O ensino de cultura e arte indígenas e a resistência Aldeia Maracanã

Uma perspectiva intercultural

Resumo

Este relato de experiência apresenta experiências pedagógicas no ensino de cultura indígena em escolas públicas da cidade do Rio de Janeiro no cumprimento da Lei 11.645, de 10 de março de 2008. As atividades relatadas, voltadas para o Ensino Médio, são mediadas e promovidas com base no conceito de educação intercultural crítica. Permeado pela visão decolonial, o trabalho pedagógico e político relatado é resultado da vivência de uma professora Xavante, no contexto de resistência indígena, junto a sua experiência na Aldeia Maracanã (Maraká’nà), aldeia indígena em contexto urbano, localizada no bairro do Maracanã, Rio de Janeiro, Brasil. Nosso objetivo é compartilhar experiências de ensino com protagonismo indígena, envolvendo uma visão plural, viva, prática, flexível, dialética e mutável em escolas da rede estadual de ensino e na Universidade Indígena Aldeia Maraká’nà. 

Palavras-chave: Interculturalidade crítica; Educação decolonial; Pedagogia para autonomia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Muniz, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UFRJ)

Conhecida também como Júlia Muniz de Souza, formada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, atualmente é professora da rede pública de ensino do governo do estado do Rio de Janeiro.

Mayara de Sá Pinto, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutoranda em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Faculdade de Letras, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Publicado
2020-12-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 176
  • PDF downloads: 131
Como Citar
Xavante, J. M., & Pinto, M. de S. (2020). O ensino de cultura e arte indígenas e a resistência Aldeia Maracanã: Uma perspectiva intercultural . Abatirá - Revista De Ciências Humanas E Linguagens, 1(2), 649 - 680. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/9648
Seção
Relato de Experiência (práticas educativas, saberes de mestres populares)