Práticas da imagem e produção de vidas: insurgências curriculares visuais, estéticas e culturais nas redes

Aldo Victorio Filho, Rodrigo Torres do Nascimento

Resumo


Abordando aspectos teóricos da imagem e sua relevância na formação de indivíduos e coletivos, esse artigo pretende contribuir com os estudos da Cultura Visual & Educação, refletindo sobre criações, trânsito e efeitos de imagens caras a parte da juventude brasileira, nas redes sociais, autoimagem, selfies e de outras ordens. Apoiados em dois populares ídolos juvenis – Inês Brasil e o grupo de funk Bonde das Bonecas, criadores de suas imagens e detentores de notoriedade em meio à precariedade material, contraestética e de insurgência contra padrões imagéticos dominantes –, tomamos a circulação de suas imagens como notável militância visual, visto catalisarem e agregarem a simpatia de muitos jovens que, ao se sentirem representados, reproduzem imagens, falas e performances como afirmação identitária. Modos de ser e de aprender a ser que desafiam a atualização da educação escolar face às produções curriculares confrontadas e contaminadas pelas redes e visualidades.


Palavras-chave


Chave: Cultura Visual; Selfies; Juventudes; escolas; currículos; visualidades

Texto completo:

PDF

Referências


AGGER, Ben. Oversharing: presentations of self in the internet age. Londres: Routledge, 2012.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BONDE DAS BONECAS. Facebook do Bonde das Bonecas. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2017.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. Tradução de Denise Bottmann. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2006.

CONNEL, Robert W. Políticas da masculinidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Educação & Realidade, n. 20, v. 2, p. 185-206, 1995. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2017.

DAWKINS, Richard. The selfish gene. Oxford: Oxford University Press, 1976.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HERNÁNDEZ, Fernando. A cultura visual como um convite à deslocalização do olhar e ao reposicionamento do sujeito. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene. (Orgs). Educação da cultura visual: conceitos e contextos. Santa Maria: Editora UFSM, 2011. p. 31-50.

INÊS BRASIL. Facebook da Inês Brasil. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2017.

LARROSA BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2017.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria queer: uma política pós-identitária para a educação. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 541-553, 2001. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2017.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense, 2006.

MARCHE, Stephen. Sorry, your selfie isn’t Art. Esquire, 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2017.

MIRZOEFF, Nicholas. How to see the world: an introduction to images, from self-portraits to selfies, maps to movies, and more. Nova Iorque: Basic Books, 2015.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Currículos praticados entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

PAIS, José Machado. Culturas juvenis. Lisboa: INCM, Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1993.

VICTORIO FILHO, Aldo. Pesquisar o cotidiano é criar metodologias. Educação e sociedade, Campinas, v. 28, n. 98, p. 97-110, 2007. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

Latindex

Diadorim

DOAJ - Directory of Open Access Journals

EDUBASE - (SBU/UNICAMP)

Portal de Periódicos CAPES

REDIB - Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico

ULRICH’S - Internacional Periodicals Directory

Portal SEER

Google Scholar

 

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis B2 Educação

 

A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de Atribuição-NãoComercial CC BY-NC