Noção iorubá de pessoa

Modelo identificatório negro-africano

Resumo

No âmbito dos debates sobre identidade e pertença grupal, este artigo objetiva apresentar a construção das identidades de sacerdotes do Egbé Oduduwa, coletivo de templos da Religião Tradicional Iorubá, orientada pela noção iorubá de pessoa. Parte-se das hipóteses de que as noções de raça e de racismo estão entre as bases do colonialismo, do pós-colonialismo e das relações étnico-raciais no Brasil, mas pode-se enfrentar o sofrimento decorrente deste quadro por meio da adesão a grupos de pertença que adotem modelos civilizatórios negrocêntricos. A investigação, com inspiração etnográfica e psicossocial, associou uma etapa de levantamento bibliográfico a uma etapa de campo, apoiada em observação participante e na aplicação de questionários semiestruturados a 13 entrevistados. O trato das entrevistas permitiu o levantamento e o debate dos seguintes temas: relações étnico-raciais; iwá (síntese de elementos como comportamento e caráter); papéis; tradição; devoção e religiosidade; busca espiritual; convívio entre membros do Egbé Oduduwa; e identidade religiosa e modelos de conduta. Os resultados da investigação convidam a construir uma ciência que dialogue com saberes tradicionais negro africanos e afrodiaspóricos para combater a discriminação étnico-racial e evidenciar o fato de que povos tradicionais, dotados de complexos e admiráveis corpos de saberes, têm muito a oferecer no processo contínuo de (re)construção teórico-metodológica da academia. Tratar desses saberes com uma perspectiva descolonizante, dar voz a tradicionalistas negro-africanos e a não africanos identificados com modelos negro-africanos, debater as relações étnico-raciais no Brasil e o sofrimento psíquico delas decorrente, situar as oralidades africanas no mesmo patamar que a escrita e as escritas de africanos e latinos no mesmo patamar que as de euramericanos e abordar religiões não hegemônicas na academia são necessidades urgentes, bem como desenvolver novas investigações sobre a construção de identidades pelo modelo civilizatório iorubá, sua noção de pessoa e seu sistema teológico.

Palavras-chave: Iorubás (grupo étnico); Noção Iorubá de Pessoa; Religião Tradicional Iorubá; Identidade; Relações Étnico-Raciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Ribeiro Frias, Laboratório de Estudos Psicossociais do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

Doutor pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IPUSP). Mestre e graduado pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Membro do Cog – R (Grupo de Estudos de Ciência Cognitiva da Religião), do InterPsi (Laboratório de Estudos Psicossociais), e do Centro Cultural Oduduwa.

Referências

A – Fontes orais

Bàbáláwo Awódìran ñówùnmí. Sacerdote especializado no culto a ðrúnmìlà-Ifá.

Bàbáláwo Fábùnmi ñówùnmí (in memorian). Sacerdote especializado no culto a ðrúnmìlà-Ifá, pioneiro no resgate do culto a este orixá no Brasil.

Bàbáláwo Tajudeen Ayonleifa Kareem (Bàbá ÀárÄ). Sacerdote especializado no culto a ðrúnmìlà-Ifá.

Bàbálórìæà Adéæínà Síkírù Sàlámì (Babá King). Sacerdote especialista no culto a diversos orixás, entre os quais ñàngó.

Bàbálórìæà Adéæíæà Nurudeen Adébísí. Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás, entre os quais þæun.

Bàbálórìæà Àkànjí Adébísí. Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás, entre os quais þæun.

Bàbálórìæà ErinlÄ (in memorian). Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás, entre os quais ErinlÄ.

Bàbálórìæà Ifagbolahan Jolaoso (Bàbá ïgbÅ). Sacerdote especializado nos cultos a ïgbÅ Aráagbó, Ìbéjì e Kori.

Bàbálórìæà Ifáyämí Ayégbajéjé. Sacerdote especializado no culto a Àjàgùnmàlè.

Bàbálórìæà Kazeem KúyÄ (ñónæó). Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás.

Bàbálórìæà Morufu Àjàní Ifádìmy. Mestre-músico-historiador.

Bàbálórìæà Ocimar Carmaliengo. Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás.

Bàbálórìæà Rahid Akinbile. Mestre-músico-historiador.

Bàbálórìæà Wagner Roberto Rodrigues. Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás.

Bàbálórìæà Wasiu Adeyååye (BabábËlá). Sacerdote especializado nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Ayijutu Pópóålá (Ìyáæolà). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás, entre os quais Ìyámi Òæòròngà.

