O AGENDAMENTO-MIDIÁTICO ESPORTIVO EM TORNO DAS CINCO NOVAS MODALIDADES DO PROGRAMA OLÍMPICO DE TÓQUIO/2020

Palavras-chave: Meios de comunicação de massa, Meios de comunicação de massa, Esportes, Esportes, Juventude, Juventude

Resumo

Este trabalho, de cunho descritivo-exploratório e do tipo documental, identificou e analisou as estratégias de agendamento midiático-esportivo em torno das cinco novas modalidades esportivas inseridas nas Olimpíadas Tóquio/2020. Entre 01/08/2019 e 24/03/2020, acompanhamos e observamos dois principais portais de internet brasileira, GloboEsporte.com e UOL, selecionando todas reportagens que fizessem menção às 5 novas modalidades olímpicas. Utilizando a técnica da análise de conteúdo, chegamos a quatro categorias: personificação, cultura imagética, expectativas de medalhas e pandemia, as quais, sucintamente, foram a forma como os veículos utilizaram suas estratégias para pautar o evento, chamar a atenção do público, informando-o quanto ao megaevento esportivo, apresentando as novas modalidades, o que evidencia o caráter mercadológico e espetacularizado dessas práticas corporais agora esportivizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Mezzaroba, Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenador Grupo de Estudos e Pesquisas Sociedade, Cultura e Educação Física. Pesquisador no Laboratório de Pesquisas Sociológicas Pierre Bourdieu e no Núcleo de Estudos e Pesquisas Educação e Sociedade Contemporânea.

Weverton Paulo dos Santos, Graduando em Educação Física da Universidade Federal de Sergipe

Bolsista pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas Sociedade, Cultura e Educação Física.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, s/d.

BETTI, M. Janela de vidro: esporte, televisão e educação física. Campinas: Papirus, 1998.

BORELLI, V. O esporte como uma construção específica no campo jornalístico. In: CONGRESSO ANUAL EM CIÊNCIA DA COMUNICAÇÃO, 25, 2002, Salvador/BA. Anais... Salvador: INTERCOM, 2002.

BORELLI, V.; FAUSTO NETO, A. Jornalismo esportivo como construção. Cadernos de Comunicação, Santa Maria, n. 7, p. 61-74, dez. 2002.

FAUSTO NETO, Antônio. O agendamento do esporte: uma breve revisão teórica e conceitual. Verso & Reverso Revista da Comunicação, São Leopoldo, ano XVI, n. 34, p. 9-17, jan./jun. 2002.

GEBARA, A. Apresentação. In: GEBARA, A.; PILATTI, L. A. (orgs.) Ensaios sobre história e sociologia nos esportes. Jundiaí: Fontoura, 2006. p. 9-12.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 1996.

GURGEL, A. O esporte e a convergência das mídias: Análise da campanha publicitária “write the future”, da Nike. In. CONGRESSO ANUAL EM CIÊNCIA DA COMUNICAÇÃO, 34, 2011, Recife/PE. Anais... Recife: INTERCOM, 2011.

KELLNER, D. Cultura da mídia e triunfo do espetáculo. In: MORAES, Dênis de (org.). Sociedade midiatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006. p. 119-147.

MCCOMBS, M. A teoria da agenda: a mídia e a opinião pública. Petrópolis: Vozes, 2009.

MELO, V. A. de. Esporte. In: MELO, V. A. de (org.). Dicionário do Esporte no Brasil: do século XIX ao século XX. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: Decania do Centro de Ciências da Saúde da UFRJ, 2007. p. 68-70.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

MUSSA, F. de S. Construção do ídolo esportivo na mídia. Trabalho de Conclusão de curso. 2010. 41 f. (Graduação) – Curso de Graduação em Comunicação Social, Habilitação em Jornalismo, Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

NEPOMUCENO, L. B. et al. A esportivização do surfe: reflexões a luz de Pierre Bourdieu. Motrivivência, Florianópolis, v. 32, n. 62, p. 01-17, jun. 2020.

PIRES, G. De L. Breve introdução ao estudo dos processos de apropriação social do fenômeno esporte. Revista da Educação Física UEM, Maringá, v. 9, n. 1, 1998. Disponível em: <http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3824>. Acesso em: 25 ago. 2015.

SANFELICE, G. R. Processos midiáticos no campo esportivo. Curitiba: Appris, 2018.

SANTOS, S. M. dos; MEZZAROBA, C.; SOUZA, D. L. de. Jornalismo esportivo e infotenimento: a (possível) sobreposição do entretenimento à informação no conteúdo jornalístico do esporte. Corpoconsciência, Cuiabá, v. 21, n. 2, p. 93-106, jun. 2017.

STÁBILE, J. Cultura imagética. 2013. Disponível em: https://fazendoarteja.blogspot.com/2013/03/cultura-imagetica.html. Acesso em: 10 jul. de 2020.

TRAQUINA, Nelson. O estudo do jornalismo no século XX. São Leopoldo: Unisinos, 2001.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais – a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1995.

WOLF, M. Teorias da comunicação. Lisboa: Editorial Presença, 2001.

Publicado
2021-06-18
Métricas
  • Visualizações do Artigo 75
  • ♪Áudio♪ downloads: 11
Como Citar
Mezzaroba, C., & Santos, W. P. dos. (2021). O AGENDAMENTO-MIDIÁTICO ESPORTIVO EM TORNO DAS CINCO NOVAS MODALIDADES DO PROGRAMA OLÍMPICO DE TÓQUIO/2020. Cenas Educacionais, 4, e10555. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10555
Seção
Dossiê Temático ESTUDOS DO ESPORTE