Disputas por memória e as políticas para o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em Santa Catarina (2003 – 2018)

Resumo

O presente artigo tem por objetivo problematizar o processo de implementação das políticas para o Ensino da História e da Cultura Afro-Brasileira e Africana no Estado de Santa Catarina, a partir da constituição do Núcleo de Estudos Afrodescendentes (NEAD) e de sua produção material. Entre as fontes arroladas para a escrita deste estudo têm-se documentos oficiais (portarias e caderno de orientação acerca da temática africana e afro-brasileira), fotografias e entrevista. Trata-se de um estudo sedimentado na História do Tempo Presente, pelas questões que envolvem as demandas sociais e as disputas por memória no interior dos debates advindos pela sanção da Lei nº10. 639/03 que impactaram os projetos de ensino nas últimas décadas.

Palavras – chave: Lei nº 10.639/03; Ensino da História e da Cultura Africana e Afro-Brasileira; Núcleo de Estudos Afrodescendentes de Santa Catarina; História do Tempo Presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Andrezza Vieira, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduada em História pela UFSC (2001). Mestre em Ensino de História pela UDESC (2016). Atualmente é  doutoranda do PPGH - UDESC (ingresso em 2018). É professora da Educação Básica do estado de Santa Catarina e bolsista UNIEDU/SC.

Referências

ABREU, Martha & MATTOS, Hebe. Em torno das “Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana”: uma conversa com historiadores. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 21, nº 41, janeiro-junho de 2008, p. 5-20.

ABREU, Martha; SOIHET, Rachel; TEIXEIRA, Rebeca (orgs.). Cultura Política, historiografia e ensino de História. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010.

ALBERTI, Verena. Manual de história oral. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

ARÓSTEGUI, Júlio. História e historiografia: os fundamentos. In: A pesquisa histórica: teoria e método. Tradução de Andréa Dore. Bauro/SP: Edusc, 2006, p.23-96.

BARBOSA, Lucia Maria de Assunção; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. O pensamento negro em educação no Brasil: expressões do movimento negro. São Carlos: UFSCar, 1997.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Senado Federal, 1998.

BRASIL. Presidência da República. Lei n° 10.639/03, de 09 de janeiro de 2003. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira". Disponível em: http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm. Acesso em: 23 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. MEC/SECAD, 2004. Disponível em: http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/20 12/10/DCN-s-Educacao-das-Relacoes-Etnico-Raciais.pdf. Acesso em: 23 jan. 2019.

CASHMORE, Elli (Org). Racismo e Anti – racismo na educação: repensando nossa escola. São Paulo: Summus, 2001.

GOMES, Angela de Castro. Cultura Política e Cultura Histórica no Estado Novo. In: ABREU, Martha; SOIHET, Rachel; TEIXEIRA, Rebeca (orgs.). Cultura Política, historiografia e ensino de História. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010. p. 43-63.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2011.

KOSSOY, Boris. A fotografia como fonte histórica: introdução à pesquisa e interpretação das imagens do passado. São Paulo, Museu da Ind. Com. e Tecnologia de São Paulo — SICCT — 1980.

LEMOS, Selma David. [dez.2019]. Entrevistadora: Karla Andrezza Vieira. Florianópolis/SC, 10 de dez. 2019.

PEREIRA, Júnia Sales. Diálogos sobre o Exercício da Docência – recepção das leis 10.639/03 e 11.645/08. Educ. Real. Porto Alegre, v. 36, n.1, p. 147-172, jan./abr., 2011. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade. Acesso: 18 de mar. 2018.

Quijano, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Edgardo Lander (org.). Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. setembro 2005.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas/SP: Editora da Unicamp, 2007.

SANTA CATARINA, Secretaria de Estado da Educação. Proposta Curricular de Santa Catarina: formação integral na educação básica. [S.I.]: [S.n.], 2014. 192p.

______. Política de Educação para as Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Florianópolis: Secretaria de Estado da Educação, 2018.

SILVA, Petronilha Beatriz. Parecer da Lei 10.639-03. Brasília, MEC. 2005.

SOUZA, Marina de Mello e. Algumas impressões e sugestões sobre o ensino de história da África. Revista História Hoje, v.1, 2012.

Publicado
2020-12-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 28
  • PDF downloads: 30
Como Citar
Vieira, K. A. (2020). Disputas por memória e as políticas para o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em Santa Catarina (2003 – 2018). Abatirá - Revista De Ciências Humanas E Linguagens, 1(2), 418 - 441. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/8724