METAFORIZANDO AS NARRATIVAS DE SI: UMA ARTE EM PROSA

  • Norinês Panicacci Bahia
Palavras-chave: (Auto)biografia. Narrativas de si, Momentos-charneira, Formação docente

Resumo

Considerando os avanços dos estudos e pesquisas relacionados às abordagens (auto)biográficas, bem como a sua consolidação nos processos de formação de professores, apresentamos, neste artigo, uma revisão bibliográfica em torno das discussões e proposições de autores da área. Pela sua reconhecida colaboração para a compreensão de sua gênese e das atuais reflexões e investigações que apontam para as possibilidades de desvelamento da identidade docente, enquanto importante recurso reflexivo, formativo e de pesquisa, destacamos os estudos de Nóvoa (1992b), Nóvoa e Finger (1988), Josso (1988; 2004), Cunha (1997); Bueno (2002), Bolívar (2012), Souza e Bragança (2012), Passeggi e Abrahão (2012) e Catani (2014), apenas para citar alguns exemplos. Ampliamos as discussões, apresentando uma possibilidade de trabalho com as narrativas de si que recorre a uma metáfora, em interface com o processo de confeção de uma colcha de retalhos – uma abordagem que une teoria e prática, pelo viés da expressividade das representações de momentos-charneira “em retalhos”, a partir das muitas e variadas trajetórias formativas e profissionais dos sujeitos envolvidos nesse processo. As análises realizadas indicam a riqueza das reflexões e das práticas de processos formativos que não só desvelam elementos constitutivos da profissionalidade docente, como também do seu fortalecimento – uma identidade que se consolida, também, pelas reflexões dos saberes e fazeres de um sujeito em suas experiências, certezas e incertezas, e na interação com outros sujeitos e contextos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Nilda. Sobre movimentos das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda. (Orgs). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas. 3. ed. Petrópolis, RJ: DP et Alii, 2008. p. 39-48.

BROUGÈRE, Gilles; ULMANN, Anne-Lise. (orgs). Aprender pela vida cotidiana. Tradução de Antonio de P. Danesi. Campinas, SP: Autores Associados, 2012. (Coleção Formação de Professores).

BUENO, Belmira O. O método autobiográfico e os estudos com histórias de vida de professores: a questão da subjetividade. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 11-30, jan./jun. 2002.

BOLÍVAR, Antonio. Metodología de la investigación biográfico-narrativa: recogida y análisis de datos. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Porto Alegre: EDIPUCRS; Natal: EDUFRN; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 79-109 (Coleção Pesquisa (Aauto)biográfica: temas transversais, II).

CAMARGO, Ana Maria F. de; MARIGUELA, Márcio. (Orgs). Cotidiano escolar – emergência e invenção. Piracicaba: Jacintha Editores, 2007.

CATANI, Denice B. Ficções teóricas e ficções (auto)biográficas: elementos para uma reflexão sobre ciência e formação no campo educacional. In: ABRAHÃO, Maria Helena M. B.; BRAGANÇA, Inês F. de S.; ARAÚJO, Mairce da S. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica, fontes e questões. Curitiba, PR: CRV, 2014. p. 27-37.

CUNHA, Maria Isabel da. Conta-me agora! As narrativas como alternativas pedagógicas na pesquisa e no ensino. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 23, n. 1-2, s./p., 1997. Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-25551997000100010>.

Acesso em: 05 dez. 2016.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Tradução de José Claudino e Júlia Ferreira. São Paulo: Cortez, 2004.

JOSSO, Marie-Christine. Da formação do sujeito... ao sujeito da formação. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Tradução de Maria Nóvoa. Lisboa: Pentaedro; Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988. p. 35-50. (Cadernos de Formação, 1).

JOSSO, Marie-Christine. Os relatos de histórias de vida como desvelamento dos desafios existenciais da formação e do conhecimento: destinos sócio-culturais e projetos de vida programados na invenção de si. In: SOUZA, Elizeu C.; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Orgs.). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006. p. 21-40.

NÓVOA, António. (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992a.

NÓVOA, António. (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 1992b.

NÓVOA, António. (Org.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1992c.

NÓVOA, António; FINGER, Mathias. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Tradução de Maria Nóvoa. Lisboa: Pentaedro; Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional, 1988. (Cadernos de Formação, 1).

PASSEGGI, Maria da Conceição; SOUZA, Elizeu C.; VICENTINI, Paula P. Entre a vida e a formação: pesquisa (auto)biográfica, docência e profissionalização. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n.1, p. 369-386, abr. 2011.

PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Porto Alegre: EDIPUCRS; Natal: EDUFRN; Salvador: EDUNEB, 2012. (Coleção Pesquisa (Auto)biográfica: temas transversais, II).

PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena M. B.; DELORY-MOMBERGER, Christine. Reabrir o passado, inventar o devir: a inenarrável condição biográfica do ser. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Porto Alegre: EDIPUCRS; Natal: EDUFRN; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 29-57. (Coleção Pesquisa (Auto)biográfica: temas transversais, II).

PASSEGGI, Maria da Conceição; CUNHA, Luciana Medeiros. Narrativas autobiográficas: a imersão no processo de autoria. In: VICENTINI et al. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica – questões de ensino e formação. Curitiba: CRV, 2013. p. 43-57.

PÉREZ, Carmem L. V. Histórias de escola e narrativas de professores: a experiência do GEPEMC. Memória e Cotidiano. In: SOUZA, Elizeu C. (Org.). Autobiografias, histórias de vida e formação: pesquisa e ensino. Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006. p. 177-188.

PORTILLO, Jorge Alberto C. Hablar, leer, escribir, sentir, imaginar. La necesidad de crear uma narrativa desde la cultura escrita y el ser maestra/o em procesos de formación docente. In: MONTEIRO, Filomena de A. et al. (Orgs). Narrativas docentes, memórias e formação. Curitiba: CRV, 2016. p. 29-41. (Pesquisa (Auto)biográfica: conhecimentos, experiências e sentidos, 3).

SOUZA, Elizeu C. de. O conhecimento de si: narrativas do itinerário escolar e formação de professores. 2004. 344 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2004. Disponível em:

<https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10267/1/Tese_Elizeu%20Souza.pdf>.

Acesso em: 04 dez. 2016.

SOUZA, Elizeu C. de. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (Orgs.). Memória e formação de professores. [on-line]. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 59-74. Disponível em: <http://books.scielo.org>. Acesso em: 04 dez. 2016.

SOUZA, Elizeu C. de. Territórios das escritas do eu: pensar a profissão – narrar a vida. Educação, Porto Alegre: PUCRS, v. 34, n. 2, p. 213-220, mai./ago. /2011.

SOUZA, Elizeu C. de.; BRAGANÇA, Inês Ferreira de S. (Orgs.). Memória, dimensões sócio-históricas e trajetórias de vida. Porto Alegre: EDIPUCRS; Natal: EDUFRN; Salvador: EDUNEB, 2012. (Coleção Pesquisa (Auto)biográfica: temas transversais, 5).

Publicado
2017-04-29
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1548
  • PDF downloads: 823
Como Citar
BAHIA, N. P. METAFORIZANDO AS NARRATIVAS DE SI: UMA ARTE EM PROSA. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 2, n. 4, p. 177-191, 29 abr. 2017.