LUTA MARAJOARA: DIÁLOGOS COM O ESPORTE, SAÚDE E EDUCAÇÃO

Palavras-chave: Educação física, Esporte educacional, Lutas, Luta marajoara

Resumo

A produção do conhecimento no âmbito das lutas ganha espaço acadêmico nos últimos anos, principalmente quando atrelado a saúde e ao setor educacional. Frente a tal configuração o presente ensaio tem como objetivo abordar a Luta Marajoara (LM) a partir de uma perspectiva interdisciplinar, considerando aspectos esportivos, educacionais e sua interlocução com a dimensão da saúde. Os pressupostos metodológicos configuram o ensaio como um estudo descritivo baseado em uma revisão bibliográfica nas ferramentas de buscas, Periódicos Capes, Google Acadêmico e obras clássicas anteriores a este período. Evidencia-se que paralelo a um crescente processo de expansão enquanto esporte de combate, a LM experimenta no campo educacional um maior reconhecimento enquanto elemento integrante do componente curricular da educação física. O debate passa a ser controverso quando a ênfase em questões técnicas predomina no trabalho pedagógico. O trato interdisciplinar da LM com a dimensão da saúde é um dos cenários possíveis quando se considera a escola como contexto de prática. Tal concepção deve pautar-se em atitudes pedagógicas que visem a incorporação de hábitos de vida saudáveis e a reflexão crítica sobre a prática esportiva. Assim articulada, a LM na escola seria associada a prevenção da saúde, através de práticas supervisionadas de lutas visando antes de tudo a formação integral do aluno. A abordagem levaria em consideração o processo de desenvolvimento de hábitos motores, mediando o processo de iniciação a luta não somente pelo viés técnico-esportivo, mas com base no desenvolvimento integral da criança, viabilizando assim, o trato interdisciplinar da LM com outras áreas do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Italo Sergio Lopes Campos, Docente na Universidade Federal do Pará - Brasil

Doutor em Neurociência e Biologia Celular pela Universidade Federal do Pará

Marcelo Moreira Antunes, Docente no Programa de Pós-Graduação em Ciência do Exercício e do Esporte da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Brasil

Doutor em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas. Professor na Universidade Federal Fluminense.

Referências

ALINCAK, F. Attitudes of primary school teachers towards playing games that involve physical activity. European Journal of Education Studies. v. 3, n. 1, p. 202-216, 2017 http://dx.doi.org/10.5281/zenodo.228326

ALVES JUNIOR, E. D. Discutindo a violência nos esportes de luta: a responsabilidade do professor de educação física na busca de novos significados para o uso das lutas como conteúdo pedagógico. “Usos do Passado” - XII Encontro Regional de História ANPUH-RJ, 2006.

ANTUNES, M. M. Uma breve reflexão sobre a história e funcionalidade das artes marciais na contemporaneidade. In: ANTUNES, M. M.; ALMEIDA, J. J. G. Artes marciais, lutas e esportes de combate na perspectiva da educação física: reflexões e possibilidades. Curitiba: CRV, 2016.

ANTUNES, M. M. et al. Pedagogia das artes marciais e esportes de combate no brasil: um estudo sobre a produção científica nacional. Arquivos em Movimento, v.13, n.1, p.64-77, 2017. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/am/article/view/13563

ANTUNES, M. M; BORBA-PINHEIRO, C. J.; CAMPOS, I.S.L. Luta marajoara: uma luta genuinamente brasileira. Curitiba, PR: Revista ProAtiva. 2021. Disponível em: https://revistaproativa.com.br/luta-marajoara-uma-luta-genuinamente-brasileira/ Acesso em: 15/05/2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação, Brasília, DF: MEC, 2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: educação física. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES n° 0138. 3 de abril de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Educação Física. Câmara do Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação. Brasília, 2002.

BECKER JUNIOR, B.; TELÖKEM, E. A criança no esporte. In: MACHADO, A. A. (org.). Especialização esportiva precoce: perspectivas atuais da psicologia do esporte. Jundiaí, SP: Fontoura, 2008.

BORBA-PINHEIRO, C. J.; DANTAS, E. H. M. (Orgs.). Métodos inovadores de exercícios físicos na saúde: prescrição baseada em evidências. São Paulo: CREF4/SP, 2018.