Ìyálórìæà Jasmina Audic. Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Kehinde Abeke Tiamiyu (Ìyá ÀbíyÅ) (in memorian). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás, entre os quais Ìyámi Òæòròngà.

Ìyálórìæà Maria Aran Cardelo (Mãe Maria Caamaño). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Maria de Lurdes Batista Barbosa Salla. Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Mojíæólá ÀbÄbí AkibÆ (Ìyálóde). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás, entre os quais Ìyámi Òæòròngà.

Ìyálórìæà Nilza Menezes Lino Lagos. Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Òbímònùré Àæàbí Diyaolù (in memorian). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás, pioneira no resgate do culto a Ìyámi Òæòròngà no Brasil.

Ìyálórìæà Risikat Àyìndé (Ìyárùká). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Ronilda Iyakemi Ribeiro. Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás.

Ìyálórìæà Saudat Dìsu (Ìyá Èæù). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás, entre os quais Èæù.

Ìyálórìæà Wosilatu Amope Ogunbayo (Ìyá PàlàkÅ). Sacerdotisa especializada nos cultos a diversos orixás, entre os quais ðæálá.

B – FONTES IMPRESSAS

ABIMBOLA, W. Iwapele: The yoruba concept of good character. In: Abimbola, W. (Ed.). Yoruba Oral Literature. Ibadan: University of Ibadan Press, 1975.

ADEMOWO, A. J.; BALOGUN, N. O. Proverbs and Conflict Management in Africa: A Study of Selected Yoruba Proverbs and Proverbial Expressions. International Journal of Literature, Language and Linguistics, Vol. 1(1), pp. 039-044, September, 2014. Disponível em: <https://premierpublishers.org/ijlll/031020146643>. Acesso em: 16 out. 2018.

ALMEIDA, S. L. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2018. Coleção Femininos Plurais.

AWOLALU, J. O. What is African Traditional Religion? Studies in Comparative Religion, Vol. 10, No. 2, Spring, 1976. Disponivel em: . Acesso em: 06 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS. 2. Ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2013.

CÉSAIRE, A. Discurso sobre o colonialismo. [1955]. Lisboa: Sá da Costa, 1978.

CIAMPA, A. C. A estória do Severino e a história da Severina. Um ensaio de Psicologia Social. São Paulo: Brasiliense, 1987.

COMAS-DÍAZ, L. Cultural Variation in the Therapeutic Relationship. In: GOODHEART, C. D.; KAZDIN, A. E.; STERNBERG, R. J. (Eds.). Evidence-based psychotherapy: Where practice and research meet. Washington, DC, US: American Psychological Association, 2006, pp. 81-105. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1037/11423-004>. Acesso em: 25 jan. 2016.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Relações Raciais: Referências Técnicas para atuação de psicólogas/os. Brasília: CFP, 2017. 147 p. ISBN: 9788589208673.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA. Terceira Região, Bahia – XIII Plenário. Psicologia e relações raciais. 2010.

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA. Sexta Região, São Paulo. Coleção Psicologia, Laicidade e as relações com a religião e a espiritualidade. São Paulo: CRPSP, 2016. 3 v.

CORRÊA, M. R. Nina Rodrigues e a “garantia da ordem social”. Revista USP, São Paulo, n. 68, p. 130-139, dezembro/fevereiro 2005-2006.

CUNHA, R. R. T.; SANTOS, A. O. A produção de Dante Moreira Leite (1927-1976) na compreensão das relações étnico-raciais no Brasil. Revista de Psicologia da UNESP 14(1), 2015, pp. 43-55. Disponível em: <http://seer.assis.unesp.br/index.php/ psicologia/article/view/550>. Acesso em: 16 out. 2018.

DIAZ, R. B. C; RIBEIRO, R. I. Ifá-Orunmilá em Cuba e no Brasil. In: PINTO, E.; ALMEIDA, I. A. (Orgs.). Religiões, Tolerância e Igualdade no Espaço da Diversidade (Exclusão e inclusão social, étnica e de gênero). São Paulo: Fala Preta! Organização de Mulheres Negras, 2004, v. 2.

