Reflexões Sobre o Português Falado por Povos Indígenas

resistência e ressignificação

Palavras-chave: português indígena; línguas indígenas; português acadêmico; identidades.

Resumo

A entrada dos povos indígenas na universidade tem visibilizado suas culturas, cosmovisões, epistemologias e o uso que fazem de suas línguas, dentre elas a língua portuguesa. Os estudos sobre o português falado por povos indígenas são ainda poucos e necessitam de aprofundamento. É com o objetivo de contribuir para esta reflexão que este artigo discute algumas características do português indígena e analisa duas dissertações de mestrado escritas por indígenas, com o intuito de compreender como essa variedade aparece em textos acadêmicos. Espera-se que a discussão contribua para uma maior compreensão do significado desta língua para os povos indígenas e para a sua valorização, principalmente nas universidades.

Palavras-chave: português indígena; línguas indígenas; português acadêmico; identidades.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAM DOS SANTOS, L. Educação intercultural e ensino de português para indígenas. Revista X, [S.l.], v. 13, n. 1, p. 262-287, out. 2018. ISSN 1980-0614. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2022. doi:http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v13i1.60423.

ABRAM DOS SANTOS, L. Modos de escrever: Tradição oral, letramento e segunda língua na Educação Escolar Wajãpi. 2011. 207 p. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada), Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011. Disponível em: https://acervus.unicamp.br/index.html Acesso em: 10 dez. 21. https://doi.org/10.47749/T/UNICAMP.2011.796611

ABRAM DOS SANTOS, L. Considerações sobre o ensino de Português como segunda língua a partir da experiência com professores Wajãpi. Cadernos de Educação Escolar Indígena, UNEMAT, Barra do Bugres, v. 4, p.149-164, 2005.

AMADO, R. de S. O português étnico dos povos Timbira, PAPIA, São Paulo, 25(1), p. 103-119, Jan/Jun 2015. Disponível em: http://revistas.fflch.usp.br/papia/issue/view/183 Acesso em: 10 jan 22.

BERENBLUM, A. A invenção da palavra oficial – identidade, língua nacional e escola em tempos de globalização. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

BOMFIM, A. B. Patxohã, “Língua De Guerreiro”: Um Estudo Sobre O Processo De Retomada Da Lingua Pataxó. 2012. Dissertação (Mestrado) Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/23957 Acesso em: 20 mar. 22.

BONIFÁCIO, L. P. dos S. Contato linguístico Tikuna - Português no Alto Solimões-Amazonas: um estudo sobre a variedade de português falada por professores Tikuna. 2019. 268 f. Tese (Doutorado em Linguística) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Letras, Programa de Pós-graduação em Linguística, 2019. Disponível em: http://www.ppglinguistica.letras.ufrj.br/images/Linguistica/3-Doutorado/teses/2019/TESE_V.FINAL-UFRJ.pdf Acesso em: 20 out. 21.

BRAGGIO, S. L. A variedade étnica Português Xerente Akwe: subsídios para a educação escolar indígena. PAPIA, São Paulo, 25(1), p. 121-140, Jan/Jun 2015. Disponível em: http://revistas.fflch.usp.br/papia/issue/view/183 Acesso em: 10 jan 22.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores Indígenas em cursos de Educação Superior e de Ensino Médio, 2015. Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16870-res-cne-cp-001-07012015&category_slug=janeiro-2015-pdf&Itemid=30192 Acesso em: 13 jan 22.

BRASIL. DCNEI - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica, 2012. Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=11074-rceb005-12-pdf&category_slug=junho2012-pdf&Itemid=30192
Acesso em: 09 out. 2017.

BRASIL RCNEI - Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília: MEC/Secretaria de educação fundamental, 1998.

BRASIL LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional – Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituiçao.htm. Acesso em: 10 out. 2017.

BRAZ, U. C. O ensino de língua patxôhã na Escola Indígena Pataxó Barra Velha: uma proposta de material didático específico. 2016. 74 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura – Habilitação em Línguas, Artes e Literatura). Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 2016. Disponível em: https://mail.biblio.fae.ufmg.br/monografias/2016/uilding%20cristiano%20braz.pdf Acesso em: 20 out. 20.

CAVALCANTI, M. C.; MAHER, T. J. M. (orgs.) Multilingual Brazil. Language Resources, Identities and Ideologies in a Globalized World. London: Routledge, 2018.

CAVALCANTI, M. C. Estudos sobre educação bilíngue e escolarização em contextos de minorias linguísticas no Brasil. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, [S. l.], v. 15, n. 3, 2018. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/delta/article/view/40393. Acesso em: 15 abr. 2022.

