Sentidos ao seu viver: Jessy Cherem uma educadora em trânsito (Santa Catarina, 1960-1980)

Palavras-chave: Formação de educadores, Trajetórias, Mulheres viajantes, Arquivos pessoais

Resumo

O texto pretende apresentar aspectos e construir sentidos sobre a trajetória de Jessy Cherem (1929-2014), uma professora catarinense que protagonizou deslocamentos – tanto em âmbito nacional como estadual – que tiveram como intuito tanto seu aperfeiçoamento profissional como sua atuação posteriormente dedicada à formação de educadores e diretores escolares em diversos municípios catarinenses e em outros estados brasileiros. Analisar os deslocamentos dessa profissional criou possibilidades para observar brechas para recompor questões mais gerais sobre campanhas de formação de professores, como para problematizar a presença de mulheres viajantes e das redes que fomentaram em seu trânsito. Considerando as potencialidades e limites do tema, a investigação contou com documentos que integram o seu arquivo pessoal, entrecruzados com as próprias entrevistas dadas em vida pela professora sobre esse tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susane da Costa Waschinewski, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), na Linha de Pesquisa: História e Historiografia da Educação. Membro do Grupo de Pesquisa Ensino de História, Memória e Culturas. Participa do Grupo de Estudos História, Cultura Escrita e Leitura (GEHCEL) vinculados ao Laboratório de Patrimônio Cultural (LapPac - UDESC). Mestre em Educação (2017) pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) na linha de pesquisa Educação, Linguagem e Memória. Membro do grupo de Pesquisa História e Memória da Educação (GRUPEHME) da mesma instituição. Graduada em Geografia, com Habilitação em Licenciatura e Bacharel. Especialização em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade EJA (PROEJA) pela instituição Federal de Ensino (IFSC). 
Maria Teresa Santos Cunha, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Docente permanente dos Programa de Pós-Graduação em História Educação (PPGHE) e Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Graduada em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), tem Mestrado em História do Brasil (UFSC) e Doutorado em Educação/História e Filosofia (USP). Vice-líder do Grupo de Pesquisa Arquivos Pessoais, Patrimônio e Educação. Bolsista Produtividade em Pesquisa 1-D, pelo CNPq. 

 

Referências

AURAS, Gladys Mary Teive. Modernização econômica e formação do professor em Santa Catarina. Florianópolis. Editora UFSC, 1998.

AVELAR, Alexandre de Sá; SCHMIDT, Benito Bisso (org.). Grafia da vida. Reflexões e experiências com a escrita biográfica. São Paulo: Letra e Voz, 2012.

BATISTA, Rosa. A emergência da docência na educação infantil no estado de Santa Catarina: 1908 – 1949. 2013. 198 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/122863. Acesso em: 23 mar. 2019.

BOURDIEU, Pierre. Coisas Ditas. Tradução de Cássia R. da Silveira e Denise Moreno Pegorim; Revisão técnica Paula Montero. São Paulo: Brasiliense, 2004.

CARDOSO, Silmara de Fátima. Viajar é inventar o futuro: narrativas de formação e o ideário educacional brasileiro nos diários e relatórios de Anísio Teixeira em viagem à Europa e aos Estados Unidos (1925-1927). 2011. 158 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2011. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-17052011-163245/publico/SILMARA_DE_FATIMA_CARDOSO.pdf. Acesso em: 26 jul. 2018.

CHAMON, Carla Simone. Itinerários de uma professora em fins do século XIX. In: ORLANDO, E. A.; SILVA, A. L.; DANTAS, M. J. (org.). Mulheres em trânsito: intercâmbios, formação docente, circulação de saberes e práticas pedagógicas. Curitiba: CRV, 2015. p. 109-124.

CHAMON, Carla Simone. Maria Guilhermina Loureiro de Andrade: a trajetória profissional de uma educadora (1869-1913). 2008. 338 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2008.

COELHO JUNIOR, Nelson Maurilio. Entre a caneta do legislador e a vigilância do inspetor: as correspondências de Elpídio Barbosa no arquivo do Colégio Coração de Jesus (Florianópolis, 1939/1949). Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação. UDESC, 2018.