EKANOLA, A. B. A Naturalistic interpretation of the yoruba concepts of Orí. Philosophia Africana, vol. 9, no. i, march 2006, pp. 41-52.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Tradução de José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968. Coleção “Perspectivas do homem” n. 42.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FAYEMI, A. K. Human Personality and the Yoruba Worldview: An Ethico-Sociological Interpretation. The Journal of Pan African Studies, vol. 2, no. 9, March 2009, p. 166-176. Disponível em: <http://www.jpanafrican.org/docs/vol2no9/2.9_Human_Personality _and_the_Yoruba_Worldview.pdf>. Acesso em: 16 out. 2018.

FRIAS, R. R. Metamorfoses identitárias de lideranças religiosas não iorubás inspiradas no convívio com lideranças religiosas iorubás. Tese apresentada ao Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (PST) como exigência parcial para obtenção do grau de doutor. Orientador: Prof. Dr. Alessandro de Oliveira dos Santos. São Paulo: 2019.

FRIAS, R. R. Matriz iorubá da religiosidade afro-brasileira: levantamento de teses e dissertações de psicologia abrigadas pela Universidade de São Paulo. In: Conselho Regional de Psicologia de São Paulo. Psicologia, laicidade e as relações com a religião e a espiritualidade. Volume 1: Laicidade, religião, direitos humanos e políticas públicas. São Paulo: CRP-SP, 2016, pp. 199-204. ISBN: 978-85-60405-305.

FRIAS, R. R. Psicologia, concepção iorubá de pessoa e religiosidade brasileira: diálogo possível. In: Conselho Regional de Psicologia de São Paulo. Psicologia, laicidade e as relações com a religião e a espiritualidade. Volume 2: Na fronteira da psicologia com os saberes tradicionais: práticas e técnicas. São Paulo: CRP-SP, 2016, pp. 175-180. ISBN: 978-85-60405-32-9.

FRIAS, R. R. RIBEIRO, R. I. “Buscando a felicidade em religiões brasileiras de matrizes africanas. A função educacional do Oduduwa Templo dos Orixás”, X Seminário: Psicologia e Senso Religioso. Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia. GT Psicologia e Religião. Anais do Seminário. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 9-11 nov. 2015. Disponível em: .

GOMES, J. D. Os segredos de Virgínia: estudo de atitudes raciais em São Paulo (1945-1955). 2013. 180 p. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Orientador: Kabengele Munanga. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, 2013.

ILORI, O. S.; ADEBAYO, S. O.; OGUNLEYE, A. J. Religiosity, paranormal beliefs and psychopathological symptoms in two ethnic samples. Humanities and Social Sciences Letters, 2014, 2(4): 192-202. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/ 272970146_Religiosity_Paranormal_Beliefs_and_Psychopathological_Symptoms_in_two_Ethnic_samples>. Acesso em: 16 out. 2018.

MARALDI, E. O.; ZANGARI, W. A psicologia frente às práticas mediúnicas: da perspectiva patológica à perspectiva psicossocial. In: Coleção Psicologia, laicidade e as relações com a religião e a espiritualidade. Volume 2: Na Fronteira da Psicologia com os Saberes Tradicionais: Práticas e Técnicas, 2016.

MARALDI, E. O.; ZANGARI, W. Individual and group dialectics in the study of mediumship: a psychosocial perspective. The Paranormal Review, 2013, 66, p. 14-18. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/266389754 _Individual_and_group_dialectics _in_the_study_of_mediumship_a_psychosocial_perspective>. Acesso em: 16 out. 2018.

MARTINS, E.; SANTOS, A. O.; COLOSSO, M. Relações étnico-raciais e psicologia: publicações em periódicos da SciELO e Lilacs. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 15(3), 118-133. São Paulo, SP, set.-dez. 2013. ISSN 1516-3687 (impresso), ISSN 1980-6906 (on-line). Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872013000300009>. Acesso em: 16 out. 2018.

MBEMBE, A. Necropolitics. Public Culture, 15(1): 11–40, 2003.

MBEMBE, A. Provisional notes on the postcolony. Journal of the International African Institute, vol. 62, No. 1 (1992), pp. 3-37. Disponível em: <http://www.jstor.org/ stable/1160062?seq=1#page_scan_tab_contents>. Acesso em: 26 set. de 2014.

MONTERO, P. Religião, pluralismo e esfera pública no Brasil. Novos estud. - CEBRAP, São Paulo, n. 74, p. 47-65, mar. 2006. Disponível em: <http://.scielo.br/scielo.php?script= sci_arttext&pid=S0101-33002006000100004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 17 nov. 2016.