CAZUZA, R. S. A língua portuguesa na comunidade indígena Tikuna São José I, Ilha do Camaleão, município de Anamã - AM. 2021. 103 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2021. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/handle/tede/8488 Acesso em: 20 fev. 22.

CÉSAR, A. L. S.; CAVALCANTI, M. C. Do singular para o multifacetado: o conceito de língua como caleidoscópio. In: CAVALCANTI, M. C.; BORTONI-RICARDO, S. M. (orgs.) Transculturalidade, linguagem e educação, Campinas: Mercado de Letras, p. 45-66, 2007.

CORREA XAKRIABÁ, C. N. O Barro, o Genipapo e o Giz no fazer epistemológico de Autoria Xakriabá: reativação da memória por uma educação territorializada. 2018, 218 f. Brasília – DF, Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável), Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, 2018. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/34103 Acesso em: 25 out. 21.

COSTA, E. O. da; RAZKY, A.; GUEDES, R. J. da C. O português falado em comunidades indígenas de língua Tupí-Guaraní nos estados do Pará e Maranhão: o contínuo dialetal étnico/não étnico no campo semântico Atividades Agropastoris. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, [S. l.], v. 36, n. 2, 2021. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/delta/article/view/52316. Acesso em: 15 abr. 2022. https://doi.org/10.1590/1678-460X2020360205

D’ANGELIS, W. Aprisionando sonhos: a educação escolar indígena no Brasil, Campinas, SP: Curt Nimuendajú, 2012.

DECROSSE, A. Um mito histórico, a língua materna. In VERMES, G. E BOUTET, J. (orgs.) Multilinguismo. Campinas: Editora da Unicamp, p. 19-27, 1989.

EMMERICH, C. A língua de contato no alto Xingu. Origem, forma e função. 1984. 278 f. Tese (Doutorado em Linguística), Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1984.

FERREIRA, M. K. L. A educação escolar indígena: um diagnóstico crítico da situação no Brasil. In LOPES DA SILVA, A. e FERREIRA, M. L. K. (orgs.) Antropologia, história e educação: a questão indígena e a escola. São Paulo: Global, p. 71-111, 2001.

FERREIRA, M. Descrição de aspectos da variante étnica usada pelos parkatêjê. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, [S. l.], v. 21, n. 1, 2018. DOI: 10.1590/S0102-44502005000100001. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/delta/article/view/37336. Acesso em: 15 abr. 2022.

FERREIRA, R. V.; AMADO, R. de S.; CRISTINO, B. P. (orgs.) Português indígena: novas reflexões. Munique: LINCOM EUROPA, 2014.

FIAD, R. S. A escrita na universidade. Revista da ABRALIN, v. Eletrônico, n. Especial, p.
357-369. 2ª parte, 2011. Disponível em http://www.abralin.org/revista/RVE2/14v.pdf Acesso
em: 01 mar. 22.

AUTOR, M. As línguas faladas pelos povos indígenas: o caso da língua portuguesa. In Costa, P. L. (org.) Educação d.C: o papel das mulheres nesse desafio. Belo Horizonte [MG]: PARIMPAR, pp. 89-99, 2021. Disponível em: https://parimpar.com.br/index.php?preview=1&option=com_dropfiles&format=&task=frontfile.download&catid=12&id=9&Itemid=1000000000000 Acesso em: 15 mar. 22.

AUTOR, M. Línguas em Conflito em Cursos de Licenciatura Intercultural Indígena. Trabalhos em Linguística Aplicada [online]. 2018, v. 57, n. 3 [Acessado 2 Junho 2021], p. 1339-1363. Disponível em: https://doi.org/10.1590/010318138653506433861.

AUTOR, M. Português-indígena versus português-acadêmico: tensões, desafios e possibilidades para as licenciaturas indígenas, Anais do SIELP. Volume 2, Número 1. Uberlândia: EDUFU, 2012. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/07/volume_2_artigo_213.pdf Acesso em: 22 fev. 22.

AUTOR, M. Construindo interpretações para entrelinhas: cosmologia e identidade étnica nos textos escritos em português, como segunda língua, por alunos indígenas Tapirapé, 129 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada), Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP, 2005. Disponível em: https://acervus.unicamp.br/index.html Acesso em: 20 out. 21. DOI: https://doi.org/10.47749/T/UNICAMP.2005.349534

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro, DP&A Editora, 1992.

