ASPECTOS CLÍNICOS DOS CASOS CONFIRMADOS DE INFLUENZA A (H1N1) PDM09 POR REGIÃO DURANTE A PANDEMIA NO BRASIL: DATASUS

Palavras-chave: Vírus H1N1, Síndrome Respiratória Aguda Grave, Epidemiologia

Resumo

Objetivo: Descrever os aspectos clínicos da Influenza A (H1N1) pdm09 no Brasil por região geográfica, durante a pandemia que ocorreu entre os anos de 2009 e 2010. Método: Trata-se de um estudo quantitativo descritivo. Os dados foram coletados a partir de informações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), utilizando o tabulador web Tabnet no site do DATASUS. Como critérios de inclusão, foram considerados dados registrados durante o período de 2009 e 2010; apenas casos confirmados; e dados disponíveis para as cinco regiões brasileiras. Resultados: A região do Brasil com o maior número de casos confirmados de influenza A (H1N1) pdm09 durante o período pandêmico foi o Sul. A faixa etária mais acometida variou entre as regiões, mas em geral, predominou-se em jovens e adultos. Em todas as localidades o sexo que mais apresentou casos confirmados foi o sexo feminino. O Sul também foi o que apresentou maior percentual de evolução para SRAG, entretanto, foi o Sudeste que teve o maior número de SRAG que demandaram internações hospitalares. Apesar de apresentar o maior número de casos, a região Sul também apresentou o maior percentual de cura. Conclusão: O Brasil sofreu grandes impactos com a pandemia de influenza A (H1N1). Milhares de pessoas foram afetadas. Em geral, ao contrário de outros vírus da gripe comum, o vírus da influenza A acomete pessoas mais jovens e indivíduos do sexo feminino em todas as regiões brasileiras.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

WHO. World Health Organization. Pandemic (H1N1) 2009 - update 82. 2010. Disponível em: https://www.who.int/csr/don/2010_01_08/en/. Acesso em: 01 fev. 2021.

Novel Swine-Origin Influenza A (H1N1) Virus Investigation Team, 2009. Emergence of a Novel Swine-Origin Influenza A (H1N1) Virus in Humans. N Engl J Med 2009; 360:2605-2615.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Influenza. Influenza. Caderno 1. Guia de Vigilância Epidemiológica. 7a ed. Brasília, (DF): Ministério da Saúde; 2009. p. 1-23 [série A normais e manuais técnicos].

Codeço CT, Cordeiro JS, Lima AWS, Colpo RA, Cruz OG, Coelho FC et al. The epidemic wave of influenza A (H1N1) in Brazil, 2009. Cad. Saúde Pública. 2012;28(7):1325-1336.

Perez-Padilla R, de la Rosa-Zamboni D, Ponce de Leon S, Hernandez M, Quinones-Falconi F, Bautista E, et al. Pneumonia and respiratory failure from swine-origin influenza A (H1N1) in Mexico. N Engl J Med2009 [Epub ahead of print].

Pires Neto RJ, Lemos DRQ, Cavalcanti LPG, Ramos Junior AN, Alencar CH, Façanha MC, et al. Pandemic influenza A (H1N1) 2009: Epidemiological analysis of cases in a tropical/semi-arid region of Brazil. Rev Soc Bras Med Trop. 2013;46(2):141-6.

Schout D, Hajjar LA, Galas FRBG, Uip DE, Levin ASS, Caiaffa Filho HH et al. Epidemiology of human infection with the novel virus influenza A (H1H1) in the Hospital das Clínicas, São Paulo, Brazil - june-september 2009. Clinics. 20009; 64(10):1025-30.

Ribeiro AF, Pellini ACG, Kitagawa BY, Marques D, Madalosso G, de Cassia Nogueira Figueira G, et al. (2015) Risk Factors for Death from Influenza A(H1N1)pdm09, State of São Paulo, Brazil, 2009. PLoS ONE 10(3): e0118772. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0118772

Oliveira W, Carmo E, Penna G, Kuchenbecker R, Santos H, Araujo W, Malaguti R, Duncan B, Schmidt M; Surveillance Team for the pandemic influenza A(H1N1) 2009 in the Ministry of Health. Pandemic H1N1 influenza in Brazil: Analysis if the first 34,506 notified cases of influenza-like illness with severe acute respiratory infection (SARI). Euro Surveill 2009;14(42):pii=19362.

Moura, Fernanda EA. Influenza in the tropics, Current Opinion in Infectious Diseases. 2010; 23(5):415-420 doi: 10.1097/QCO.0b013e32833cc955

Golynski K S, Marques C M, Avaliação epidemiológica dos casos de influenza a (H1N1) e o impacto da vacinação em indivíduos que residem em Curitiba-PR. Caderno da Escola de Saúde. 2017; 14:32-51.

Kelly HA, Grant KA, Williams S, Fielding J, Smith D. Epidemiological characteristics of pandemic influenza H1N1 2009 and seasonal influenza infection. MJA. 2009;191(3):146-149.

Khandaker G, Dierig A, Rashid H, King C, Heron L, Booy R: Systematic review of clinical and epidemiological features of the pandemic influenza A (H1N1) 2009. Influenza Other Respir Viruses. 2011, 5:148-156.

Punpanich W, Chotpitayasunondh T: A review on the clinical spectrum and natural history of human influenza. Int J Infect Dis. 2012, 16:714-723.

Dhandapani NSPSK. Evaluation of Pregnancy, Younger Age, and Old Age as Independent Risk Factors for Poor Hospitalization Outcomes in Influenza A (H1N1) pdm09 Virus a Decade After the Pandemic. Cureus. 2020;12(11): e11762.

Wang XL, et al. Age and sex differences in rates of influenza-associated hospitalizations in Hong Kong. Am J Epidemiol. 2015;182(4):335–44.

Klein SL, Hodgson A, Robinson DP. Mechanisms of sex disparities in influenza pathogenesis. J Leukoc Biol. 2012;92(1):67–73.

Giefing-Kroll C, et al. How sex and age affect immune responses, susceptibility to infections, and response to vaccination. Aging Cell. 2015;14(3):309–21.

Peretz J, Hall OJ, Klein SL. Sex differences in influenza virus infection, vaccination, and therapies., in Sex and Gender Differences in Infection and Treatments for Infectious Diseases. Springer International Publishing. 2015, 183–210.

Milanesi, Rafaela, Caregnato, Rita Catalina Aquino e Wachholz, Neiva Isabel RaffoPandemia de Influenza A (H1N1): mudança nos hábitos de saúde da população, Cachoeira do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil, 2010. Cadernos de Saúde Pública. 2011, 27(4):723-732. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011000400011>. Epub 09 Maio 2011. ISSN 1678-4464. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011000400011.

Wong K, Luscomb GM, Hawke C. Influenza infections in Australia 2009–2015: is there a combined effect of age and sex on susceptibility to virus subtypes? BMC Infect Dis. 2019, 19(42).

Publicado
2021-11-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 148
  • PDF (English) downloads: 30
Como Citar
Carvalho, F. S., Mendes, B. A., Villafuerte, L. K. M., Silva, J. R. A., & Cunha, A. C. O. (2021). ASPECTOS CLÍNICOS DOS CASOS CONFIRMADOS DE INFLUENZA A (H1N1) PDM09 POR REGIÃO DURANTE A PANDEMIA NO BRASIL: DATASUS. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e12007. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/12007
Seção
Artigos (FLUXO CONTíNUO)