CONDIÇÕES DE SAÚDE E ESTILO DE VIDA DE IDOSOS: MÉTODOS E DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO

Palavras-chave: Estudos Epidemiológicos, Metodologia, Dinâmica Populacional, Saúde do Idoso, Estilo de Vida

Resumo

O presente manuscrito objetiva descrever o método empregado no planejamento e coleta de dados da pesquisa de base populacional, “Condições de saúde e estilo de vida de idosos residentes em Aiquara-BA”. Trata-se de um estudo epidemiológico, tipo coorte dinâmica, realizado com idosos residentes na zona urbana de Aiquara-BA, município de pequeno porte populacional. Os dados do estudo linha de base foram coletados no ano de 2013. Por meio de visita a todos os domicílios da zona urbana foram identificados os residentes com 60 anos ou mais.  Os dados foram obtidos em três etapas. Na primeira, por meio de entrevistas face a face realizada no domicílio, entrevistadores padronizados obtiveram as informações biosociodemográficas, de acesso aos serviços de saúde, condições de saúde auto referidas, e Instrumentos validados para mensurar qualidade de vida (WHOQOL- BREF e OLD), nível de atividade física (IPAQ), funcionalidade (Escalas de Katz e Lawton) e rastrear transtorno mental (GDS-15 e SRQ-20). Na segunda etapa, após agendamento, foram mensuradas pressão arterial, medidas antropométricas e realizados os testes de desempenho motor. Na terceira, bioquímicos coletaram, armazenaram e processaram amostras sanguíneas, em um laboratório de análises clínicas. Os dados obtidos foram digitados em duplicata, e após as correções analisados em diferentes programas estatísticos. Os resultados permitiram conhecer o impacto do estilo de vida desfavorável na condição de saúde de idosos residentes em Aiquara, Bahia, Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cezar Augusto Casotti, Docente no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Doutor em Odontologia Preventiva e Social pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Integrante do Grupo de Pesquisa em Epidemiologia e Saúde.

Claudio Bispo de Almeida, Docente no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade da Universidade do Estado da Bahia.

Doutor em Ciências da Saúde pelo Programa de pós-graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil. Integrante do Núcleo Internacional de Estudos em Direitos Humanos, Educação, Cultura e Saúde.

Lucas dos Santos, Doutorando em Ciências da Saúde pelo Programa de pós-graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Integrante do Núcleo de Estudos em Epidemiologia do Envelhecimento

Paulo da Fonseca Valença Neto, Doutorando em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia

Atua na Coordenação Geral de Doenças e Agravos Não Transmissíveis do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. Integrante do Grupo de pesquisa Programa Integrado em Epidemiologia e Avaliação de Impactos na Saúde das Populações.

Thaís Barros do Carmo, Docente no Centro Técnico de Ensino Profissional.

Mestre em Enfermagem e Saúde pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Referências

ALMEIDA, O. P. Mini exame dos estado mental e o diagnóstico de demência no Brasil. Arquivos de Neuro-psiquiatria, v.56, n.3B, p.605-612, 1998.

ALMEIDA, O. P.; ALMEIDA, S. A. Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão em Geriatria (GDS) versão reduzida. Arq. Neuro-Psiquiatr., São Paulo, v.57, n.2B, p.421-426, June 1999. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X1999000300013&lng=en&nrm=iso>. access on 22 Apr. 2021. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1999000300013.

BENEDETTI, T. R. B. et al. Reprodutibilidade e validade do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) em homens idosos. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 13, n. 1, p. 11-16, 2007.

BENEDETTI, T.R.B.; MAZO, G.Z.; BARROS, M.V. Application of the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) for evaluation of the physical activity level of elderly women: concurrent validity and test-retest reproducibility. Rev Bras Cien Movim, v. 12, n. 1, p. 25-33, 2004.

BULL, F. C. et al. World Health Organization 2020 guidelines on physical activity and sedentary behaviour. British journal of sports medicine, v.54, n.24, p.1451-1462, 2020.

CARMO, T.B. Transtorno mental comum em idosos residentes em um município do Estado da Bahia. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, sob orientação do Prof. Dr. Cezar Augusto Casotti. - Jequié, 2020.

CRAIG, C. L. et al. International Physical Activity Questionnaire: 12-Country Reliability and Validity. Medicine & Science in Sports & Exercise. 2003; 1381-1395. http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.1043.9481&rep=rep1&type=pdf

FIGUEIREDO, I. M. et al. Teste de força de preensão utilizando o dinamômetro Jamar. Revista Acta Fisiï¿ ½trica, v. 14, n. 2, p. 104-110, 2007.

FLECK, M. P.; CHACHAMOVICH, E.; TRENTINI, C. M. Development and validation of the Portuguese version of the WHOQOL-OLD module. Rev Saúde Pública 2006;40(5):785-91. https://www.scielosp.org/pdf/rsp/2006.v40n5/785-791/en

FLECK, M. P.; CHACHAMOVICH, E.; TRENTINI, C. M. Projeto WHOQOL-OLD: método e resultados de grupos focais no Brasil. Rev Saude Publica. 2003;37(6):793-9.

