Pesquisaformação: uma opção teoricometodológica de abordagem narrativa (auto)biográfica. Artes de dizerfazerdizer os saberes da experiência

  • Thais da Costa Motta Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Inês Ferreira de Souza Bragança Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Pesquisa-formação, Abordagem (auto)biográfica, Narrativas docentes

Resumo

Ao longo dos anos, temos acompanhado como a pesquisa no campo da formação de adultos e, em especial, no campo da formação de professoras/es, tem se constituído a partir de um pressuposto de que a formação docente se dá em múltiplas temporalidades, por meio de um esforço consciente e desejante do sujeito pela sua própria formação. Desde modo, temos percebido o crescimento de uma produção fundamentada nos estudos narrativos (auto)biográficos, delineando um campo fundamentado em concepções teórico-metodológicas que se constitui de referências epistêmicas e uma potência instituinte. Neste estudo, objetivamos refletir sobre os modos como o Grupo Interinstitucional de Pesquisa-Formação Polifonia (UNICAMP/FFP-UERJ) tem pensado a pesquisaformação como uma palavra-conceito que traz princípios dialógicos para pensarfazer ciência, na Educação. Retomamos a trajetória epistêmico e teórico-metodológica da pesquisa autobiográfica, no que se refere à sua construção paradigmática complexa; trazemos para o diálogo a contribuição da literatura estrangeira e os movimentos que já se desdobravam nas pesquisas em Educação no Brasil e, em especial, partilhamos a experiência de uma pesquisaformação desenvolvida no contexto do referido grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thais da Costa Motta, Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Mestre em Educação pela Faculdade de Formação de Professora da UERJ. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal Fluminense. Pós-graduada em Psicopedagogia e formação em Atendimento Educacional Especializado (AEE-MEC). Atuou como professora da educação infantil e ciclo de alfabetização, sala de recursos e acompanhamento pedagógico especializado. Foi assessora pedagógica na Coordenação de Educação Infantil da Fundação Municipal de Educação de Niterói. Foi coordenadora pedagógica e gestora de duas unidades escolares em Itaboraí. Atualmente coordena a Supervisão Educacional da Secretaria Municipal de Educação de Itaboraí. É presidente do Conselho Municipal de Educação de Itaboraí para o biênio 2017-2019. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Educação Infantil e Formação de Professores. Integra os grupos de Pesquisa-formação Polifonia e o Grupo de Estudos e Pesquisa da(s) infância(as, formação de professores e diversidade cultural, e ambos integrantes do Núcleo de Pesquisa e Extensão Vozes da Educação: memória, história e formação de professores. Pesquisa sobre as infâncias, e a formação de professores das infâncias numa perspectiva (auto)biográfica.
Inês Ferreira de Souza Bragança, Universidade Estadual de Campinas

Pós-Doutorado pelo programa de Pós-Graduação em educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) e Doutora em Ciências da Educação pela Universidade de Évora-Portugal. Mestre em Educação, Especialista e Pedagoga, pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora Doutora da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE/UNICAMP), Coordenadora de Licenciaturas (Gestão 2018-2020) e Coordenadora da Linha de Pesquisa  Práticas Pedagógicas na Educação Básicado Mestrado Profissional em Educação Escolar. Atuou como professora da Faculdade de Formação de  Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ), de março de 2000 a fevereiro de 2017, onde foi Procientista e Jovem cientista do nosso Estado (FAPERJ). É professora colaboradora do Mestrado em Educação: Processos Formativos e Desigualdades Sociais, onde fez parte do corpo permanente e atuou como coordenadora adjunta e coordenadora nos anos de 2015 e 2016. É autora do livro Histórias de Vida e Formação de Professores: Diálogos entre Brasil e Portugal (2012) e organizadora de diversos livros, dentre os quais Narrativas, Formação e Trabalho Docente (2018); A Escrita de Narrativas Docentes (2017); Perspectivas Epistêmico-Metodológicas da Pesquisa (Auto)biográfica (2016); Pesquisa (Auto)biográfica, Fontes e Questões (2014); Memória, Dimensões Sócios Históricas e Trajetórias de Vidas (2012), dentre outras produções bibliográficas que incluem artigos e capítulos de livro.  É pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Continuada (GEPEC/UNICAMP) e do Núcleo de Pesquisa e Extensão Vozes da Educação (FFP/UERJ). Coordena o grupo interinstitucional de Pesquisa-Formação Polifonia (https://grupopolifonia.wordpress.com). 

Referências

ABRAHÃO. Maria Helena Menna Barreto. Intencionalidade, reflexividade, experiência e identidade em pesquisa (auto)biográfica: dimensões epistemo-empirícas em narrativas de formação. In: BRAGANÇA, I. F. S.; ABRAHÃO, M. H. M. B.; FERREIRA, M. S. (Orgs.) Perspectivas epistêmico-metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Curitiba: CRV, 2016. p. 54-78.

ALVES, Nilda. Sobre as razões das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. Revista Teias, Rio de Janeiro, PROPEd/UERJ, v. 4, p. 1-8, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2017.

BAKHTIN, Mikhail M. Para uma filosofia do ato responsável. 2. ed. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012.

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Brasília, Líber Livro Editora, 2007.

BARBIER, René. Escuta sensível na formação de profissionais de saúde. 2002. Disponível em: <http://www.barbier-rd.nom.fr/>. Acesso em: 07 abr. 2019.

