Selfie e a tessitura de imagens e currículos individuaiscoletivos nas/com as redes educativas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2017.v2.n6.p549-564

Palavras-chave:

Selfie, Percepção, Corpo, Conexão, Memória, Tessitura do presente.

Resumo

Este artigo trabalha com o objetivo de pensar as propriedades de um campo especial de imagens conhecido como selfie, o qual, mais do que um registro fotográfico de si próprio, caracteriza-se pela busca de autoapresentação e conexão com o outro, em redes sociais digitais. Metodologicamente, a partir de pesquisas bibliográficas e iconográficas, analisa as mudanças que sua produção e distribuição provocam na percepção, de modo a produzir um sensorium que é acompanhado de novas configurações, éticas e estéticas, marcadas por uma forte exposição de si, bem como por um afrouxamento de tabus sobre a intimidade, inserindo o corpo no processo de comunicação e, dessa forma, na tessitura das narrativas do presente. As configurações atuais também desarticulam questões referentes à representação que, por muito tempo, dominaram os debates relativos à imagem. Para concluir, sugere que a prática de fazer, divulgar, compartilhar e comentar selfies é complexa e paradoxal, por não ser apenas individual, mas também fruto de modelizações, de memórias, de retóricas e de maneiras de narrar e constituir currículos individuaiscoletivos, em processos de permanente criação de si e de mundos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Conceição Silva Soares, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Professora da Univrsidade dos Estado do Rio de Janeiro (UERJ), atuando na Faculdade de Educação, Departamento de Estudos Aplicados ao Ensino, e no Programa de Pós-Graduação (PROPED). Coordenadora do Grupo de Pesquisa Currículos, Narrativas Audiovisuais e Diferença.

Vanessa Maia Barbosa de Paiva, Universidade Federal de São João del-Rei UFSJ-MG

Professora Pesquisadora do Deprtamento de Letras, Artes e Cultura da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ MG). Pós-doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PropEd-UERJ). Membro do Grupo de Pesquisa Currículos, Narrativas Audiovisuals e Diferença.

João Barreto da Fonseca, Universidade Federal de São João del-Rei UFSJ-MG

Professor Pesquisador do Departamento de Letras, Artes e Cultura. Pós Doutor pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PropEd UERJ). Membro do grupo de pesquisa Curículos, Narrativas Audiovisuais e Diferença

Referências

ALVES, Nilda. Imagens das escolas: sobre redes de conhecimentos e currículos escolares. Educar em Revista, Curitiba, Editora da UFPR, n. 17, p. 53-62, jan./jun. 2001. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/er/n17/n17a05.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2017.

ALVES, Nilda. A compreensão de políticas nas pesquisas com os cotidianos: para além dos processos de regulação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1195-1212, out./dez. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v31n113/08.pdf>. Acesso em: 10 mai. 2017.

BARTHES, Roland. A câmara clara: nota sobre a fotografia. Tradução de Júlio Castanõn. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BERGSON, Henri. Matéria e memória. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

BRUNO, Fernanda. Circuitos de vigilância: controle, libido e estética. In: LEAL, Bruno Souza; MENDONÇA, Carlos Camargos; GUIMARÃES, César. (Orgs.). Entre o sensível e o comunicacional. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 253-273.

CANCLINI, N. G. Fotografia e ideologia: seus pontos comuns. In: FUNARTE/INFOTO. Feito na América Latina – II Colóquio Latino-Americano de Fotografia (México, 1981). Rio de Janeiro/México, Ministério da Cultura/Conselho Mexicano de Fotografia, 1987.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A sobrevivência dos vagalumes. Belo Horizonte, MG: Editora UFMG, 2011.

DIDI-HUBERMAN, Georges. “As imagens não são apenas coisas para representar”. Entrevista concedida a Verônica Engler. Disponível em: <http://www.sul-sur.com/2017/06>. Acesso em: 19 jun. 2017.

DUBOIS, Phillipe. O ato fotográfico e outros ensaios. São Paulo: Senac, 2010.

FRANCASTEL, Pierre. A realidade figurativa. São Paulo: Perspectiva, 1993.

FLUSSER, Vilém. A filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2002.

FRANÇA, Vera. Sujeito da comunicação, sujeitos em comunicação. In. GUIMARÃES, César; FRANÇA, Vera. (Orgs). Na mídia, na rua: narrativas do cotidiano. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 61-88.

GONÇALVES, Marco Antônio; HEAD, Scott. Devires imagéticos: a etnografia, o outro e suas imagens. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009. p. 5-35.

GUIMARÃES, César. O que ainda podemos esperar da experiência estética. In: GUIMARÃES, César. (Org.). Comunicação e experiência estética. Belo Horizonte: UFMG, 2006. p. 13-26.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Tradução de Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto; Ed. PUC-Rio, 2010.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

KOSSOY, Boris. Os tempos da fotografia: o efêmero e o perpétuo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2007.

MARTINS, José de Souza. Sociologia da fotografia e da imagem. São Paulo: Contexto, 2008.

MINK, Janis. Duchamp. São Paulo: Taschen, 2000.

MISKOLCI, Richard. A gramática do armário: notas sobre segredos e mentiras em relações homoeróticas masculinas mediadas digitalmente. In: PELÚCIO, Larissa et al. (Orgs.). Olhares plurais para o cotidiano: gênero, sexualidade e mídia. Marília, SP: Oficina Universitária; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012. p. 32-52.

NICHOLS, Bill. La representacion de la realidad: cuestiones y conceptos sobre el documental. Barcelona: Paidós, 1997.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: Editora 34, 2009. p. 07-13.

REZENDE, Luiz Augusto. Microfísica do documentário: ensaio sobre criação e ontologia do documentário. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2013.

RODRIGUES, Nelson; CASTRO, Ruy. Flor de obsessão: as 1000 melhores frases de Nelson Rodrigues. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

ROSÁRIO, Nísia Martins do. O corpo eletrônico. Intexto, Porto Alegre, UFRGS, v. 1, n. 18, p. 1-13, jan./mai. 2008.

SOARES, Maria da Conceição Silva Soares. A comunicação praticada com o cotidiano da escola. Vitória: EspaçoLivros, 2009.

SONTAG, Susan. Sobre fotografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

VILLAÇA, Nízia. A edição do corpo: tecnociência, artes e moda. Barueri, SP: Estação das Letras, 2007.

WULF, Christoph. Homo pictor: imaginação, ritual e aprendizado mimético no mundo globalizado. Tradução de Vinicius Spricigo. São Paulo: Hedra, 2013.

Downloads

Publicado

2017-12-15

Como Citar

SOARES, M. da C. S.; PAIVA, V. M. B. de; FONSECA, J. B. da. Selfie e a tessitura de imagens e currículos individuaiscoletivos nas/com as redes educativas. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 2, n. 6, p. 549–564, 2017. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2017.v2.n6.p549-564. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/3759. Acesso em: 4 mar. 2024.