ANÁLISE DOS ÓBITOS POR ACIDENTES DE TRANSPORTES NA BAHIA NO PERÍODO DE 2015 A 2019

Palavras-chave: Acidentes de Trânsito, Hospitalização, Epidemiologia, Urgência, Emergência

Resumo

Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico dos óbitos por acidentes de transportes no estado da Bahia no período de 2015 a 2019 e caracterizar a distribuição dos óbitos segundo faixa etária, sexo, raça/cor. Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico com delineamento ecológico, retrospectivo e descritivo, conduzido a partir de dados secundários de acesso público, disponíveis no Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS) e disponibilizados eletronicamente pela secretaria de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, no portal eletrônico do Departamento de Informática do SUS (DATASUS). Resultados: No período analisado (2015–2019) ocorreu um total de 11.950 óbitos decorrentes de acidentes de transportes na Bahia. Nota-se que em todos os anos analisados houve o predomínio de homens (86,5%; 84,9%; 84,2%; 84,5%; 85,6%), com idade entre 20-39 anos (47,1%; 45%; 42,9%; 43%; 43%), e da raça cor parda (75,9%; 76,7%; 77,3%; 75,5%%; 78,6%), respectivamente. Conclusão: Nota-se que o perfil epidemiológico dos óbitos por acidentes de transportes no estado da Bahia no período de 2015 a 2019 foi composto por sua maioria por homens, adultos jovens, e, acidentes envolvendo motociclistas. Pontua-se que a raça/cor parda foi a mais predominante. Destaca-se que outros estudos com múltiplos métodos de análise devem ser desenvolvidos, a fim de conhecer outros fatores atrelados à temática em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas de Souza e Silva, Doutorando em Ciências da Saúde da Universidade Federal da Bahia - Brasil

Mestre em Ciências da Saúde. Enfermeiro no Hospital Geral Roberto Santos.

Maria Doralice dos Santos Lima , Faculdade Estácio - Brasil

Especialista em Urgência e Emergência.

Referências

Etienne G, Krug LL, Dahlberg JÁ, Mercy ABZ, Lozano R. World report on violence and health. Geneva: World Health Organization; 2002.

Mascarenhas MDM, Barros MBA. Evolução das internações hospitalares por causas externas no sistema público de saúde - Brasil, 2002 a 2011. Epidemiol. Serv. Saúde. 2015;24(1):19-29.

Corassa RB, Falci DM, Gontijo CF, Machado GVC, Alves PAB. Evolução da mortalidade por causas externas em Diamantina (MG), 2001 a 2012. Cad. saúde colet. 2017;25(3):302-314.

Dias JPP, Silva JSS, Leão JPB, Lucena TS. Estudo dos Óbitos de Motociclistas por Acidentes de Trânsito em Arapiraca-AL. Revist Port.: Saúde e Sociedade. 2016;1(2):169-180.

Barros CS, Dias ML, Silva TFA, Fernandes FECV. Caracterização dos acidentes de transporte terrestre ocorridos em rodovias federais. Arquivos de Ciências da Saúde. 2018;25(1):35-40.

World Health Organization. Global status report on road safety 2015. Geneva: World Health Organization; 2015.

Moreira MR, Ribeiro JM, Motta CT, Motta JIJ. Mortalidade por acidentes de transporte de trânsito em adolescentes e jovens, Brasil, 1996-2015: cumpriremos o ODS 3.6?. Ciênc. saúde coletiva. 2018;23(9):2785-2796.

DATASUS. Brasília: Ministério da Saúde (BR). Departamento de Informática do SUS - DATASUS. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcg i.exe?sim/cnv/ext10uf.def.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Características étnico-raciais da população: classificações e identidades. Rio de Janeiro: IBGE, 2013.

Andrade SSCA, Mello JMHP. Internações hospitalares por lesões decorrentes de acidente de transporte terrestre no Brasil, 2013: permanência e gastos. Epidemiol. Serv. Saúde. 2017; 26(1): 31-38.

Silva DS, Oliveira AR, Oliveira DF, Dias MM, Lobo JO, Faustino TN et al. Internamentos por acidentes de transportes em um hospital público baiano. Enfermagem Brasil. 2018;17(1): 4-9.

Rodrigues EMS, Villaveces A, Sanhueza A, Escamilla-Cejudo JA. Trends in fatal motorcycle injuries in the Americas, 1998-2010. Int J Inj Contr Saf Promot. 2014;21(2):170-180.

Messias KLM, Bispo Júnior JP, Pegado MFQ, Oliveira LC, Peixoto TG, Sales MAC et al. Qualidade da informação dos óbitos por causas externas em Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 2016;21:1255–1267.

Publicado
2021-12-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 154
  • PDF downloads: 109
Como Citar
Silva, D. de S. e, & Lima , M. D. dos S. (2021). ANÁLISE DOS ÓBITOS POR ACIDENTES DE TRANSPORTES NA BAHIA NO PERÍODO DE 2015 A 2019. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e12865. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/12865
Seção
Artigos (FLUXO CONTíNUO)