Pelos caminhos de Amália: do antigo norte goiano à capital do estado de Goiás

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1121

Palavras-chave:

Amália Hermano Teixeira., História Regional., Biografia.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo compreender como foi a atuação de Amália Hermano Teixeira – mulher tocantinense/goiana – em diversas áreas do conhecimento. A investigação pautou-se na análise de seu acervo pessoal – que se encontra no Instituto Histórico e Geográfico de Goiás (IHGG) – além de suas publicações em forma de artigos em revistas científicas, livros autorais, e ainda, por meio da produção bibliográfica sobre ela. A fundamentação teórica baseou-se, por um lado, na História Cultural, com vistas a um melhor entendimento sobre a participação do indivíduo como agente histórico. Os resultados apontam que Amália foi uma personalidade que se destacou em diversos setores do conhecimento, com atuação na docência, no jornalismo, na advocacia e na botânica. Amália conseguiu dar visibilidade à flora cerratense, especialmente às orquídeas, e como colecionadora e amante da natureza, promoveu e participou de eventos, publicando diversos trabalhos com a finalidade de divulgar os seus conhecimentos sobre educação, clubes agrícolas, natureza e principalmente sobre as orquídeas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Castorina Gonçalves Gundim Lemes, Universidade Estadual de Goiás

Mestre em Ciências Sociais e Humanidades pelo Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Territórios e Expressões Culturais no Cerrado (PPG-TECCER) da Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Maria de Fátima Oliveira, Universidade Estadual de Goiás

Pós-doutorada em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG) doutora em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Professora/pesquisadora na Universidade Estadual de Goiás (UEG), Unidade Universitária de Ciências Socioeconômicas e Humanas (CCSEH) – Nelson de Abreu; membro dos Grupos de Pesquisa: Saberes, Cultura e Meio Ambiente e Saberes, Expressões Culturais e Estéticas no Cerrado

Júlio Cezar Milhomens Pereira, Universidade Estadual de Goiás

Mestre em Ciências Sociais e Humanidades pelo Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Territórios e Expressões Culturais no Cerrado (PPG-TECCER) da Universidade Estadual de Goiás (UEG)

Referências

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS (ALEGO). O Batismo Cultural de Goiânia ou a “inauguração oficial" da capital de Goiás é o marco registrado na série “Nossa história”. 2021. Disponível em: https://portal.al.go.leg.br/noticias/120589/o-batismo-cultural-de-goiania-ou-a-inauguracao-oficial-da-capital-de-goias-e-o-marco-registrado-na-serie-nossa-historia. Acesso em: 26 jan. 2023.

ARAÚJO, Jaqueline Veloso Portela de; RODRIGUES, Anderson de Brito; CATÃO, Alvinan Magno Lopes. Amália Hermano Teixeira (1961-1991). In: VALDEZ, Diana. Dicionário de educadores em Goiás: séculos XVIII-XXI. Goiânia: Imprensa Universitária, 2017, p. 45-48.

BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de educação. Petrópolis: Vozes, 1979. p. 73-79 (3. ed., 2001).

BORGES, Rogério. Amália Hermano. O Popular, s/p, 27 mar. 2018. Disponível em: https://opopular.com.br/noticias/80-anos/am%C3%A1lia-hermano-1.1490320. Acesso em: 13 out. 2022.

BORGES, Rogério. Legado redescoberto. O Popular, 6 p., 25 mai. 2011. Disponível em: https://www.opopular.com.br/noticias/magazine/legado-redescoberto-1.4135. Acesso em: 8 jun. 2021.

BRASIL. Trajetória de luta pela criação do Tocantins. Tocantins, Governo do Estado. Secretaria da Cultura e Turismo. [2022?]. Disponível em: https://www.to.gov.br/sectur/j-trajetoria-de-luta-pela-criacao-do-tocantins/5za77iw36s5a. Acesso em: 17 jul. 2022.

CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE GOIÁS (CASAG/OAB GOIÁS). Espaço Cultural Amália Hermano Teixeira. 1 p., 2022. Disponível em: https://www.casag.org.br/servicos/espaco-cultural-amalia-hermano-teixeira/. Acesso em: 1 ago. 2022.

CARAUTA, J.P.P. Amália Hermano Teixeira: Crônica. 1991. Disponível em: http://www.unirio.br/ccbs/ibio/herbariohuni/pdfs/albertoa-v-3-n-8-amalia-hermano-teixeira. Acesso em: 4 ago. 2022.

CARLOS, Ana Alessandri Fani. O Lugar no/do Mundo. São Paulo: FFLCH, 2007.

CAVALCANTE, Maria do Espírito Rosa. O discurso autonomista do Tocantins. São Paulo: EDUSP, 2003.