OLIVA, A. R. De indígena a imigrante: o lugar da África e dos africanos no universo imaginário português dos séculos XIX ao XXI. Sankofa. Revista de história da África e de estudos da diáspora africana, n. 3, p. 32-51, jun. 2009a. Disponível em: <http://sites.google.com/site/revistasankofa>. Acesso em: 17 nov. de 2016.

OLIVA, A. R. A invenção da África no Brasil: os africanos diante dos imaginários e discursos brasileiros dos séculos XIX e XX. Revista África e Africanidades, Rio de Janeiro, v. 1, n. 4, 27 p., fev. 2009b. Disponível em: <http://www.africaeafricanidades.com>. Acesso em: 17 nov. 2016.

OLIVA, A. R. Lições sobre a África: diálogos entre as representações dos africanos no imaginário ocidental e o ensino da História da África no mundo atlântico (1990-2005). 415 f. Tese (Doutorado em História Social). Orientadora: Selma Alves Pantoja. Brasília, D.F.: Universidade de Brasília, 2007.

OLIVA, A. R. Os africanos entre representações: viagens reveladoras, olhares imprecisos e a invenção da África no imaginário ocidental. Tempo de Histórias, n. 9 (2005), pp. 90-114. Disponível em: <http://www.scielo.br>. Acesso em: 17 nov. de 2016.

OLUSEGUN, O. Yoruba indigenous drums: an aesthetic symbol in ecological ritual of the yoruba people. European Scientific Journal, February 2015, vol.11, No.5. ISSN: 1857 – 7881 (Print) e - ISSN 1857- 7431.

ỌSANYÌNBÍ, Ọ. B., FALANA, K. (2016). An Evaluation of the Akurẹ Yorùbá Traditional Belief in Reincarnation. Open Journal of Philosophy, 6, 59-67. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.4236/ojpp.2016.61007>. Acesso em: 16 out. 2018.

PENA, S. D. J. Razões para banir o conceito de raça da medicina brasileira. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 321-346, ago. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702005000200006&lng=en& nrm =iso>. Acesso em: 27 jan. 2016.

PENA, S. D. J.; BIRCHAL, T. S. A inexistência biológica versus a existência social de raças humanas: pode a ciência instruir o etos social? REVISTA USP, São Paulo, n.68, p. 10-21, dezembro/fevereiro 2005-2006.

PENA, S. D. J.; BORTOLINI, M. C. Pode a genética definir quem deve se beneficiar das cotas universitárias e demais ações afirmativas? Estud. av., São Paulo, v. 18, n. 50, p. 31-50, apr. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142004000 100004&lng=en&nrm=iso>.Accesso em: 27 jan. 2016.

PEREIRA, M. E. C.; GUTMAN, G. Primitivo e loucura, ou o inconsciente e a psicopatologia segundo Arthur Ramos. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., X, 3, 517-525, set. 2007.

RIBEIRO, R. I. Pacto pela vida: diálogo da Psicologia com Saberes Tradicionais (africanos) e inserção desse diálogo no Sistema Conselhos de Psicologia. In: BERNI, L. E. V. (Org.). Misticismo e Saúde numa perspectiva transdisciplinar. Série O Homem alfa e ômega da Criação. Curitiba: Grande Loja da Jurisdição de Língua Portuguesa, 2014a, v. 6, Cap. 12, p. 399-418.

RIBEIRO, R. I. Tradições africanas: aconselhamento oracular iorubá. In: BERNI, L. E. V. (Org.). Misticismo e Saúde numa perspectiva transdisciplinar. Série O Homem alfa e ômega da Criação. Curitiba: Grande Loja da Jurisdição de Língua Portuguesa, 2014b, v. 6, cap. 11, pp. 365-398.

RIBEIRO, R. I. Batuque on line: religiões de matriz africana no ciberespaço. Identidade étnico-religiosa e democratização da informação. In Marin, J. R. (Org.). Religiões e identidades. 1. Ed. Campo Grande: UFGD, 2011.

RIBEIRO, R. I. O Sagrado. Concepção Iorubá (Africa Ocidental). In: BASSANI, M.; ANCONA-LOPEZ, M. O Espaço Sagrado: espiritualidade e meio ambiente. São Paulo: ESETec, 2010.

RIBEIRO, R. I. Oduduwa Templo dos Orixás. Território de entrelaçamento de religiões brasileiras de matriz africana. X Simpósio da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR): Migrações e Imigrações das Religiões. Assis, 2008. Disponível em: <http://www.assis.unesp.br/abhr>. Acesso em: 12 mai. 2016.

