PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS LESÕES POR ESFORÇO REPETITIVO E DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES EM TRABALHADORES BAIANOS

Palavras-chave: Epidemiologia, LER-DORT, Saúde do Trabalhador

Resumo

Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico de Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT) em trabalhadores do estado da Bahia. Método: Estudo epidemiológico, descritivo, consubstanciado por dados extraídos da base de dados da Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde do Trabalhador. Foram incluídas as notificações referentes às LER/DORT, compreendendo o período de 2014 a 2018, no estado da Bahia. As variáveis estudadas foram as características sociodemográficas e referentes ao agravo. Resultados: Foram averiguados 4.979 casos de LER/DORT em trabalhadores, notificados no estado da Bahia, no período de 2014 a 2018. Destes, 50,3% eram homens, 34,3% possuíam idade entre 40 e 49 anos, 37,5% detinham raça/cor parda e 35,4% eram trabalhadores de bens e serviços industriais. Verificou-se, também, que 72,5% não apresentaram mudança no ambiente de trabalho e 76,4% tinham jornada de trabalho >6 horas diárias. Entre as variáveis que caracterizam o agravo, relacionadas à saúde, observou-se que 64,9% dos trabalhadores realizavam movimentos repetitivos, 83,1% demonstram diminuição da força e 88,4% apresentaram dor e 65,3% precisaram de afastamento. Ademais, 74,3% evoluíram para incapacidade temporária. Conclusão: Averiguou-se que em trabalhadores baianos a LER/DORT aparenta ser mais prevalente no sexo masculino, entre a faixa etária de 40 a 49 anos, em trabalhadores de serviços, entre os que não apresentaram alteração no ambiente de trabalho e nos que possuíam longa jornada no labor. Além disso, o agravo foi caracterizado, principalmente, por movimentos respetivos, declínio da força, dor e necessidade de afastamento, bem como incapacidade temporária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas dos Santos, Doutorando em Ciências da Saúde pelo Programa de pós-graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Integrante do Núcleo de Estudos em Epidemiologia do Envelhecimento.

Referências

Duarte AF, Souza APC, Macedo AF, Pereira CA, Araujo FF. Fatores de riscos para distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho-DORT em profissionais de enfermagem. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, 2012; 4:53-56.

Moraes PWT, Bastos AVB. As LER/DORT e os fatores psicossociais. Arq. bras. psicol. 2013; 65(1): 02-20.

Chiavegato Filho LG, Pereira Jr A. LER/DORT: multifatorialidade etiológica e modelos explicativos. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 2004; 8:149-162.

Rosa AFG, Garcia PA, Vedoato T, Campos RG, Lopes MLS. Incidência de LER/ Incidência de LER/DORT em trabalhadores de enfermagem. Acta Scientiarum. 2008; 30(1): 19-25.

Augusto VG, Sampaio RF, Tirado MGA, Mancini MC, Parreira VF. Um olhar sobre as LER/DORT no contexto clínico do fisioterapeuta. Rev Bras Fisioter. 2008; 12(1): 49-56.

Negri JR, Cerveny GCO, Montebelo MIL, Teodori RM. Perfil sociodemográfico e ocupacional de trabalhadores com ler/dort: estudo epidemiológico. Revista Baiana de Saúde Pública, 2014; 38(3):555-570.

Viegas LRT, Almeida MMC. Perfil epidemiológico dos casos de LER/DORT entre trabalhadores da indústria no Brasil no período de 2007 a 2013. Rev Bras Saude Ocup. 2016; 41:e22.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.823, de 23 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Diário Oficial da União. Disponível em: < https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt1823_23_08_2012.html>. Acesso em: 20 de agosto de 2021.

Melo BF, Moraes ALO, Barbosa FS, Silva SS, Macedo Filho J, Bernardes KO. Estimativas de lesões por esforço repetitivo/distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho e indicadores de vigilância em saúde do trabalhador: um desafio para os serviços de saúde. Rev. baiana saúde pública. 2015; 39(3): 570-583.

Alencar MCB, Ota NH. O afastamento do trabalho por LER/DORT: repercussões na saúde mental. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo. 2011; 22 (1): 60-67.

Caetano VC, Cruz DT, Leite ICG. Perfil dos pacientes e características do tratamento fisioterapêutico aplicado aos trabalhadores com LER/DORT em Juiz de Fora, MG. Fisioter Mov. 2010; 23(3):451-60.

Heloani JR, Lancman S. Psicodinâmica do trabalho: o método clínico de intervenção e investigação. Revista Produção. 2004; 14 (3): 77-86, 2004.

Silva SR, Guimarães EV, Rodrigues AMVN. Aspectos relacionados ao processo de retorno ao trabalho de indivíduos com desordens músculo-esqueléticas do membro superior: uma bibliografia comentada. Revista de Terapia Ocupacional da Univ. São Paulo. 2007; 18 (1): 3 8-43.

Brasil. Ministério do Trabalho. Portaria N.º 787, de 27 de novembro de 2018. Dispõe sobre as regras de aplicação, interpretação e estruturação das Normas Regulamentadoras. Disponível em: <https://sit.trabalho.gov.br/portal/images/SST/SST_portarias/Portaria-787-2018-Ministerio-do-Trabalho-Estrutura-e-Interpretao-de-NRs.pdf>. Acesso em: 28 de novembro de 2020.

Publicado
2021-10-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 978
  • PDF downloads: 470
Como Citar
Souza, M. Q., Santos, F. M. da S., da Silva Caires, S., & dos Santos, L. (2021). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS LESÕES POR ESFORÇO REPETITIVO E DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES EM TRABALHADORES BAIANOS. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e10562. Recuperado de https://www.revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/10562
Seção
Artigos (FLUXO CONTíNUO)