O Povo Tembé Tenetehara

história de resistência, (re)existência, luta e poder na Amazônia Paraense

Palavras-chave: História; Colonização; Fortalecimento; Movimento.

Resumo

A história Tembé perpassa pela colonização até o fortalecimento cultural-educacional. O artigo tem por objetivo analisar a resistência, a (re)existência, a luta e o poder na construção histórica do Povo Tembé Tenetehara na Amazônia Paraense entre os séculos XV e XXI. A construção metodológica do estudo caracteriza-se em uma pesquisa de campo com abordagem qualitativa de método analético com procedimento bibliográfico, fontes documentais, entrevista dialógica freireana e os cuidados éticos. Consiste também em um recorte de uma Dissertação de Mestrado, financiada pela Fundação Amazônia de Amparo à Estudos e Pesquisas do Estado do Pará. Infere-se, que a construção histórica do Povo Tembé de poder, de luta, de (re)existência e de resistência deu-se com o Movimento Indígena Tenetehara na (re)conquista do seu território na Amazônia Paraense

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kôkôixumti Tembé Jathiati Parkatejê, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará

Mestrando em Educação Profissional pelo Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreendimentos Agroalimentares (PPDRRGEA) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA). Graduado em Licenciatura Intercultural Indígena pela Universidade do Estado do Pará (UEPA).

Ivanilde Apoluceno Oliveira, Universidade do Estado do Pará
Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Bolsista Produtividade CNPq2. Belém, Pará, Brasil.