BAUDOUIN, Jean-Michel; TURKAL, Laurence. Formations au singulier. Education Permanente, v. 1, n. 142, p. 45-61, 2000.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Pesquisaformação narrativa (auto)biográfica: trajetórias e tessituras teórico-metodológicas. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto; CUNHA, Jorge Luiz; BOAS, Lúcia Villas. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica: diálogos epistêmico-metodológicos. Curitiba: CRV, 2018, v.1, p. 65-81.

BRAGANÇA, I. F. S. Concepções e práticas de pesquisa narrativa: diálogos entre os núcleos Vozes, Gruprodoci e Gepec. In: GOUDARD, Maria Tereza; BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. (Orgs.) Vozes da educação 20 anos: memórias, políticas e formação docente. Niterói: Intertexto, 2016. v.1, p. 193-213.

BRAGANÇA, I. F. S. Histórias de vida e formação de professores: diálogos entre Brasil e Portugal. Rio de Janeiro: EDUERJ; FAPERJ, 2012. Disponível em: <https://doi.org/10.7476/9788575114698>. Acesso em: 2 abr. 2019.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. A formação de professores em trabalhos apresentados no Congresso Internacional de Pesquisa (Auto)biográfica. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Org.). A nova aventura (auto)biográfica. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2016b. v.1, p. 321-340.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza; OLIVEIRA, Mariza Soares. Pesquisa-formação, abordagem (auto)biográfica e acompanhamento: (re)construindo pontes entre a universidade e a escola. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 10., 2011, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2011. p. 1380-1391.

BRASIL. Lei 11.738 de 16 de julho de 2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, 17 jul. 2008. P. 1. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11738.htm>. Acesso em: 07 mar. 2019.

CONTRERAS DOMINGO, José. El saber de la experiencia en la formación inicial del professorado. Revista Interuniversitaria de Formación del Profesorado, v. 27, n. 3, p. 125-136, 2013.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Formação e socialização: os ateliês biográficos de Projeto. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 359-371, mai./ago. 2006.

DOMINICÉ, Pierre; GAULEJAC, Vincent de.; JOBERT, Guy; PINEAU, Gaston. Que faire des histoires de vie? Retour sur quinze ans de pratiques. Education Permanente, v. 1, n. 142, p. 217-239, 2000.

DOMINICÉ, Pierre. A biografia educativa: instrumento de investigação para a educação de adultos. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988. p. 99-106.

DOMINICÉ, Pierre. Learning from our lives: using educational biographies with adults. San Francisco: Jossey-Bass, 2000.

FARIA, Juliana Batista Faria. O naufrágio, o baile e a narrativa de uma pesquisa: experiências de formação de sujeitos em imersão docente. 2018. 385 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

FERRAROTTI, Franco. Histoire et histoires de vie: la méthode biographique dans les sciences sociales (2ª tirage). Paris: Méridiens Klincksieck, 1990.

JOSSO, Marie-Christine. As figuras de ligação nos relatos de formação: ligações formadoras, deformadoras e transformadoras. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, mai./ago. 2006. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2019.

JOSSO, Marie-Christine. Caminhar para si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa, 2002.

KOHAN, Walter Omar. Apontamentos filosóficos para uma (nova) política e uma (também nova) educação das infâncias. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUDESTE, 6., 2004, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2004. p. 1-12.

LEBERT, Georges. Automonie et autoréférence en éducation: quelques points de repère. Education Permanente, v. 1, n. 122, p. 191-200, 1995.

MOITA, Maria da Conceição. Percursos de Formação e de Trans-Formação. In: NÓVOA, António. (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992. p. 111-140.

MOTTA, Thais da Costa. A formação continuada e a dimensão formativa do cotidiano: narrativas de encontros entre professoras e crianças na Educação Infantil em Itaboraí. 2019. 189 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação – Processos Formativos e Desigualdades Sociais da Faculdade de Formação de Professores, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

NÓVOA, António. (Org.). Vidas de professores. Portugal: Porto Editora, 1992.

NÓVOA, António; FINGER, Matthias. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde/Depart. dos Recursos Humanos da Saúde/ Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988.

NÓVOA, António. (Org). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1999.

NÓVOA, António. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educação, 2009. Cap. 2, Professores Imagens do Futuro Presente, p. 25-46.

PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, Elizeu Clementino. O movimento (auto)biográfico no Brasil: esboço de suas configurações no campo educacional. Investigación Cualitativa, v. 2, n. 1, p. 6-26, 2017. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.23935/2016/01032>. Acesso em 09 abr. 2019.

PINEAU, Gaston. A autoformação no decurso da vida: entre a hetero e a ecoformação. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. (Orgs.) O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde/Depart. dos Recursos Humanos da Saúde/ Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988. p. 63-77.

PINEAU, Gaston. Temporalidades na formação: rumo a novos sincronizadores. São Paulo: TRIOM, 2003.

PRADO, Guilherme V. P.; MORAIS, Jaqueline de F. S. Inventário – Organizando os achados de uma pesquisa. EntreVer, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 137-154, 2011.

SANTOS, B. S.; MENEZES, M. P. (Orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SOLIGO, Rosaura. Metodologias dialógicas de formação. In: CONGRESSO FALA OUTRA ESCOLA, 7., 2015, Campinas. Anais... Campinas, SP: UNICAMP, 2015.

TITÃS. Eu Vezes Eu (1991). Tudo ao mesmo tempo agora. LP, gravado em 1992.

Publicado
2019-12-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1458
  • PDF downloads: 638
Como Citar
MOTTA, T. DA C.; BRAGANÇA, I. F. DE S. Pesquisaformação: uma opção teoricometodológica de abordagem narrativa (auto)biográfica. Artes de dizerfazerdizer os saberes da experiência. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, n. 12, p. 1034-1049, 26 dez. 2019.