Currículo, conhecimentos e mídias: táticas e invenções dos sujeitos nos cotidianos do Ensino Médio

Edivan Carneiro de Almeida, Elenise Cristina Pires de Andrade

Resumo


Este trabalho busca estabelecer possíveis diálogos sobre as práticas dos sujeitos nos cotidianos do Ensino Médio, partindo dos resultados da pesquisa de mestrado, com experiências vividas-narradas por estudantes, no Projeto Comunicação, Interação e Aprendizagem, desenvolvido em uma escola pública do sertão baiano. Percorrendo traços-fragmentos dessas experiências e experimentando expressões, buscamos compreender algumas possibilidades de realização de práticas de construção-expressão de conhecimentos e invenção de currículos, operadas nos/dos/com os cotidianos escolares. Percebemos que as experiências narradas, por meio de vídeos, configuram oportunidades significativas de construção de conhecimentos e de usos-apropriações de gêneros textuais, artefatos e mídias-linguagens, através da produção de imagens, informações e textos, orais e escritos, veiculados nos cotidianos da escola e na comunidade externa, através da rádio-escola, do blog e do boletim impresso. As vídeo-narrativas dessas experiências também nos possibilitaram a compreensão de que as atividades desenvolvidas no Projeto provocam uma fissura no currículo oficial-enrijecido-prescritivo e potencializam a criação de um currículo singular, in-ventando outros modos de ver-pensar-realizar experimentação/construção/produção de conhecimentos-saberes-poderes, sentidos e subjetividades, dentrofora da sala de aula/escola. Currículo/conhecimento compartilhado, cheio de vida, alegre, animado e arejado pelos/com os significados produzidos pelos estudantes do Ensino Médio.

Palavras-chave


Cotidianos. Currículo. Conhecimento. Mídias. Linguagens. / Everyday life. Resume. Knowledge. Media. Languages. / Cotidianos. Currículo. Conocimiento. Medios. Lenguajes.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Edivan Carneiro de. Construção de conhecimentos e currículos in-venta-dos com as mídias nos cotidianos de uma escola pública de ensino médio. 2014. 144 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2014.

ALVES, Nilda et al. Como e até onde é possível pensar diferente? Micropolíticas de currículo, poéticas, cotidianos e escola. Revista Teias, v. 13, n. 27, p. 49-66, jan./abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 ago. 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. In: Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio: bases legais. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 1999.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Resolução CNE/CEB nº 3/1998. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Resolução CNE/CEB nº 2/2012. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. ProInfo. Disponível em: Acesso em: 09 ago. 2017.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. Tradução de Roneide Venancio Majer. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 19. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. NETO, A. G.; COSTA, C. P. (Trad.). vol. 1, Rio de Janeiro: Ed 34, 1995.

COSTA, Marisa Vorraber. Cartografando a gurizada da fronteira: novas subjetividades na escola. In: JUNIOR, D. M. A. et al. (Orgs.). Cartografias de Foucault. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 269-294.

FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães. Lógicas de currículos em redes e projetos. In: FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães. (Orgs). Currículos, pesquisas, conhecimentos e produção de subjetividades. Rio de Janeiro: DP et Alii, 2012. p. 143-160.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Mídias, máquinas de imagem e práticas pedagógicas. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 35, p. 290-299, mai./ago. 2007.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Tradução de Raquel Ramalhete. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2007.

LIMA JR., Arnaud Soares de. Tecnologias inteligentes e educação: currículo hipertextual. Rio de Janeiro: Quartet; Juazeiro, BA: FUNDESF, 2005. p. 13-44.

LOPES, Alice Casemiro; MACEDO, Elisabeth. O pensamento curricular no Brasil. In: LOPES, Alice Casemiro; MACEDO, Elisabeth. (Orgs.). Currículos: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2002. p. 13-54.

NOVA, Cristiane; ALVES, Lynn. Estação online: a ciberescrita, as imagens e a EAD. In: SILVA, Marcos. (Org.). Educação online. São Paulo: Loyola, 2011. p. 107-136.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Currículos e pesquisas com os cotidianos. In: FERRAÇO, Carlos Eduardo; CARVALHO, Janete Magalhães. (Orgs.). Currículos, pesquisas, conhecimentos e produção de subjetividades. Rio de Janeiro: DP et Alii , 2012. p. 47-70.

SACRISTÁN, J. G. (Org.). Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013.

SILVA, Marcos. Criar e professorar um curso online: relato de experiência. In: SILVA, Marcos. (Org.). Educação online. São Paulo: Loyola, 2011. p. 53-75.

VEIGA-NETO, Alfredo. Currículo e cultura. Contapontos, Itajaí/SP, ano 2, n. 4, p. 43-50, jan./abr. 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2017.v2.n6.p629-645

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

 

 

Portal SEER

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis B2 Educação

 A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de  Atribuição-NãoComercial CC BY-NC