BORBA-PINHEIRO, et. al. Metodologia Adaptada à Prática de Judô para Idosos. International Journal of Physical Education, Fitness and Sports. v. 9, n.4, p. 51-59, 2020. https://doi.org/10.34256/ijpefs2046

BORGES, C. N.; PORTILHO, G. O. N. S. Produção de significados para o esporte: uma contribuição. Conexões, Campinas: SP, v. 19, 2021. https://doi.org/10.20396/conex.v19.i0.8659089

CAMPOS, I. S. L; BORBA-PINHEIRO, C. J; GOUVEIA, A. Modelagem do comportamento técnico da Luta Marajoara: do desempenho ao educacional. R. bras. Ci. e Mov. v. 27, n. 2, p. 209-217, 2019.

CAMPOS, I. S. L; GOUVEIA, A. Natureza biológica da agressão: uma análise dos esportes de combate. Lecturas: Educación Física y Deportes. v. 25, n. 269, p. 152-161, 2020. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/view/2259

CAMPOS I. S. L.; BORBA-PINHEIRO C. J., GOUVEIA A. Morphofunctional characterization of male Marajoara wrestlers. Archives of Budo Sciences of Martial Art and Extreme Sport, v.14, n. 1, p. 81-85, 2018. Disponível em: http://smaes.archbudo.com/view/abstracts/issue_id/419

CAMPOS, I. S. L. Atividade física, saúde e interdisciplinaridade. In: Formação de professores e trabalho interdisciplinar: experiências construídas nos cursos de Licenciatura em Educação Física e Pedagogia na Universidade Federal do Pará. Org. Lucília da Silva Matos, Maria da Conceição dos Santos Costa. Belém, PA: UFPA/PROEG, 2017.

CORREIA, W. R.; FRANCHINI, E. A produção acadêmica em lutas, artes marciais e esportes de combate. Motriz, Rio Claro, v.16, n.1, p.1-9, jan./mar. 2010. DOI: https://doi.org/10.5016/1980-6574.2010v16n1p01

D’AVILA, A. F. Em busca de um significado contemporâneo para o simbolismo das Artes Marciais. Lecturas: Educación Física y Deportes, v. 18, n. 180, 2013. Disponível em: www.efdeportes.com/efd180/o-simbolismo-das-artes-marciais.htm

DIAS, E. B. Arte Marcial: Espetáculo, Esporte e Circo. São Paulo, Editora Appris, 2020.

ELIAS, N. A génese do desporto: um problema sociológico. In: ELIAS, N.; DUNNING, E. A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.

FARIAS, E. Avaliação, atividade física e saúde. Ponta Grossa, PR: Atena, 2020.

FURTADO, R. S.; BORGES, C. N. A condição esportiva. Educação, Santa Maria, v. 44, 2019. Doi: http://doi.org/10.5902/1984644436264

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (Orgs.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GUEDES, D. P. et al. Aptidão física relacionada à saúde de escolares: programa fitnessgram. Rev Bras Med Esporte, v. 18, n. 2, , 2012. https://doi.org/10.1590/S1517-86922012000200001

GOMES, M. S. P. et al. Ensino das lutas: dos princípios condicionais aos grupos situacionais. Movimento. v. 16, n. 2, p. 207-227, 2010. Doi: https://doi.org/10.22456/1982-8918.9743

GREEN, T. A. (Editor). Martial Arts of World: an encyclopedia. Santa Barbara, California: ABC-CLIO, 2001.

GREEN, L. W.; KREUTER, M. W. Health promotion plannig, an educational and enronmental appoach. 2ed. Mountain View, Mayfied Publishing Company, 1991.

GRIFI, G. História da educação física e do esporte. Porto Alegre: D. C. Luzzatto, 1989.

GUTTMANN, A. From ritual to record: the nature of modern sports. New York: Columbia University Press, 2004.

HERRERA, M. V. et al. La prática de los deportes de lucha. Un estudio preliminar sobre la experiencia previa de los estudiantes de la licenciatura en Ciencias del Deporte. Apunts: Educación física ydeportes, v. 1, n. 79. p. 13-19, 2005. Recuperado de:https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=1310347

HUIZINGA, J. Homo Luddens: o jogo como elemento da cultura. 2ed. São Paulo, Perspectiva, 1990.

