Insubordinação criativa como parte do legado científico de Beatriz Silva D’Ambrosio

Palavras-chave: Beatriz Silva D’Ambrosio, Insubordinação criativa, Subversão responsável, Educação Matemática

Resumo

Neste artigo apresentamos um recorte dos estudos de uma tese de doutorado em que estamos construindo a biografia intelectual de Beatriz Silva D’Ambrosio. Apoiada no método biográfico, especialmente nos estudos de Clandinin e Connelly (2011), Dominicé (2014), Dosse (2015), Ferrarotti (2014), Finger e Nóvoa (2014), Lani-Bayle (2008), Passeggi e Clementino (2017) e Pujadas Muñoz (1992), neste artigo é abordado um dos assuntos que constituem parte do legado científico da biografada para a Educação Matemática brasileira: as discussões sobre a insubordinação criativa na prática do professor e do pesquisador. São apresentadas algumas narrativas que elucidam a insubordinação criativa na concepção de Beatriz como um conceito que leva os profissionais a ter sensibilidade para entender o outro e o contexto em que está inserido, honrar o compromisso assumido no exercício das atividades diárias, mobilizar saberes de forma a proteger a integridade dos estudantes e dos espaços formativos, neutralizar os efeitos desumanizadores da autoridade burocrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josane Geralda Barbosa, Instituto Federal de Minas Gerais
Doutoranda em Ensino de Ciências e Matemática, na Universidade Cruzeiro do Sul. Trabalha no Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) - campus Ouro Preto, como Técnica em Assuntos Educacionais. Membro do grupo de pesquisa Educação, Trabalho e Sociedade, vinculado ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Ouro Preto
Celi Espasandin Lopes, Universidade Cruzeiro do Sul/Universidade Cidade de São Paulo
Doutora em Educação. Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) e do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). Coordenadora do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática e Estatística (CEPEME). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Estatística e Matemática (GEPEEM) e do grupo Práticas Pedagógicas na Educação Básica (PRAPEB). 

Referências

BRIÃO, Gabriela Felix. Entrevista: conversa com a educadora matemática Beatriz D’Ambrosio: uma construtivista radical. e-Mosaicos – Revista Multidisciplinar de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura do Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira (CAp-UERJ). Rio de Janeiro, RJ, v. 4, n. 7, p. 2-13, jun. 2015.

CLANDININ, D. Jean; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiências e história na pesquisa qualitativa. Tradução: Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores. ILEEL/UFU, Uberlândia: EDUFU, 2011.

D'AMBROSIO, Beatriz Silva. Living contradictions: Negotiating practices as mathematics teacher educators. In: ANNUAL MEETING OF THE ASSOCIATION OF MATHEMATICS TEACHER EDUCATORS, 2014. Disponível em: http://amte.net/sites/default/files/living-contradictions-dambrosio-amte-2014.pdf Acesso em: 12 jun. 2019.

D’AMBROSIO, Beatriz Silva; LOPES, Celi Espasandin. Trajetórias profissionais de educadoras matemáticas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2014. (Coleção Insubordinação Criativa).

D’AMBROSIO, Beatriz Silva; LOPES, Celi Espasandin. Insubordinação criativa: um convite à reinvenção do educador matemático. Bolema: Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, SP, v. 29, n. 51, abr. 2015a. Disponível em: https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/bolema/issue/view/986 Acessado em: 15 set. 2019.

D’AMBROSIO, Beatriz Silva; LOPES, Celi Espasandin. Sowing new and rare seeds in Mathematics Education. In: D’AMBROSIO, Beatriz Silva; LOPES, Celi Espasandin. Creative Insubordination in Brazilian Mathematics Education Research, Raleigh, NC: Lulu Press, 2015b. p. 253-259.

DOMINICÉ, Pierre. O processo de formação e alguns dos seus componentes relacionais. In: NOVOA, A.; FINGER, M. O método (auto)biográfico e a formação. Tradução: Maria Nóvoa. 2. ed. Natal, RN: EDUFRN, 2014. p. 77-90.

DOSSE, François. O desafio biográfico: escrever uma vida. Tradução: Gilson César Cardoso de Souza. São Paulo: EDUSP, 2015.

FERRAROTTI, Franco. História e histórias de vida. O método biográfico nas ciências sociais. Tradução: Carlos Eduardo Galvão, Maria da Conceição Passeggi. Natal, RN: EDUFRN, 2014a.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NOVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto)biográfico e a formação. Tradução: Maria Nóvoa. 2. ed. Natal, RN: EDUFRN, 2014b. p. 29-56.

FIRST INTERNATIONAL CONFERENCE ON CREATIVE INSUBORDINATION IN MATHEMATICS EDUCATION – ICOCIME 1. Universidade Cidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

LANI-BAYLE, Martine. Histórias de vida: transmissão intergeracional e formação. In: PASSEGGI, M. C. Tendências da pesquisa (auto)biográfica. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. p. 297-316.

PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, Elizeu Clementino de. O movimento (auto)biográfico no Brasil: esboço de suas configurações no campo educacional. Investigación Cualitativa, v. 2, n. 1, p. 6 - 26, 2017. Disponível em: https://ojs.revistainvestigacioncualitativa.com/index.php/ric/article/view/56 Acessado em: 15 set. 2019.

PUJADAS MUÑOZ, Joan Josep. El método biográfico: el uso de las historias de vida en ciencias sociales. La Rioja: Centro de Investigaciones Sociológicas (CIS), 1992.

THE SECOND INTERNATIONAL CONFERENCE ON CREATIVE INSUBORDINATION IN MATHEMATICS EDUCATION – ICOCIME 2. Universidade de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2019.

Publicado
2020-06-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 699
  • PDF downloads: 494
Como Citar
BARBOSA, J. G.; LOPES, C. E. Insubordinação criativa como parte do legado científico de Beatriz Silva D’Ambrosio. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 5, n. 13, p. 261-276, 28 jun. 2020.