A SOCIOEDUCAÇÃO SOB AS LENTES DA EMANCIPAÇÃO SOCIAL: TRABALHO E EDUCAÇÃO DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI

Palavras-chave: Medidas socioeducativas, Emancipação social, Educação escolar, Trabalho

Resumo

Ao longo do processo de socialização, o trabalho e a educação tornaram-se importantes referenciais para o desenvolvimento emocional, ético e cognitivo de cada pessoa. Se transformando numa base social consolidada, em atividades principais e nos elementos definidores, ainda que não exclusivos, como sentido da vida. Em razão disso, a falta do trabalho e estudo, assumem, igualmente, um papel essencial. Nesta pesquisa, procurou-se investigar se a partir das oportunidades oferecidas pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo, o/a adolescente consegue articular uma perspectiva de vida na qual ele/a não seja conduzido/a a novos conflitos com a lei. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, de caráter descritivo-exploratório com a colaboração de 13 adolescentes, com idade entre 12 e 18 anos incompletos. Os resultados apontaram categorias significativas para a auto-organização dos/as adolescentes no cumprimento da medida e, neste texto, o foco está na categoria: trabalho e educação. Constatou-se, nesta pesquisa, que adolescentes que exercem alguma atividade remunerada e lícita, passam a adquirir confiança e respeito pela família e pares. Assim acontece com aqueles/as que recebem oportunidade de continuação dos estudos, como cursos de formação profissional, passam a enxergar oportunidade para construir nova perspectiva de vida.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Garcia Campos, Doutorando em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil

Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Coordenador de Projetos Educacionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial/São Paulo e Professor de Pós-Graduação Lato Sensu na Faculdade Galileu de Botucatu. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação em Regimes de Privação da Liberdade e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Justiça Social.

Referências

BARONE, R. E. M.; SILVA, A. M. Adolescente em cumprimento de Medida Socioeducativa, Capacitação para o trabalho e inserção no mundo do trabalho: desafios no contexto de Unidades de Privação de Liberdade. Rev. Fac. Educ., v. 24, n.2, p.155-176, 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BISINOTO, C. et al. Socioeducação: origem, significado e implicações para o atendimento socioeducativo. Psicologia em Estudo, v.20, n.4, p.575-585, 2015.

BRASIL. Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo – SINASE/ Secretaria Especial de Direitos Humanos. Brasília: CONANDA, 2006.

BRITO, L. M. T. de. Liberdade Assistida no Horizonte da Doutrina de Proteção Integral. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v.23, n.2, p.133-138, 2007.

CAMPOS, R. G. et al. The impact of the socio-educational measure for freedom assisted in the self-organization of the youth’s life project in conflict with the law. Research, Society and Development, v.10, n.5, p.e9910514792, 2021. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14792. Acesso em: 15 mai. 2021.

CAMPOS, R. G. Auto-organização na construção de projeto de vida pelo adolescente em ressocialização. 99f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Botucatu - SP: Universidade Estadual Paulista, 2017.

CANDAU, V. M. F.; SACAVINO, S. B. Educação em direitos humanos e formação de educadores. Educação, v.36, n.1, p.59-66, 2013.

CANDAU, V. M. F. Direito à Educação, Diversidade e Educação em Direitos Humanos. Educação e Sociedade, v.33, n.120, p.715-726, 2012.

COELHO, B. I.; ROSA, E. M. Ato Infracional e Medida Socioeducativa: Representações de Adolescentes em L.A. Psicologia & Sociedade, v.25, n.1, p.163-173, 2013.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 28 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 44 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

GARCIA CAMPOS, R.; FERREIRA MACHADO, D. Revisão Integrativa: Adolescentes Autores/as de ato infracional no Brasil. Revista Temas em Educação, v.30, n.2, p.167-184, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/58616. Acesso em: 26 jun. 2021.

JACOBINA, O. M. P.; COSTA, L. F. Para não ser bandido: trabalho e adolescentes em conflito com a lei. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v.10, n.2, p.95-110, 2007.

KAPLAN, H. I.; SADOCK, B. J.; GREBB, J. A. Compêndio de psiquiatria: Ciências do comportamento e psiquiatria clínica. 7ª Ed. Porto Alegre: Artmed. 2003.

LINS, B. T.; LIMA, C. G. S.; FEITOSA NETO, P. M.; OLIVEIRA, I. M. A Demonização dos Direitos Humanos: Religião e espaço público no Estado Pós-secular. Cenas Educacionais, v.3, p.e7579, 2020. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7579

LOPES, C. V. A.; MIRANDA, K. A. da S. N. Paulo Freire e os Direitos Humanos: por um diálogo efetivo. Cenas Educacionais, v.4, p.e9348, 2021. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9348

MACHADO, É. R. As relações entre a Pedagogia Social e a Educação Popular no Brasil. Revista Diálogos, v. 18, 2012.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8 ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MOREIRA, C. A. B. D.; SILVA, A. da; MARTINS, S.A. Recuperando Vidas: uma proposta de atendimento. Comunicação Saúde Educação, v.13, n. 30, p.221-27, 2009.

NASCIMENTO, M. I. M.; NASCIMENTO, M. N. M. A escola pública: considerações a partir da divisão social do trabalho. Revista HISTEDBR On-line, v.9, n.34, p.223–233, 2012. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639590. Acesso em: 30 mar. 2021.

PEREIRA JUNIOR, A.; PEREIRA, M. A. O. Teoria da Auto-organização: uma Introdução e Possível Aplicação nas Ciências da Saúde. Simbio-Logias, v.3, n.5, p.102-114, 2010.

QUINELATTO, R. F. O Programa de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto: educação ou reprodução do aprendizado da rua? Tese, 235fls. (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos-SP, 2015.

SILVA, R. da; SOUZA NETO, J. C. de; PINI, F. R de O. Ciência da Delinquência: o olhar da USP sobre o ato infracional, o infrator, às medidas socioeducativas e suas práticas. São Paulo: Expressão & Arte, 2014. v.1

SILVA, R. da; SOUZA NETO, J. C. de ; GRACIANI, M. S. A pesquisa em Pedagogia Social. 10 ed. São Paulo: Expressão e Arte, 2017. v.10.

ZANELLA, M. N. Bases teóricas da socioeducação: análise das práticas de intervenção e metodologias de atendimento do adolescente em situação de conflito com a lei. 209 fls. Dissertação de Mestrado. Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo, 2011.

Publicado
2022-01-31
Métricas
  • Visualizações do Artigo 248
  • ♪Áudio do resumo♪ downloads: 3
Como Citar
Campos, R. G. (2022). A SOCIOEDUCAÇÃO SOB AS LENTES DA EMANCIPAÇÃO SOCIAL: TRABALHO E EDUCAÇÃO DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI. Cenas Educacionais, 5, e12125. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/12125
Seção
Dossiê Temático - ENSINO/EDUCAÇÃO E/PARA DIREITOS HUMANOS