RIBEIRO, R. I. Aconselhamento por meio do Oráculo de Ifá: um enfoque etnopsicológico. In ARCURI, I.; ANCONA-LOPEZ, M. (Orgs.). Temas em Psicologia da Religião. São Paulo: Vetor, 2007, pp. 281-308.

RIBEIRO, R. I. Psicoterapia e Religiões Brasileiras de Matriz Africana. In AMATUZZI, M. (Org.). Psicologia e Espiritualidade. São Paulo: Paulus, 2005, pp. 173-204.

RIBEIRO, R. I. Representação das religiões de matriz africana e identidade étnico-religiosa no Brasil. Macumba? Isso é coisa de preto! In Paiva, Geraldo José & Zangari, Wellington (Orgs.). A Representação na Religião: Perspectivas Psicológicas. São Paulo: Loyola, 2004.

RIBEIRO, R. I. Resenha da obra de SANTOS, Helio. A busca de um caminho para o Brasil. A trilha do círculo vicioso. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2001. São Paulo, Revista Momentos do Professor, 2003.

RIBEIRO, R. I. Até quando educaremos exclusivamente para a branquitude? Redes-de-significado na construção da identidade e da cidadania. In: CATANI, A.; PRUDENTE, C. Negro, Educação e Multiculturalismo. São Paulo: Panorama do Saber, 2002, v.1, pp. 27-32.

RIBEIRO, R. I. Identidade do afrodescendente e sentimento de pertença a networks organizados em torno da temática racial. In: BACELAR, J.; CAROSO, C. (Org.). Brasil: um país de negros? 2 Ed. Rio de Janeiro: Pallas; Salvador: CEAO, 1999, v. 1, pp. 235-252.

RIBEIRO, R. I. Alma africana no Brasil. Os Iorubás. São Paulo: Oduduwa, 1996.

RIBEIRO, R. I. Mãe Negra: o significado iorubá da maternidade. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Orientador: Kabengele Munanga. São Paulo: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 1996.

RIBEIRO, R. I. A Mulher, o Tempo e a Morte. Um estudo sobre envelhecimento feminino no Brasil e na Nigéria. Tese (Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano). Orientadora: Melany Copit. São Paulo: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 1987.

RIBEIRO, R. I.; SÀLÁMÌ, S. Omoluwabi, Alakoso, teu caráter proferirá sentença a teu favor! Valores pessoais e felicidade na sociedade iorubá. In: ANGERAMI, W. A. – Camón (Org.). Psicologia e Religião. São Paulo: Cengage Learning, 2008, pp. 179-213.

RIBEIRO, R. I.; SÀLÁMÌ, S.; DIAZ, R. B. C. Por uma psicoterapia inspirada nas sabedorias negro-africana e antroposófica. In: ANGERAMI, V. A. – Camón (Org.). Espiritualidade e Prática Clínica. São Paulo: Thomson, 2004, pp 85-110.

SÀLÁMÌ, S. (King); FRIAS, R. R.; ALLI, I. Dicionário de Iorubá-Português. Dicionário de Português-Iorubá. São Paulo: Oduduwa, 2020. No prelo.

SÀLÁMÌ, S. (King); RIBEIRO, R. I. Exu e a ordem do universo. 2. Ed. São Paulo: Oduduwa, 2015.

SÀLÁMÌ, S. A Mitologia dos Orixás Africanos: Coletânea de Àdúrà (Rezas), Ibá (Saudações), Oríkì (Evocações) e Orin (Cantigas) usados nos cultos aos orixás na África. (Em iorubá com tradução para o português). São Paulo: Oduduwa, 1990.

SÀLÁMÌ, S. Cânticos dos Orixás na África. São Paulo: Oduduwa, 1992.

SÀLÁMÌ, S. Ogum: Dor e júbilo nos rituais de morte. São Paulo: Oduduwa, 1999a.

SÀLÁMÌ, Sikiru King. Poemas de Ifá e valores de conduta social entre os Yoruba da Nigéria (África do Oeste). Tese (Doutorado em Sociologia). Orientador: Prof. Dr. Fábio Rubens da Rocha Leite. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Departamento de Sociologia, 1999b.

SANTOS, A. O. Representações sociais de saúde e doença no Candomblé Jejê-Nagô do Brasil. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social). Orientadora: Ronilda Ribeiro. São Paulo: Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, 1999. 163 p.