Referências

BARTOLOME, Miguel Alberto. As Etnogêneses: velhos atores e novos papeis no cenário cultural e político. Mana, Rio de Janeiro, v. 12, n. 01, p. 39-68, abr, 2006.
BECKER, Bertha Koiffmann. Amazônia: geopolítica na virada do III milênio. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.
BOUDIN, Max Henri. Dicionário de Tupi Moderno: dialeto tembé-ténêtéhar do alto rio Gurupi. v.1. São Paulo: Conselho Estadual de Artes e Ciências Humanas, 1978.
BRUSQUE, Francisco Carlos de Araujo. Relatório Apresentado à Assembleia Legislativa da Província do Pará na Primeira Seção da XIII Legislativa em 1º de Setembro de 1862. Belém: F. C. Rhossard, 1978.
CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO (CIMI). Por uma Educação Descolonial e Libertadora: manifesto sobre a educação escolar indígena no Brasil. Brasília: CIMI, 2017.
DODT, Gustavo Luiz Guilherme. Descrição dos Rios Parnayba e Gurupi (1873). São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1939.
DUSSEL, Enrique. Método para uma Filosofia da Libertação. Editores Loyola: São Paulo, 1974.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. ed. 55. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.
GALVÃO, Eduardo; WAGLEY, Charles. Os Índios Tenetehara. Col. Vida Brasileira. Rio de Janeiro: Serviço de Documentação do MEC, 1961
GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
GOMES, Mércio Pereira. O Índio na História. O Povo Tenetehara em Busca da Liberdade. Petrópolis: Vozes, 2002.
GOMES, Mércio Pereira. Os Índios e o Brasil: ensaio sobre um holocausto e sobre uma nova possibilidade de convivência. Petrópolis: Vozes, 1991.
HILL, Jonathan Devid. History, Power and Identity. Iowa, USA: University of Iowa Press, 1996.
HURLEY, Jorge. Chorographia do Pará e Maranhão: rio Gurupi. Revista do Instituto Histórico e Geographico do Pará, Belém. v. 7, p. 3-44, 1932.
HURLEY, Jorge. Nos Sertões do Gurupi. Belém, 1928.
INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL (ISA). Povos e Demografia da Terra Indígena Alto Rio Guamá, 2010. Disponível em: https://www.socioambiental.org/pt-br. Acesso em: 27 jan, 2020.
INTERNATIONAL UNION FOR THE CONSERVATION OF NATURE (IUCN). The IUCN Red List of Threatened Species. Version 2015-4. Disponível em: www. iucnredlist.org. Acesso em 27 jan, 2020.
LOPES, Rhuan Carlos dos Santos. Os Tembé Tenetehara de Santa Maria do Pará: entre representações e diálogos antropológicos. Iluminuras, Porto Alegre, v. 16, n. 38, p. 219-254, jan./jul, 2015.
MEIRA, Sérgio. História do Povo Tembé. In: MEIRA, Sérgio (Org.). Gestão Ambiental e Territorial da Terra Indígena Alto Rio Guamá: diagnóstico atnoambiental e etnozoneamento. Belém: Ideflor-Bio, 2017.
MIRANDA, Julia Cleide Teixeira de. O Ritual da Festa do Moqueado: educação, cultura e identidade na sociedade indígena Tembé-Tenetehara. 2015. 111f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Pará, Belém, 2015.
MINAYO, Celília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. Ed. – Pétropolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2009.
MINAYO, Celília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.
MITSCHEIN, Thomas Adalbert; et al. Territórios Indígenas e Serviços Ambientais na Amazônia: o futuro ameaçado do povo Tembé do alto rio Guamá. Belém: NUMA/UFPA, POEMA, 2012.
NEVES, Ivânia dos Santos. Patrimônio Cultural Tembé-Tenetehara: terra indígena alto rio Guamá. Belém: Iphan-PA, 2015.
NOSSA VOZ. Tembé Exigem Saída de Invasores. Belém/PA, 21 de ago, 2020. Disponível em: https://www.facebook.com/programanossavoz. Acesso em: 16 dez, 2020.
OLIVEIRA, Andreici Marcela Araújo de. Povos Indígenas, Desenvolvimento e Colonialismo na Amazônia Brasileira. In: CASTRO, Edna; PINTO, Renan Freitas (Orgs.). Decolonialidade e Sociologia na América Latina. Belém/NAEA: UFPA, 2018.
PAIXÃO, Antonio Jorge Paraense da. Interculturalidade e Política na Educação Escolar Indígena na Aldeia Teko Haw – Pará. 2010. 171f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.
PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia da Pesquisa: abordagem teórico prática. 13. ed. Campinas, SP: Papirus, 2004.
PÉREZ, Antonio. De La Etnoescatología a la Etnogénesis: notas sobre las nuevas identidades étnicas. Revista de Antropología Experimental, Espanha, n.1, 2001.
POVO TEMBÉ TENETEHAR DA TERRA INDÍGENA ALTO RIO GUAMÁ (PTTTIARG). Plano de Gestão da Terra Indígena Alto Rio Guamá. Brasília: ECAM, 2018.
SISTEMA DE INFORMAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE INDÍGENA, GERENCIADA PELA SECRETARIA ESPECIAL DE SAÚDE INDÍGENA (SIASI/SESAI). Terra Indígena Alto Rio Guamá, 2014. Disponível em: https://www.socioambiental.org/pt-br. Acesso em: 27 jan, 2020.
TEXEIRA, Elizabeth; OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de. Cuidados Éticos na Pesquisa. In: MARCONDES, Maria Inês; TEIXEIRA, Elizabeth; OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de (Orgs.). Metodologias e Técnicas de Pesquisa em Educação. Belém: EDUEPA, 2010.
VALENTE, Renata de Melo. Caracterização e Histórico da Terra Indígena Alto Rio Guamá. In: VALENTE, Renata de Melo (Org.). Gestão Ambiental e Territorial da Terra Indígena Alto Rio Guamá: diagnóstico etnoambiental e etnozoneamento. Belém: Ideflor-Bio, 2017.
VIEIRA, Mônica do Corral. Histórias Tembé: sobre narrativas e autoidentificação. 2016. 169f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Belém, 2016.
ZANNONI, Cláudio. Conflito e Coesão: o dinamismo Tenetehara. Conselho Indigenista Missionário, Brasília, 1999.
Publicado
2022-08-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 171
  • PDF downloads: 0
Como Citar
DE MORAES JUNIOR, H.; JATHIATI PARKATEJÊ, K. T.; OLIVEIRA, I. A. O Povo Tembé Tenetehara : história de resistência, (re)existência, luta e poder na Amazônia Paraense. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 67, p. 177-193, 16 ago. 2022.