CHAUL, Nasr Fayad. Goiânia: a capital do sertão. Revista UFG, v. 11, n. 6, 2009.

CURADO, Bento Alves Araujo Jaime Fleury. O centenário e a vida em flor de Amália Hermano. Jornal Diário da Manhã, Goiânia, [19 p.], 28 dez. 2016a. Disponível em: https://www.dm.com.br/opiniao/2016/12/o-centenario-e-vida-em-flor-de-amalia-hermano/. Acesso em: 17 jul. 2022.

ÉLIS, Bernardo. O Tronco: Romance. 6. Ed. Rio de Janeiro: José Olympo, 1979.

ELIAS, Norbert. A Sociedade dos Indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (IPHAN). Monumentos e Espaços Tombados – Natividade (TO). 1 p. 2022. Disponível em: < http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/1218/>. Acesso em: 5 jun. 23.

LIMA, Gabriela. Jardim Botânico de Goiânia inaugura orquidário com homenagem a Amália Hermano Teixeira - O Popular

Disponível em: https://opopular.com.br/noticias/magazine/jardim-bot%C3%A2nico-de-goi%C3%A2nia-inaugura-orquid%C3%A1rio-com-homenagem-a-am%C3%A1lia-hermano-teixeira-1.2483656. Acesso em: 1 ago. 2022.

MARTINS, Luciana da Silva. A participação da intelectual Amália Hermano Teixeira no movimento escolanovista em Goiás – 1937 a 1963. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Escola de Formação de Professores e Humanidades, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2018. Disponível em: http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4011. Acesso em: 8 jun. 2021.

MESSIAS, Noeci Carvalho. Religiosidade e devoção: as festas do divino e do rosário em Monte do Carmo e em Natividade. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em História, Faculdade de História, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/113/o/Tese_Noeci_Carvalho_Messias.pdf. Acesso em: 11 jun. 2023.

NUNES, Jordão Horta. O pioneiro Sílvio Berto: fotografia e sociabilidade. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 4, n. 1, p. 107-143, jan./jul. 2001. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fchf/article/view/2234/2992. Acesso em: 7 ago. 2022.

OLIVEIRA, Eliézer Cardoso de. Imagens e mudança cultural em Goiânia. 1999. 242 f. Dissertação (Mestrado em História das Sociedades Agrárias). Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, 1999.

PALACIN, Luís, MORAES, Maria Augusta Sant’anna. História de Goiás (1722-1972). 5ª ed. Goiânia: Ed. da UCG, 1989.

PALACÍN, Luis; MORAES, Maria Augusta de S. História de Goiás. UCG Goiânia/Goiás-Brasil, 1994.

PEREIRA, M. P.; OLIVEIRA, M. F. As faces de Amália. In: Seminário de Pesquisa, Pós-Graduação, Ensino e Extensão do CCSEH, 3. Anais [...]. SEPE, ética, política e educação no Brasil contemporâneo. 6 a 9 de junho de 2017. Disponível em: https://www.anais.ueg.br/index.php/sepe/article/view/8885. Acesso em: 2 ago. 2022.

RIZZO, José Ângelo. Jardim Botânico de Goiânia: histórico e importância. 5 p. 2011. Disponível em: https://www.uc.ufg.br/n/29364-jardim-botanico-de-goiania-historico-e-importancia. Acesso em: 1 ago. 2022.

SILVA, Elen Glauciene. Chacina do Duro: do evento à representação dos acontecimentos. 2017. 185 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7744. Acesso em: 19 jul. 2022.

TAMASO, Izabela. Festas e procissões da cidade de Goiás: O patrimônio em movimento. Anais [...]. Simpósio Nacional de História–ANPUH, 26. São Paulo, p. 1-17, 2011. Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1308174025_ARQUIVO_Tamaso_ANPUH_2011_TextoCompleto.pdf. Acesso em: 25 jul. 2022.

TEIXEIRA, Amália Hermano. Reencontro. Goiânia: Líder, 1981.

TEIXEIRA, Amália Hermano. Perfis: pessoas que marcaram minha vida. Goiânia: Luzes, 1993.

VIEIRA, Martha Victor. O movimento separatista do Norte Goiano (1821-1823): Desconstruindo o discurso fundador da formação Territorial do Estado do Tocantins. Revista Sapiência: sociedade, saberes e práticas educacionais, p. 63-84, 2014.

Downloads

Publicado

2023-06-30

Como Citar

LEMES, R. C. G. G.; OLIVEIRA, M. de F.; PEREIRA, J. C. M. Pelos caminhos de Amália: do antigo norte goiano à capital do estado de Goiás . Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1121, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1121. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/16454. Acesso em: 1 mar. 2024.