CUNHA, Maria Teresa Santos. O arquivo pessoal do professor catarinense Elpídio Barbosa (1909-1966): do traçado manual ao registro digital. História da Educação, Porto Alegre, v. 21, p. 187-206, jan./abr. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2236-3459/66723. Acesso em: 27 mar. 2020.

FIORI, Neide Almeida. O Programa Brasileiro-Americano de Assistência ao Ensino Elementar (PABAEE) segundo memórias de uma aluna/professora. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO PEDAGOGIAS (ENTRE) LUGARES E SABERES, 5. Anais [...]. São Leopoldo, 2007.

GOMES, Ângela de Castro. O Brasil de JK. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1991.

HEINZ, Flavio M. (org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

HEYMANN, Luciana Quillet. O lugar do arquivo: a construção do legado de Darcy Ribeiro. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2012.

HOBBS, Catherine. O caráter dos arquivos pessoais: reflexões sobre o valor dos documentos de indivíduos. In: HEYMANN, Luciana Quillet; NEDEL, Letícia (org.). Pensar os arquivos: uma antologia. Rio de Janeiro: FGV, 2018. p. 261-274.

MAURÍCIO, Lúcia Velloso. A opção pelo magistério representada por professoras de ensino fundamental em memoriais. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 1, p. 115-138, abr. 2009.

MAY, Patrícia Zumblick Santos. Redes político-empresariais de Santa Catarina (1961-1970). 1998. 182 f. Dissertação (Mestrado em História Cultural) – Programa de Pós-graduação em História. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; Centro de Filosofia e Ciências Humanas, 1998.

MIGNOT, Ana Chrytina Venâncio; GONDRA, José Gonçalves. Viagens pedagógicas. São Paulo: Cortez, 2007.

PAIVA, Edil Vasconcellos; PAIXÃO, Léa Pinheiro. PABAEE (1956-1964): a americanização do ensino elementar no Brasil? Niterói: UFF, 2002.

PEDRO, Joana Maria. Mulheres honestas e mulheres faladas uma questão de classe. Florianópolis: UFSC, 1994.

PERROT, Michele. Mulheres públicas. São Paulo: Unesp, 1998.

SILVA, Vera Lucia Gaspar da. Sentidos da profissão docente: estudo comparado acerca de sentidos da profissão do ensino primário, envolvendo Santa Catarina, São Paulo e Portugal na virada do século XIX para o século XX. São Paulo: FEUSP, 2004, tese de doutorado.

OUZA, Elizeu Clementino (org.). Memória, (auto)biografia e diversidade: questões de método e trabalho docente. Salvador: UFBA, 2011.

VIANNA, Claudia Pereira. A feminização do magistério na educação básica e os desafios para a prática e a identidade coletiva docente. In: YANNOULAS, Silvia Cristina (org.). Trabalhadoras: análise da feminização das profissões e ocupações. Brasília: Abaré, 2013. p. 159-180.

WASCHINEWESKI, Susane Costa. Biblioteca de orientação da professora primária: as regras de civilidade no conteúdo de Estudos Sociais do Programa de Assistência Brasileiro-Americana ao Ensino Elementar – PABAEE (1956-1964). 2017. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Criciúma: UNESC, 2017. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/5151/1/SUSANE%20DA%20COSTA%20WASCHINEWESKI.pdf. Acesso em: 27 mar. 2020.

Decreto

SANTA CATARINA. Secretaria da Justiça, Educação e Saúde. Departamento de Educação. Decreto n. 3735, de 17 de dezembro de 1946. Estabelece o regulamento para os estabelecimentos de ensino primário no Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 1947.

Publicado
2020-06-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 257
  • PDF downloads: 287
Como Citar
WASCHINEWSKI, S. DA C.; SANTOS CUNHA, M. T. Sentidos ao seu viver: Jessy Cherem uma educadora em trânsito (Santa Catarina, 1960-1980). Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 5, n. 13, p. 194-209, 28 jun. 2020.