Jovens gays na escola: masculinidades, infância e narrativas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2019.v4.n11.p558-572

Palavras-chave:

Masculinidades, Infância, Escolarização, Narrativas

Resumo

O artigo apresenta histórias de escolarização de estudantes gays, especificamente, as marcas da infância e as questões das masculinidades vivenciadas nos espaços formativos da escola e da família. Trata-se de uma pesquisa narrativa, cuja opção metodológica inspirou-se nos estudos da História oral, utilizando as entrevistas narrativas como dispositivo de recolha das histórias de vida. Os entrevistados foram seis estudantes gays do ensino médio de uma escola pública estadual, situada no interior da Bahia. O estudo revelou que os jovens gays reconstroem suas histórias de escolarização, em um processo de investigação-formação de si, ampliando os modos como se perceberam na infância, a partir das relações construídas na família e fortalecidas nas relações interpessoais com os colegas da escola que, através de apelidos pejorativos e de exigências para atender a um padrão de masculinidade hegemônica, acabam violentando os corpos infantis gays.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliane Costa Silva, Universidade do Estado da Bahia

Professora substituta na Universidade do Estado da Bahia, Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias- DCHT ( Irecê), Doutorando no Programa de Pós Graduação em Educação e Contemporaneidade. Mestra em Educação e Contemporaneidade no Programa de Pós Graduação de Educação e Contemporaneidade na Universidade do Estado da Bahia. Graduada em Letars Vernáculas, na UNEB, Universidade do Estado da Bahia. Membro do Grupo de Pesquisa DIVERSO.

Jane Adriana Vasconcelos Pacheco Rios, Universidade do Estado da Bahia

Pós-doutora em Educação pela Universidade de São Paulo - USP. Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia- UNEB. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade-PPGEDUC/UNEB. Líder do Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade na Educação Básica – DIVERSO. E-mail:  jhanrios1@yahoo.com.br

Referências

ARAGÃO, Rafael. O homem é desse mundo: para entender a masculinidade como um processo histórico. In: COLLING, Leandro; THÜRLER, Djalma. (Orgs.). Estudos e política do CUS – Grupo de Pesquisa Cultura e Sexualidade. Salvador: EDUFBA, 2013.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiencia transexual. Rio de Janeiro: Garamond Universitária, 2006.

BRITZMAN, Debora P. O que é esta coisa chamada amor – identidade homossexual, educação e currículo. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 71-96, 1996.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BUTLER, Judith. Como os corpos se tornam matéria. Entrevista a Baukje Prins e Irene Meijer. Revista de Estudos Feministas, v. 8, n. 2, p. 15-16, 2002.

CONNELL, Robert W. Políticas da masculinidade. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 2, n. 20, p. 185-206, jul./dez. 1995.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução de Bento Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 9. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

LOURO, Guacira Lopes, Um corpo estranho – Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da sexualidade. In: ______. (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 07-34.

SANTOS, Raquel Alexandre Pinho dos. Isso é o que não mudou ainda: diversidade sexual, homofobia e cotidiano escolar. 2011. 134 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2011.

SEFFNER, Fernando. Derivas da masculinidade: representação, identidade e diferença no âmbito da masculinidade bissexual. 2003. 261 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Tomaz Tadeu da Silva. (Org.). Stuart Hall, Kathryn Woodward. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

SILVA, Joilson Pereira da.; BARRETO, Nayana Santana. Violência escolar: problematizando a relação entre o bullying e a homofobia. Revista Fórum Identidades, Itabaiana: GEPIADDE, ano 6, v. 12, p. 1-15, jul./dez. 2012.

SOUZA, Elizeu Clementino de. A escola e a sexualidade: porque negar o prazer? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 75, n. 179; 180; 181, p. 450-467, jan./dez. 1994.

Downloads

Publicado

2019-06-20

Como Citar

SILVA, J. C.; PACHECO RIOS, J. A. V. Jovens gays na escola: masculinidades, infância e narrativas. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 4, n. 11, p. 558–572, 2019. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2019.v4.n11.p558-572. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/5968. Acesso em: 21 fev. 2024.