CONCEITO DE SEGUNDA ORDEM: O DIÁLOGO COM O PASSADO PELOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

Palavras-chave: Passado, Aprendizagem Histórica, Ideias Históricas, Conceito de Segunda Ordem, Educação Histórica.

Resumo

O texto que se segue refere-se a parte da discussão teórica da pesquisa intitulada A concepção de passado apresentada pelos jovens e alunos do Ensino Médio (Lagoa Real/BA) que se encontra em andamento junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).  Insere-se no campo do ensino da História e seu principal objetivo é analisar as concepções de passado apresentadas por alunos do Ensino Médio. A escolha de tal conceito ocorreu por considerarmos importante investigar como os alunos dialogam com o passado e, pensando historicamente, possibilitam em si a construção efetiva da aprendizagem histórica. Definimos a abordagem qualitativa como matriz teórico-metodológica a ser utilizada na análise dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Izis Pollyanna Teixeira Dias de Freitas, Professora na rede Estadual de Educação do Estado da Bahia.

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGEd-UESB). Integrante do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História (LAPEH/CNPq).

Edinalva Padre Aguiar, Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA/BA). Membro do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História (LAPEH). 

Referências

AGUIAR, Edinalva Padre. O ensinado, o aprendido: a educação histórica e a consciência histórica. 2013. 338 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/14561/1/Tese%20Edinalva%20Padre%20Aguiar.pdf> Acesso em: 07 jun. 2018.

BARCA, Isabel. Educação histórica: uma nova área de investigação. In: Revista da Faculdade de Letras História. Porto, III Série, vol. 2, 2001, p. 013-021.

BORRIES, Bodo von. Competência do pensamento histórico, domínio de um panorama histórico ou conhecimento do cânone histórico? Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 60, p. 171-196, abr./jun. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/er/n60/1984-0411-er-60-00171.pdf>. Acesso em 11 jan.2019.

CASTRO, Júlia. Perspectivas de alunos do ensino secundário sobre a interculturalidade e o conhecimento histórico. In: Currículo sem Fronteira, v. 7, n. 1, pp. 28-73, jan/jun 2007. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol7iss1articles/castro.pdf>. Acesso em 24 out.2018.

HOBSBAWM, Eric J. Era dos extremos: o breve século XX: 1924-1991. Trad. Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LEE, Peter. “Nós fabricamos carros e eles tinham que andar a pé”: Compreensão das pessoas do passado. In: BARCA, Isabel (Org.). Actas das Segundas Jornadas Internacionais de Educação História. Braga: 2003, p. 9-19.

LEE, Peter. DICKINSON, Alaric. ASHBY, Rosalyn. Las ideas de los niños sobre la historia. In: CARRETRO, Mario. VOSS, james F. (Comps.). Aprender e pensar la historia. Buenos Aires: Amorrortu, 2004, p. 217-248.

LEE, Peter. Em direção a um conceito de literacia histórica. Educar em Revista, nº espe Curitiba, p. 131-150, 2006. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.403>. Acesso em 11 jan.2019.

LEE, Peter. Literacia histórica e história transformativa. Educar em Revista, nº 60 pp. 107-146. Curitiba Apr./June 2016. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40602016000200107&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em 11 jan.2019.

SANTOS, Flávio Batista dos; CAINELLI, Marlene Rosa. Educação Histórica e Temporalidade: campo e categoria do ensino e aprendizagem em História. Rer. HISTEDBR. Campinas, SP v. 19, p. 1-16, julho 2019. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8654355/21036>. Acesso em 06 ago.2019.

SANTOS, Rita de Cássia G. Pacheco dos. O conceito de passado e sua significância histórica para professores de história e os livros didáticos recebidos no PNLEM. In: ANTÍTESES, v. 5, n. 10, p. 537-553, jul. /dez. 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/issue/view/855> Acesso em: 03 jul. 2018.

SANTOS, Rita de Cássia G. Pacheco dos. A significância do passado para professores de história. 2013. 262 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013. Disponível em: <http://www.ppge.ufpr.br/teses/d2013_Rita%20de%20Cassia%20Gon%C3%A7alves%20Pacheco%20dos%20Santos.pdf> Acesso em: 07 jun. 2018.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora M. dos S. Perspectiva da consciência histórica e da aprendizagem em narrativas de jovens brasileiros. Tempos Históricos. Volume 12 - 1º semestre, 2008, p. 81-96. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/download/1946/1538. Acesso em: 04 fev. 2020.

Publicado
2020-05-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 237
  • ♪Áudio♪ downloads: 18
Como Citar
FREITAS, I. P. T. D. DE; AGUIAR, E. P. CONCEITO DE SEGUNDA ORDEM: O DIÁLOGO COM O PASSADO PELOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO. Cenas Educacionais, v. 3, p. e8618, 16 maio 2020.
Seção
Artigos (Fluxo Contínuo)