HOOKS, B. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. Tradução de Marcelo Brandrão Cipolla. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Estudos especiais. O Brasil Indígena. Língua Falada. Disponível em: https://indígenas.ibge.gov.br/estudosespeciais-3/o-brasil-indígena/língua-falada. Acesso em: 29 mar. 2018.

KATOAXOWA TAPIRAPÉ, Adeilda ET AL Xanexema’eãwa Paragetã - História da Educação Escolar Ãpyãwa. Tangará da Serra: Editora Ideias, 2019.

KOGA, A. S.; SOUZA, J. C.; AMADO, R. S. Aquisição do português segunda língua pelas comunidades timbira: descrição e comparação. In: AMADO, R. S. (Org.) Estudos em línguas e culturas macro-jê, p. 205-229. São Paulo: Paulistana, 2010.

LIMA e SILVA, M. Ensino de português como segunda língua em comunidades indígenas Kaingang – RS. Anais do SIELP. Volume 2, Número 1. Uberlândia: EDUFU, 2012, p; 1-14. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/07/volume_2_artigo_237.pdf Acesso 15 nov. 2019.

LOPES, L. S. Loas e versos Xakriabá: tradição e oralidade. 2016. 64 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura – Habilitação em Línguas, Artes e Literatura). Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 2016. Disponível em:
https://www.biblio.fae.ufmg.br/monografias/2016/luzionira%20de%20sousa%20lopes.pdf Acesso em: 15 abr. 22.

LUCCHESI, D. & MACEDO, A. A variação na concordância de gênero no português de contato do Alto Xingu. PAPIA 9: 20-36, 1997. Disponível em: http://revistas.fflch.usp.br/papia/article/view/1964 Acesso em: 20 fev. 22.

MAHER, T. J. M. A educação do entorno para a interculturalidade e o plurilinguismo. IN: KLEIMAN, A. B. e CAVALCANTI, M. C. (orgs.) Linguística Aplicada: suas faces e interfaces, Campinas, SP: Mercado de Letras, p. 255- 270, 2007.

MAHER, T. J. M. Ser professor sendo índio: questões de língua(gem) e identidade. 1996. 262 f. Tese (Doutorado em Linguística), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 1996. Disponível em: https://acervus.unicamp.br/index.html Acesso em: 20 abril 22.
DOI: https://doi.org/10.47749/T/UNICAMP.1996.109923

MOITA LOPES, L. P. Fotografias da Linguística Aplicada brasileira na modernidade recente: contextos escolares. In: MOITA LOPES, L. P. (org.) Linguística Aplicada na modernidade recente: Festschrift para Antonieta Celani, São Paulo: Parábola, p. 15-37, 2013.

NASCIMENTO, A. M. Português Intercultural: Fundamentos Para A Elaboração Curricular De Uma Proposta De Educação Linguística Para Professores E Professoras Indígenas Brasileiros Em Formação Superior Específica. Anais do SIELP. Volume 2, Número 1. Uberlândia: EDUFU, 2012. Disponível em:
http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/wp-content/uploads/2014/06/volume_2_artigo_028.pdf
Acesso em: 12 mar 22.

PACHECO, F. O ikpeng em contato com o português: empréstimo lexical e adaptação linguística, PAPIA, v. 15, p. 121-133, 2005. Disponível em: http://revistas.fflch.usp.br/papia/issue/view/156 Acesso em: 01 mar. 22.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina IN: LANDER, E. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas Coleccion Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autônoma de Buenos Aires, Argentina. setembro 2005. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf Acesso em: 03 março 22.

RODRIGUES, A. D. Línguas indígenas: 500 anos de descobertas e perdas. DELTA: Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, [S. l.], v. 9, n. 1, 2019. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/delta/article/view/45596. Acesso em: 2 mar. 2022.

RODRIGUES, E. M. da R. Português Tapuia: um signo de resistência indígena. Revista Porto das Letras, Vol. 04, Nº 01. 2018 Sociolinguística: os Olhares do Sul na Desestabilização dos Modelos Herdados, p. 133-154 Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/portodasletras/issue/view/244 Acesso em: 10 fev 22.

SMITH, L. T. Descolonizando metodologias: pesquisa e povos indígenas. Tradução Roberto G. Barbosa – Curitiba: Ed. UFPR, 2018.
Publicado
2022-08-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 128
  • PDF downloads: 0
Como Citar
GORETE NETO, M. Reflexões Sobre o Português Falado por Povos Indígenas: resistência e ressignificação. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 67, p. 214-231, 16 ago. 2022.