FOLSTEIN, M. F.; FOLSTEIN, S. E.; MCHUGH, P. R. “Mini-mental state: a practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician”. Journal of psychiatric research, v.12, n.3, p.189-198, 1975.

FRISANCHO, A. R. New standards of weight and body composition by frame size and height for assessment of nutritional status of adults and the elderly. The American journal of clinical nutrition, v.40, n.4, p.808-819, 1984.

GONÇALVES, D. M.; STEIN, A. T.; KAPCZINSKI, F. Performance of the Self-Reporting Questionnaire as a psychiatric screening questionnaire: a comparative study with Structured Clinical Interview for DSM-IVTR. Cadernos de saude publica, v. 24, n. 2, p. 380-390, 2008.

HARDING, T. W.; et al. Mental disorders in primary health care: a study of their frequency and diagnosis in four developing countries. Psychol Med 1980; 10:231-41.

HENRIQUE, I. F. S. et al. Validação da versão brasileira do teste de triagem do envolvimento com álcool, cigarro e outras substâncias (ASSIST). Revista da Associação Médica Brasileira, v.50, n.2, p.199-206, 2004.

ISSA, A. F. C. et al. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial–2020. Arq Bras Cardiol, v. 116, n. 3, p. 516-658, 2021.

KATZ, S. et al. Studies of illness in the aged: the index of ADL: a standardized measure of biological and psychosocial function. Jama, v.185, n.12, p.914-919, 1963.

LAWTON, M. P.; BRODY, E. M. Assessment of older people: selfmaintaining and instrumental activities of daily living. The gerontologist, v.9, n.3, Part.1, p.179-186, 1969.

LEBRÃO, M.L. et al. 10 Anos do Estudo SABE: antecedentes, metodologia e organização do estudo. Rev. bras. Epidemiol., São Paulo, v.21, supl.2, e180002, 2018. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2018000300200&lng=en&nrm=iso>. access on 22 Apr. 2021. Epub Feb 04, 2019. http://dx.doi.org/10.1590/1980-549720180002.supl.2.

LINO, V. T. S. et al. Adaptação transcultural da Escala de Independência em atividades da vida diária (Escala de Katz). Cadernos de Saúde Pública, v.24, p.103-112, 2008.

LOPES, A. L.; DOS SANTOS RIBEIRO, G. Antropometria aplicada à saúde e ao desempenho esportivo: uma abordagem a partir da metodologia ISAK. Editora Rubio, 2013.

LORENZI, T. F. Manual de Hematologia: Propedêutica e clínica. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

PEDREIRA, R.B. et al. Validade de conteúdo do Instrumento de Avaliação da Saúde do Idoso. einstein. 2016;14(2):158-77

RIKLI, R. E.; JONES, C. Jessie. Development and validation of a functional fitness test for community-residing older adults. Journal of aging and physical activity, v.7, n.2, p.129-161, 1999.

ROCHA, S. V. et al. Prevalência de transtornos mentais comuns entre residentes em áreas urbanas de Feira de Santana, Bahia. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 13, n. 4, p. 630-640, 2010.

SANTOS, R. L.; VIRTUOSO JÚNIOR, J.S. Confiabilidade da versão brasileira da escala de atividades instrumentais da vida diária. Rev Bras Promoç Saude, v.21, n.4, p.290-6, 2008.

SANTOS, W. S. dos et al. Alcohol Use Disorder Identification Test (AUDIT): explorando seus parâmetros psicométricos. J. bras. psiquiatr., Rio de Janeiro, v.61, n.3, p.117-123, 2012. Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852012000300001&lng=en&nrm=iso>. access on 22 Apr. 2021. http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852012000300001.

SECOLI, S. R. Polifarmácia: interações e reações adversas no uso de medicamentos por idosos. Revista Brasileira de Enfermagem, p.136-140, 2010.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PATOLOGIA CLÍNICA/ MEDICINA LABORATORIAL (2010). Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial para coleta de sangue venoso. 2. ed. Barueri, SP : Minha Editora.

WORLD HEALTH ORGANIZATION EXPERT COMMITTEE ON MENTAL HEALTH. Organization of mental health services in developing countries: sixteenth report of the WHO Expert Committee on Mental Health. Geneva: World Health Organization; 1975. (Technical Reports Series, 564).

Publicado
2021-09-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 267
  • PDF (English) downloads: 56
Como Citar
Casotti, C. A., Almeida, C. B. de, Santos, L. dos, Valença Neto, P. da F., & Carmo, T. B. do. (2021). CONDIÇÕES DE SAÚDE E ESTILO DE VIDA DE IDOSOS: MÉTODOS E DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e12643. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/12643
Seção
Ciência em Perspectiva

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##