JEWELL, R. T. et al. A brief history of violence and aggression in spectator sports. In R.T. Jewell (Ed.), Violence and aggression in sporting contests (pp. 11-28). New York, NY: Springer, 2011.

JONES, D. E. (Editor). Combat, ritual, and performance: anthropology of the martial arts. London: Praeger, 2002.

KAUARK, F. S.; MANHÃES, F. C.; MEDEIROS, C. H. Metodologia da pesquisa: guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

KOLB, B.; WHISHAW, I. Q. Neurociência do comportamento. São Paulo: Manole, 2002.

LOURDES, L. F. C. Aspectos pedagógicos das lutas como linguagem corporal. In: NISTA-PICCOLO, V.; TOLEDO, E. Abordagens pedagógicas do esporte: modalidades convencionais e não convencionais. Campinas, SP: Papirus, 2014.

MACHADO, A. A. et al. Precocidade nos esportes: uma análise pouco agradável. In: MACHADO, A. A. (org.). Especialização esportiva precoce: perspectivas atuais da psicologia do esporte. Jundiaí, SP: Fontoura, 2008

MARINHO, I. P. Sistemas e métodos de educação física. São Paulo: Cia Brasil Editora, 1953.

MARINHO, I. P. História geral da educação física. São Paulo: Cia Brasil Editora, 1980.

MIRANDA FILHO, V. F.; SANTOS, I. S. P. Mídia, mercadorização esportiva e o movimento de popularização do MMA. Pensar a Prática, Goiânia, v. 17, n. 3, p. 865-877, 2014.

OLIVIER, J. C. Das brigas aos jogos com regras: enfrentando a indisciplina na escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PAES, R. R.; BALBINO, H. F. Pedagogia do esporte: contextos e perspectivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

POLIAKOFF, M. B. Combat sports in the ancient word: competition, violence, and culture. Connecticut, USA: Yale University Press, 1987.

RODRIGUES, A. I. C.; ANTUNES, M. M. Ensinando lutas na escola: percepções e expectativas de dirigentes do ensino fundamental. Revista Valore, Volta Redonda, v.4, n.1, p.885-899, 2019. Disponível em: https://revistavalore.emnuvens.com.br/valore/article/view/288 Acesso em: 20/09/2020.

RUFINO, L. G. B.; DARIDO, S. C. O ensino das lutas na escola: possibilidades para a educação física. Porto Alegre, RS: Penso, 2015.

SANTOS, S. O. D. A integração oriente-ocidente e os fundamentos do judô educativo. Dissertação (mestrado em Educação). Faculdade de humanidades e Direito da Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2013.

SEABRA, J. P.; CAMPOS, I. S. L.; ANTUNES, M. M. Luta marajoara: uma perspectiva a partir da percepção do atleta. Revista Valore, Volta Redonda, v.5, e-5024, 2020. Disponível em: https://revistavalore.emnuvens.com.br/valore/article/view/454 Acesso em: 19/09/2020.

SILVA, F. H. et al. Metodologias de ensino e benefícios das lutas e esportes de combate: uma revisão integrativa de literatura. In: GRILLO, R. M.; SWERTS, M. M. (Orgs.). Educação Física e Ciências do Esporte: Uma Abordagem Interdisciplinar. Volume 2. Editora cientifica digital, 2020.

SOARES, C. L. et al. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

TUBINO, M. J. G.; TUBINO, F. M.; GARRIDO, F. A. C. Dicionário enciclopédico Tubino do esporte. Rio de Janeiro: Senac, 2007.

VASQUES, D. G. As artes marciais mistas (MMA) como esporte moderno: entre a busca da excitação e a tolerância à violência. Esporte e Sociedade ano 8, n 22, set, 2013.

WHO. Guidelines on physical activity and sedentary behaviour. Geneva: World Health Organization; 2020. Licence: CC BY-NC-SA 3.0 IGO.

Publicado
2021-10-20
Métricas
  • Visualizações do Artigo 431
  • ♪Áudio♪ downloads: 11
Como Citar
Campos, I. S. L., & Antunes, M. M. (2021). LUTA MARAJOARA: DIÁLOGOS COM O ESPORTE, SAÚDE E EDUCAÇÃO. Cenas Educacionais, 4, e11870. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11870
Seção
Dossiê Temático