IMPACTOS E CONTRIBUIÇÕES DE PRÁTICAS MEDITATIVAS EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS: REVISÃO INTEGRATIVA

Palavras-chave: Meditação, Estudantes, Ansiedade, Terapias Complementares, Saúde Mental

Resumo

Objetivo: Este estudo tem como objetivo analisar artigos publicados de 2015até 2019 sobre os impactos e contribuições da meditação na saúde mental e emocional durante o período acadêmico. Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa, no qual foram analisados artigos disponíveis na base de dados Biblioteca Virtual em Saúde. Foi utilizado os seguintes critérios de inclusão: artigos completos, publicados de 2015 a 2019 e possuir como assunto principal a meditação, estudantes, estudantes de enfermagem, estudantes de medicina, ansiedade, e como critério de exclusão artigos repetidos ou com fuga do tema. Resultados: Foram encontrados 78 artigos e após critérios de inclusão restaram 24, sendo utilizados 07 artigos para análise após leitura criteriosa. Discussão: Foram observados nos estudos impactos e contribuições importantes após o desenvolvimento de práticas meditativas nos estudantes. À medida que estas práticas se tornam frequentes, estudos confirmam maiores benefícios para os praticantes da meditação. Conclusão: Os estudos revelam que a meditação tem impacto na saúde mental e emocional dos estudantes universitários estando relacionada a redução dos sintomas de depressão e ansiedade, prevenção e diminuição do estresse e do cansaço, bom desempenho cognitivo, melhora do sono, de atenção, do estado de consciência, de humor e empatia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Agnes Claudine Fontes De La Longuiniere, Doutoranda em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Professora na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Membro do Núcleo de Pesquisa em Bioética e Espiritualidade e da Rede de Pesquisadores em Espiritualidade e Saúde.

Elane Mascarenhas Carmo, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Graduada em Enfermagem

Geovana Magestade da Silva Bitencourt, Residente no programa Multiprofissional em Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Graduada em Enfermagem. Integrante do Grupo de Pesquisa Estudos Interdisciplinares em Saúde Coletiva

Ivone Gonçalves Nery, Professora na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Mestra em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Integra o Grupo de pesquisa política, planeja mento em saúde

Ianderlei Andrade Souza, Professor na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Mestre em Clínica Odontológica pela Universidade Federal da Bahia.

Priscila Gonçalves dos Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Graduada em Enfermagem.

Referências

Brasil. Universidade Estadual de Campinas: Estresse. Cérebro e Mente. Revista Eletrônica de Divulgação Científica em Neurociência, 2015. [Acesso em 07 jan 2019]. Disponivel em:<http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2068-estresse>.

Caetano, VC, Araujo FM, Machado MP. Ansiedade, estresse e depressão associado ao índice de rendimento acadêmico em estudantes de fisioterapia. Cadernos de educação, saúde e fisioterapia, 2019; 6(12).

Carleto CT, Moura RCD, Santos VS, Pedrosa LAK. Adaptação à universidade e transtornos mentais comuns em graduandos de enfermagem. Revista Eletrônica de Enfermagem,2018; 20.

Sampaio RFV, Carvalho FMN, Kemp VH. Occupational Stressors and Quality of Life in the Work of Traffic Wardens.Rev PPP [Internet]. 2012; 7(1):34-43.

Freires LA et al. Estresse Acadêmico: Adaptação e evidências psicométricas de uma medida. Psicologia em Pesquisa. 2018; 12, n. 3, p. 22-32.

Brasil, Ministério da Saúde. Portaria n. º 971, de 03 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, v. 84, 2006.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein (São Paulo). 2010; 8, 1, 102-106.

Carpena MX, Tavares PS, Menezes CB. The effect of a six-week focused meditation training on depression and anxiety symptoms in Brazilian university students with 6 and 12 months of follow-up. Journal of affective disorders. 2019.246, 401-407. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jad.2018.12.126

Mcconville J, Mcaleer R, Hahne A. The effect of mindfulness training on psychological wellbeing, learning and clinical performance of health professional students: a systematic review of randomised and non-randomised controlled trials. 2016. DOI: DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.explore.2016.10.002

Saoji A, Mohanty S, Vinchurkar SA. Effect of a single session of a yogic meditation technique on cognitive performance in medical students: A randomized crossover trial. Journal of religion and health. 2017. 56, 1, 141-148. DOI: DOI 10.1007/s10943-016-0195-x

Spadaro KC, Hunker DF. Exploring the effects of an online asynchronous mindfulness meditation intervention with nursing students on stress, mood, and cognition: A descriptive study. Nurse Education Today. 2016. 39, 163-169. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.nedt.2016.02.0060260-6917/© 2016 Elsevier Ltd. All rights reserved.

Van Der Riet P, Levett-Jones T, Aquino-Russell C. The effectiveness of mindfulness meditation for nurses and nursing students: An integrated literature review. Nurse education today. 2018. 65, 201-211. DOI: DOI:10.1016/j.nedt.2018.03.018

Cardoso BLA, Demarzo M. Contribuições da prática de mindfulness para o desenvolvimento de habilidades terapêuticas. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva. 2018. 20(4); 81-92.

Galvanese ATC, Barros NFD, Oliveira AFPL. Contribuições e desafios das práticas corporais e meditativas à promoção da saúde na rede pública de atenção primária do Município de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. 2017. 33, e00122016.

Portella CFS, Malva SVA. Contribuições da meditação para a qualidade de vida de adolescentes. Cadernos de Naturologia e Terapias Complementares. 2017. 5(8), 29-37.

Sampaio C. Volpi JH, Volpi SM. Respiração, relaxamento e meditação. XIII Congresso Brasileiro de Psicoterapias Corporais. Anais. Curitiba: Centro Reichiano, 2018. [ISBN –978-85-69218-03-6]. [Acesso em: 23 mar 2019]. Disponível em: http://centroreichiano.com.br/anais-doscongressos.

Catarucci, FM. Efeitos de um curso de gerenciamento de estresse sobre a percepção do estresse, empatia e marcadores inflamatórios em graduandos de um curso de medicina. 2018. (Tese). 103p. Faculdade de Medicina de Botucatu, UNESP - Universidade Estadual Paulista.

Sanko J, Mckay M, Rogers S. Exploring the impact of mindfulness meditation training in pre-licensure and post graduate nurses. Nurse education today, 2016.45. 142-147. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.nedt.2016.07.0060260-6917/© 2016 Elsevier Ltd. All rights reserved.

Moir F et al. A peer-support and mindfulness program to improve the mental health of medical students. Teaching and learning in medicine. 2016. 28, 3, 293-302. DOI: 10.1080/10401334.2016.1153475. Epub 2016 Apr 19.

Gutierre MU, Gutierre RC, Curiati, JAE. A liga de meditação e saúde na educação, prevenção e terapêutica de profissionais de saúde e pacientes. Revista de Medicina.2019; 98(2):152-154.

Publicado
2021-10-27
Métricas
  • Visualizações do Artigo 186
  • PDF downloads: 144
Como Citar
Longuiniere, A. C. F. D. L., Mascarenhas Carmo, E., Bitencourt, G. M. da S., Silva, A. M. F. da, Nery, I. G., Souza, I. A., & Santos, P. G. dos. (2021). IMPACTOS E CONTRIBUIÇÕES DE PRÁTICAS MEDITATIVAS EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS: REVISÃO INTEGRATIVA. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e9703. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/9703
Seção
Revisão de Literatura