Entre a reificação da mulher e a emancipação feminina: algumas contradições de um cronista de viagens brasileiro-lusitano (Oscar Leal, 1886-1895)

Resumo

Oscar Leal foi um escritor brasileiro-lusitano que desenvolveu sua carreira literária na virada do século XIX ao XX, dedicando significativa parte de sua produção intelectual à literatura de viagem. Sob uma óptica civilizatória e eurocêntrica, em suas narrativas prevalecia a tradicional constituição do olhar sobre o outro, com ênfase para o inusitado, o diferente e o pitoresco. No que tange ao gênero feminino, o autor lançava um olhar dúbio e contraditório, pois de um lado empregava um tratamento que coisificava a mulher e, de outro, dizia-se um veemente propugnador da emancipação feminina. A abordagem dessa dicotômica visão constitui o objetivo deste trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco das Neves Alves, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande – FURG

Isabel Lousada, Universidade Nova de Lisboa

Investigadora Auxiliar da NOVAFCSH, integrada no CICSNOVA: Centro Interdisciplinar de Cièncias Sociais, da Universidade Nova de Lisboa.

Referências

ASSUNÇÃO, P. Literatura de viagem: experiência e comunicação de novas ideias. In: QUINTEIRO, S.; BALEIRO, R. & SANTOS, I. D. (orgs.). Turistas, viajantes e lugares literários. Faro: Universidade do Algarve, 2016. p. 151-166.

AUGUSTIN, G. Literatura de viagem na época de Dom João VI. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2009.

BLAKE, A. V. A. S. Dicionário bibliográfico brasileiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1899, v. 5 1900, v. 6.

BELLUZZO, A. M. A propósito d’O Brasil dos viajantes. In: Revista USP, São Paulo, n. 30, p. 8-19, junho/agosto 1996.

GIUCCI, G. Viajantes do maravilhoso: o Novo Mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

LEAL, O. Viagem ao centro do Brasil (impressões). Lisboa: Tipografia Largo do Pelourinho, 1886.

LEAL, O. Viagem às terras goianas (Brasil central). Lisboa: Tipografia Minerva Central, 1892.

LEAL, O. Contos do meu tempo. Recife: Tipografia de José Nogueira de Souza, 1893.

LEAL, O. Viagem a um país de selvagens. Lisboa: Livraria de Antônio Maria Pereira, 1895.

LEAL, O. Dentistas e “dentistas” – crítica (de luva calçada) ao folheto de Francisco Ortiz O Dentista Moderno. Lisboa: Livraria Editora da Viúva Tavares Cardoso, 1904.

PEREIRA, E. & RODRIGUES, G. Portugal – dicionário histórico, corográfico, biográfico, bibliográfico, heráldico, numismático e artístico. Lisboa: João Romano Torres & Cia. Editores, 1909. v. 4.

REICHEL, H. J. Relatos de viagens como fonte histórica para estudo de conflitos étnicos na região platina (séc. XIX). In: VÉSCIO, L. E. & SANTOS, P. B. (orgs.). Literatura & História: perspectivas e convergências. Bauru: EDUSC, 1999. p. 55-77.

RITA, A. No fundo dos espelhos [II] – em visita. Porto: Caixotim Edições, 2007.

SEIXO, M. A. Entre cultura e natureza: ambiguidades do olhar viajante. In: Revista USP, São Paulo, n. 30, p. 120-133, junho/agosto 1996.

SILVA, I. F. Dicionário bibliográfico português. Lisboa: Imprensa Nacional, 1894, t. 17.

TORRESÃO, G. Oscar Leal. In: GIL BRAZ. Lisboa, 10 maio 1898, a. 1, n. 2, p. 1-2.

Publicado
2020-12-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 136
  • PDF downloads: 55
Seção
ARTIGOS