MARIELLE FRANCO E EDSON LUÍS: UM ENUNCIADO IN MEMORIAN

Palavras-chave: Análise do Discurso, Intericonicidade, Memória Discursiva, Marielle Franco, Edson Luís.

Resumo

No presente trabalho, trazemos como acontecimentos discursivos os assassinatos da vereadora do PSOL (RJ), Marielle Franco, morta em março de 2018, e o de Edson Luís de Lima Souto, em 28 de março de 1968, morto pela polícia em uma manifestação estudantil no Rio de Janeiro. O objeto da pesquisa é compreender como o enunciado “luto” emergiu através das manifestações ocorridas após a morte da vereadora, tendo como campo associado de memória a passeata que aconteceu após a morte de Edson Luís de Lima Souto. Como objetivo geral, buscamos evidenciar como as imagens externas nos remetem a uma memória social e coletiva por meio das imagens interiores, despertando um imaginário social que constitui um acontecimento discursivo contra a repressão aos direitos humanos. A imagem externa que trazemos é uma fotografia feita na manifestação realizada no velório da vereadora, em 2018. No cartaz, há a formulação enunciativa “Transformar o luto em luta. Marielle Franco, presente”. A repetição se materializa por meio da utilização da formulação “luto”, produzindo um efeito de duplicidade que retoma o discurso de mártir de Edson reproduzido sobre Marielle, quanto pela materialidade do suporte, o cartaz. Para tanto, a pesquisa parte da noção de intericonicidade (COURTINE, 2006; 2009; 2013) e sobre discursos e enunciados (FOUCAULT, 2008; 1995). Utilizamos como metodologia a Análise do Discurso de linha francesa (FOUCAULT, 2008). As análises indiciam que tal formulação dialoga dentro de uma mesma memória discursiva, evidenciando os lugares ocupados por estes, comprovando o acontecimento discursivo de resistência e as características da intericonicidade e formação discursiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabrielle Alves Reis, Mestranda em Linguística na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.
Licenciada em Letras.
Emerson Tadeu Cotrim Assunção, Docente na Universidade do Estado da Bahia.

Mestre em Letras: Cultura, Educação e Linguagem. Licenciado em Letras. Membro do Grupo de Estudos em Linguística Aplicada e Transdiciplinaridade e do Grupo de Pesquisa Linguagens e Educação: Alfabetização, Leitura, Linguística e Literatura.

Talita de Souza Figueredo, Doutoranda em Linguística na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.
Mestra em Memória: Linguagem e Sociedade. Graduada em Letras.

Referências

COSTA, J. M. S. Mulher e política: discursivizações sobre candidatas na mídia on-line. Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-Graduação em Letras. Maringá, Paraná, 2010.

COURTINE, J. J. Análise do discurso político: o discurso comunista endereçado aos cristãos. Tradução de Cristina de Campos Velho Birck et. al. São Carlos: EdUFSCar, 2009.

_______. Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Trad.: Francisco Morás. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 7 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

______. O sujeito e o poder. In DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Foucault, Uma Trajetória Filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

FERNANDES, C. A. Análise do Discurso: reflexões introdutórias. 2005. Disponível em: http://www.sergiofreire.pro.br/ad/FERNANDES_ADRI.pdf. Acesso em: 18 abr. 2018

FIGUEREDO, T. S. A estranha memória do corpo monstruoso: Sujeito e discurso do horror em seis contos da literatura brasileira do século XIX. Dissertação (mestrado em Memória: Linguagem e Sociedade). Programa de Pós-Graduação em Memória: Linguagem e Sociedade Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, 2012.

GREGOLIN, M. R. Formação discursiva, redes de memória e trajetos sociais de sentido: mídia e produção de identidades. São Paulo, 2005.

GUILHAUMOU, J.; MALDIDIER, D. Os efeitos do arquivo. A análise do discurso no lado da história. In: ORLANDI, E. P. (org.). Gestos de leitura. Campinas: UNICAMP, 1997.

MAINGUENEAU, D. Cenas da enunciação. In: POSSENTI, S.; SOUZA E SILVA, M. C. P. (org.). São Paulo: Parábola, 2008.

MILANEZ, N. Mídia e História: deslocamentos do corpo, do sexo e da memória. In: SANTOS, J. B. C.; FERNANDES, C. A. (org.). Análise do Discurso: objetos literários e midiáticos. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2006a.

______. As aventuras do corpo: dos modos de subjetivação às memórias de si em revista impressa. 2006. 210 f. Tese (Doutorado em Linguística e Lingua Portugusa) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Araraquara, 2006b.

______. Intericonicidade: da repetição de imagens à repetição dos discursos de imagens. Acta Scientiarum. Language and Culture. Maringá, v. 37, n. 2, p. 197-206, Apr.-June, 2015.

ORLANDI. E. P. Discurso e argumentação: um observatório do político. Fórum Lingüístico, Fpolis, n. 1 (73-81), jul.-dez. 1998.

SOUZA, T. C. A análise do não-verbal e os usos da imagem nos meios de comunicação. Ciberlegenda, n. 6, p. 1-34, 1998.

PÊCHEUX, M. O discurso, estrutura ou acontecimento. 5. ed., Campinas: Pontes, 2008.

Publicado
2020-07-27
Métricas
  • Visualizações do Artigo 89
  • PDF downloads: 39
Como Citar
REIS, G. A.; ASSUNÇÃO, E. T. C.; FIGUEREDO, T. DE S. MARIELLE FRANCO E EDSON LUÍS: UM ENUNCIADO IN MEMORIAN. Cenas Educacionais, v. 3, p. e7196, 27 jul. 2020.
Seção
Dossiê Temático - Ensino e Discurso