Práticas Educativas para educação étnico-racial em escolas da Educação Básica do maciço de Baturité-Ceará

Palavras-chave: Práticas Educativas, Educação Étnico-Racial, Escola

Resumo

O presente artigo é fruto de estudo e pesquisa acadêmica realizada com os professores das escolas do Ensino Fundamental em um dos municípios da região do maciço de Baturité. O trabalho tem como objetivo compreender os processos que envolvem práticas educativas de professores para educação étnico-racial e ações que devem ser tomadas para colaborar na concretização dessa educação nas escolas do ensino básico da região do maciço de Baturité. Sendo assim, a construção da metodologia desse trabalho foi tecida por meio da leitura das obras de alguns autores (as) como: Ribeiro (2005); Pedronilha Silva (2007); SILVA (2015); Gomes (2010; 2012) e Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais (2004) que abordam a questão das relações étnico-raciais da Lei 10.639/2003.  O desenvolvimento desse trabalho se apoia ainda nas reflexões pela experiência vivenciada por um estudante africano, do país da Guiné-Bissau, residente no estado do Ceará, que desenvolveu atividades acadêmicas nas escolas do ensino básico dos municípios de Redenção e Acarape no maciço de Baturité. Na base do trabalho desenvolvido nas escolas do Ensino Fundamental, através da análise, percebemos que ainda existe poucas práticas educativas para educação étnico-racial, mesmo com a implementação da Lei 10.639/2003, que foi promulgado na perspectiva da obrigatoriedade sobre ensino da história e da cultura africana e afro-brasileira na Educação Básica. Diante das análises feitas, a maioria das escolas investigadas trabalham pouco com os temas relacionados a essa Lei.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Afonso José Mendes, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Discente do curso do Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino – MAIE – da Universidade Estadual do Estado do Ceará – UECE. Bolsista de Pesquisa - FUNCAP.

Ana Cristina de Moraes, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Pós-doutora em Educação. Docente do Programa de Pós-graduação em Educação/ PPGE e do Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino/ MAIE- UECE.

João Pereira da Silva, Rede de Ensino do Estado do Ceará

Mestre em Educação pelo Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino – MAIE – da Universidade Estadual do Ceara – UECE. Professor da rede de Ensino da Educação Básica do Ceará.

Referências

BRASIL Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/

BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial. Disponível em: http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/823981/estatuto-da-igualdade-racial-lei-1228810#. Acesso em: 06 de agosto de 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP 3/2004. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília, 2004a. Disponível em: www.mec.gov.br/cne. Acesso em: 06 de agosto de 2020.

BRASIL. Lei 10.639 de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/1996 e inclui Ensino da História e Cultura Afro-brasileira e Africana no Currículo Oficial e outras Providências. Sancionada pelo Presidente Luís Inácio Lula da Silva. Brasília: Diário Oficial da União, v. 10, n. 01, 2003.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Artmed, 2009.

GOMES, Nilma Lino. Diversidade étnico-racial, inclusão e equidade na educação brasileira: desafios, políticas e práticas. 2010. Disponível em: http://www.anpae.org.br/iberolusobrasileiro2010/cdrom/94.pdf.13p. Acesso em: 06 de julho de 2021.

GOMES, Nilma Lino. Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos Currículos. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n 1, p. 98-109, jan/abr, 2012. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/gomes.htm. Acesso em 09 de jan. de 2021.

MOREIRA, Anália de Jesus. Descolonização do Conhecimento no Contexto Afro-brasileiro. Cruz das Almas, BA: UFRB, 2017.

NOGUEIRA, Antônio Gilberto Ramos. Diversidade e Sentido do Patrimônio Cultural: uma proposta de leitura da trajetória de reconhecimento da cultura afro-brasileira como patrimônio nacional. Revista Anos 90, Porto Alegre, v. 15, n. 27, p. 233-255, 2008.

PINTO, Regina Pahim. A educação do negro: uma revisão bibliográfica. Cadernos de Pesquisas. São Paulo, n. 62, p. 3-34, 1987.

RIBEIRO, Cristiane Maria. As pesquisas sobre o negro e a Educação no Brasil: uma análise de suas concepções e propostas. In: 28.ª Reunião Anual da Associação Nacional de Pesquisa Educacional, 2005, Caxambu. 28.ª ANPED. Caxambu, 2005. Disponível em: Acesso em: 26 de julho de 2020.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil. In: Revista Educação, Porto Alegre, v. 30, p. 489-506, 2007.

SILVA. Geranilde Costa e. Produção textual sobre relações étnico-raciais: O olhar das crianças de uma escola pública de Fortaleza (CE). In: MACHADO, Aldibênia Freire; ALVES, Maria Kellynia Farias; PETIT, Sandra Haydée [Orgs]. Memórias de Baobá II. Fortaleza: Imprece, 2015.

SILVA, João Pereira. Estágio supervisionado na formação inicial de docentes: reflexões sobre a inserção de alunos estrangeiros no curso de letras da UNILAB. Dissertação de Mestrado, MAIE/UECE, 2021. Disponível em: https://siduece.uece.br/siduece/trabalhoAcademicoPublico.jsf?id=101353

Publicado
2021-12-18
Métricas
  • Visualizações do Artigo 194
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 159
Como Citar
Mendes, A. J., DE MORAES, A. C., & da Silva, J. P. (2021). Práticas Educativas para educação étnico-racial em escolas da Educação Básica do maciço de Baturité-Ceará. Revista Multidisciplinar Do Núcleo De Pesquisa E Extensão (RevNUPE), 1(1), e202110. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/revnupe/article/view/12970
Seção
Dossiê: Produção e gestão do conhecimento em sexualidades, gênero e raça/etnias