM REDE. Cenas Educacionais, v. 3, p. e8829, 10 jun. 2020.
Seção
Dossiê Temático - Ensino de Ciências e Educação Matemática