O nexo de raça e classe no ensino de Língua Inglesa

Das ordens de interação às ordens do ser

Resumo

Este trabalho contribui para os estudos de raça e classe no Ensino de Língua Inglesa (ELT), analisando a produção local de significados em encontros pedagógicos mediados por livros didáticos internacionais, tendo como foco as hierarquias ocupacionais racializadas no Brasil. Procuramos situar estes significados nos quadros interpretativos fornecidos a partir das experiências de duas estudantes universitárias negras, de primeira geração, que conectamos com histórias desumanizantes de relações de trabalho e representações limitadas em livros didáticos. Os resultados sugerem que, por confiar em livros didáticos de circulação mundial, o ensino da língua inglesa no Brasil apresenta cenários interacionais que são, muitas vezes, espaços de discriminação racial. Seguindo o conceito de opressão racial, proposto por Grosfoguel e Sousa Santos, identificamos as ordens de racialização do ser como uma categoria analítica que permite fazer conexões entre a política econômica e o ensino de línguas, inclusive dentro de esforços pedagógicos antirracistas.

Palavras-chave: Análise de livros didáticos; política econômica; racialização; classe social; estudos decoloniais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Nascimento dos Santos, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)

Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), professor de Língua Inglesa/Ensino de Línguas/Campo da Educação na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), é autor dos livros “Racismo linguístico: os subterrâneos da linguagem e do racismo” (Letramento Editorial), “O Maníaco das Onze e Meia” (Editora Multifoco) e “Este fingimento e outros poemas” (Editora García).

Joel Austin Windle, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Doutor em Educação (The University of Melbourne, UNIMELB, Austrália), professor do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas e do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal Fluminense, onde também coordena o Núcleo de Estudos Críticos em Linguagens, Educação e Sociedade (NECLES), é editor da série New Perspectives on Language and Education pela editora Multilingual Matters, e editor associado das revistas Trabalhos em Linguística Aplicada e Critical Studies in Education.

Luciana Maira de Sales Pereira, Instituto Federal do Acre (IFAC)

Graduada em Letras Licenciatura (habilitação Português, Inglês e Espanhol) pelo Centro Universitário do Norte Paulista - UNORP, Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Letras Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre/UFAC, atua nas áreas de semiótica, estudos da tradução, estudos culturais e pós-coloniais, multimodalidade e multiletramentos aplicados ao ensino-aprendizagem de Língua Inglesa. É docente de Língua Inglesa do Instituto Federal do Acre, líder do Grupo de Pesquisa em Estudos Linguísticos, Literários e de Tradução - GELLT/IFAC, vice-líder do Grupo de Pesquisa em Semiótica Peirceana da UFAC e tradutora.

Publicado
2020-12-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 106
  • PDF downloads: 106
Como Citar
Nascimento dos Santos, G., Austin Windle, J., & Maira de Sales Pereira, L. (2020). O nexo de raça e classe no ensino de Língua Inglesa: Das ordens de interação às ordens do ser. Abatirá - Revista De Ciências Humanas E Linguagens, 1(2), 681 - 707. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/abatira/article/view/10325