Processos de coesão textual em texto dissertativo do vestibular Indígena/Unioeste

Resumo

O presente artigo apresenta uma análise linguística sobre o processo de textualização e a ocorrência de processos de argumentação em texto dissertativo-argumentativo do vestibular indígena/2015, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste. Para isso, buscam-se esclarecimentos a respeito dos aspectos semânticos que envolvem a coesão e o seu papel na constituição dos argumentos utilizados para a defesa do tema. São mecanismos cruciais para a argumentação, tais como operadores argumentativos, modalizadores e diversos sinais marcados por instruções linguísticas reveladoras do contexto específico do produtor. Estes são ilustrados à medida que aparecem em uma redação produzida por um vestibulando indígena, versando sobre o tema a demarcação de terras indígenas no Brasil. O quadro teórico da Linguística Textual, constante neste trabalho, mostra que os mecanismos linguísticos constituem a textura do texto e garantem a ele uma unidade de sentido a partir de retomadas, articulações e instaurações de elementos lexicais, denominados operadores modais. Nas reflexões empreendidas, observa-se que estratégias de coesão são indispensáveis, não só para manter a progressão textual, mas também para viabilizar os meios pelos quais são manifestadas as expressões de adesão ao tema pelo produtor do texto. A presença de tais mecanismos linguísticos apontou a relevância do processo coesivo para a elaboração textual, sugerindo que o referido texto analisado fez cumprir, em boa parte, a função argumentativa relacionada ao domínio da coesão textual.

Palavras-chave: Vestibular indígena. Texto dissertativo; Coesão textual.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anelí Divina Fungueto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Possui graduação em Letras - Italiano pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná(2014), graduação em Letras - Português e Inglês pelo Centro Universitário Franciscano(1973), graduação em Psicologia pela Faculdade de Ciências Aplicadas de Cascavel(2007), especialização em Especialização em língua portuguesa pela Universidade Estadual de Campinas(1983) e mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná(1981). Tem experiência na área de Lingüística.

Aparecida Feola Sella, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Possui Graduação em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (1987), Mestrado em Letras pela Universidade Estadual Paulista (1994) e Doutorado em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2000). É docente da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) desde 1990 e atualmente é Professor Associado C. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e pesquisa principalmente os seguintes temas: textualidade, argumentação e aplicação ensino da gramática na escola.

Maria Marlene Marcon Bósio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Possui graduação em Letras pela Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul (1977) e mestrado em Letras -Linguagem e Sociedade pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2005). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em análise linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino, gramática, produção textual, análise de livro didático. 

Publicado
2020-12-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 56
  • PDF downloads: 37
Como Citar
Fungueto, A. D., Sella, A. F., & Bósio, M. M. M. (2020). Processos de coesão textual em texto dissertativo do vestibular Indígena/Unioeste. Abatirá - Revista De Ciências Humanas E Linguagens, 1(2), 291 - 307. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/9433