SANTOS, A. O.; FERNANDES, S. L. . A Psicologia na compreensão da identidade étnico-racial do negro no Brasil. In: Iolanda de Oliveira; Márcia Maria de Jesus Pessanha. (Org.). Educação e Relações Raciais. 01ed.Niterói-RJ: EdUFF - Editora da Universidade Federal Fluminense, 2016, v. 02, p. 259-275.

SANTOS, A. O.; FERNANDES, S. L.; CASCO, R. Formas de resistência da cultura negra em uma perspectiva que abrange desde os movimentos sociais até as políticas de ação afirmativa (Leis 10.639 e 11.645). In: Martins, E.; Candido, R. M. (Eds.). Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação para as Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História e Cultura Afrobrasileira e Africana. São Paulo: UNIFESP, Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais da Educação Básica – COMFOR, 2015a, pp. 4-37.

SANTOS, A. O.; FERNANDES, S. L.; CASCO, R. A importância da cultura africana e afro-brasileira na história do Brasil. In: Martins, E.; Candido, R. M. (Eds.). Diretrizes curriculares nacionais da educação para as relações étnico-rraciais e para o ensino da história e cultura afrobrasileira e africana. São Paulo: UNIFESP, Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais da Educação Básica – COMFOR, 2015b, pp. 38-56.

SANTOS, A. O.; SCHUCMAN, L. V. Desigualdade, relações raciais e a formação de psicólogo(as). Rev. Epos [online], 2015, vol. 6, n. 2, pp. 117-140. ISSN 2178-700X. Disponível em: <http://revistaepos.org/>.

SANTOS, A. O.; SCHUCMAN, L. V.; MARTINS, H. V. Breve historico del pensamiento psicologico brasileño sobre relaciones étnico-raciales. Psicologia: Ciência e Profissão, 2012, 32 (num. esp.), 166-175.

SANTOS, R. V.; BORTOLINI, M. C.; MAIO, M. C. No fio da navalha: raça, genética e identidades. Revista USP, 68 (2006): 22-35.

SCHUCMAN, L. V.; NUNES, S. S.; COSTA, E. S. A Psicologia da Universidade de São Paulo e as relações raciais: perspectivas emergentes. Psicol. USP. São Paulo, 2015. Disponivel em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65642015005032413&lng=en&n rm=iso>. Accesso em: 13 jul. 2015.

SILVA, V. G. Neopentecostalismo e religiões afro-brasileiras: significados do ataque aos símbolos da herança religiosa africana no Brasil contemporâneo. In: Mana [online], v. 13, n. 1, 2007, pp. 207-236. Disponível em: <http://www.scielo.br>. Acesso em: 28. nov. de 2008.

SILVA, V. G. Religiões afro-brasileiras: Construção e legitimação de um campo do saber acadêmico (1900-1960). Revista USP, São Paulo, n. 55, pp. 82-111, set./nov. 2002.

SILVA JR, H. (Coord.). Diversidade étnico-racial e pluralismo religioso na cidade de São Paulo. São Paulo: Prefeito de São Paulo, Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial – SMPIR, 2016.

VERGER, P. F. Noção de pessoa e linhagem familiar entre os iorubás. In: Moura, C. E. M. (Org.). Saída de Iaô. Cinco ensaios sobre a religião dos orixás. Pierre Verger. Salvador: Fundação Pierre Verger, Axis Mundi, 2002.

YIN, Robert K. Estudo de Caso. Planejamento e Métodos. Trad. Daniel Grasni. 3. Ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

ZANGARI, W. Incorporando papéis: uma leitura psicossocial do fenômeno da mediunidade de incorporação em médiuns de Umbanda. São Paulo, 2003. 350 p. Tese (Doutorado em Psicologia Social). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2003.

ZANGARI, W.; MACHADO, F. R.; MARALDI, E. O.; MARTINS, L. B. A questão “psico-social” a partir do estudo de experiências anômalas/religiosas. In: SILVA JR, N.; ZANGARI, W. (Orgs.). A psicologia social e a questão do hífen. São Paulo: Blucher, 2017, pp. 71-81. Disponível em: <https://www.researchgate.net/ publication/ 317715399_A_questao_psico-social_a_partir_do_estudo_de_experiencias_anomalas_ religiosas>. Acesso em: 22 abr. 2018.

Publicado
2020-12-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1018
  • PDF downloads: 125
Como Citar
Frias, R. R. (2020). Noção iorubá de pessoa: Modelo identificatório negro-africano. Abatirá - Revista De Ciências Humanas E Linguagens, 1(2), 351 - 386. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/8847