A experiência de ser estudante internacional: discursos, práticas narrativas e aprendizagens em diálogo

Lilian Ucker Perotto

Resumo


Neste artigo, compartilho reflexões desenvolvidas em minha tese de doutorado sobre a relação da experiência de ser estudante internacional, em Barcelona, e a internacionalização do ensino superior, fenômeno este que tem provocado discussões a respeito do papel que assume hoje a universidade, na economia mundial, e as consequências de se pensar e tomar a internacionalização como meta para o sistema educativo. Para este artigo, narro como as cartas tornaram-se o modo como organizo o relato da tese, apresentando e problematizando, em seguida, os relatos biográficos dos colaboradores da pesquisa, a partir do discurso da internacionalização do ensino superior.


Palavras-chave


pesquisa narrativa, internacionalização do ensino superior, estudante internacional e cartas

Texto completo:

PDF

Referências


ALTBACH, Philip. Globalisation and the University: Myths and Realities in an Unequal World. Tertiary Education and Management, 10, p. 3-25, 2004.

ALTBACH, Philip; KNIGHT, Jane. The internalization of higher education: motivations and realities. Journal of Studies in Internalization of Education, 11, 3(4), 290-305, 2007.

ALTBACH, Philip; REISBERG, Liz; RUMBLEY, Laura (2009). Trends in Global Higher Education, Tracking an Academic Revolution. Paris: UNESCO, 2009.

BAUMAN, Zigmunt. Confianza y temor en la ciudad – vivir con extranjeros. Barcelona: Arcadia, 2006.

BOLÍVAR, Antonio; DOMINGO, Jésus; FERNÁNDEZ, Manuel. La investigación biográfico-narrativa en educación: enfoque y metodología. Madrid: Editorial La Muralla, 2011.

BRUNER, Jerome. Actual minds, possible worlds. Cambridge: Harvard. University Press, 1986.

BRUNER, Jerome. Actos de significado: más allá de la revolución cognitiva. Madrid: Editorial Alianza, 2006.

CAHNMANN-TAYLOR, Melisa; SIEGESMUND, Richard. Arts-based research in Education. Foundations for practice. New York: Routledge, 2008.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber. Elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CONNELLY, Michael; CLANDININ, Jean. Relatos de experiencia e investigación narrativa. In: LARROSA, Jorge (Ed.). Déjame que te cuente. Ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Laertes, 1995. p. 11-59.

CONTRERAS et al. Entre ser e saber. La formación de la subjetividad en la escuela Sant Josep. In: HERNÁNDEZ, Fernando; MONTSERRAT, Rifá. (Eds.). Aprender a ser en la escuela primaria. Barcelona, Octaedro, 2010. p. 57-97.

DE WIT, Hans. Internationalisation of Higher Education in Europe and Its Assessment, Trends and Issues. De Nederlands-Vlaamse Accreditatieorganisatie (NVAO), 2010. Disponível em: Acessado em: 11 jun. /06/2014.

DE WIT, Hans. Repensando o conceito de internacionalização. Revista Ensino Superior Unicamp, 70, p. 69-71, 2013. Disponível em: < https://www.revistaensinosuperior.gr.unicamp.br/edicoes/ihe/IHE70port.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2013.

FERRAÇO, Carlos Eduardo. Ensaio de uma metodologia efêmera: ou sobre as várias maneiras de se sentir e inventar o cotidiano escolar. In: OLIVEIRA, I. B.; ALVES, N. (Org.). Pesquisa no/do cotidiano das escolas: sobre redes de saberes. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 91-108.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Escrita Acadêmica: a arte de assinar o que se lê. In: COSTA, Marisa; BUJES, Maria. (Eds.). Caminhos Investigativos III. Riscos e possibilidades de pesquisar nas fronteiras. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 117-140.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Vega, 1992.

GAZZOLA, Ana Lucia Almeida. Conhecimento e globalização. In: GAZZOLA, Ana Lucia Almeida; ALMEIDA, Sandra Goulart. (Eds.). Universidade: cooperação internacional e diversidade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006. p. 49-55.

GIDDENS, Anthony. Las consecuencias de la modernidad. Madrid: Alianza Editorial, 2008.

GUATARRI, Felix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2011.

HELLSTÉN, Meeri. International student transition: focusing on researching internacional pedagogy for educational sustainability. The International Educational Journal: comparative perspectives, 8 (3), 79-89, 2007.

HELLSTÉN, Meeri. Researching International Pedagogy and the Forming of New Academic Identities. In: HELLSTÉN, Meeri; REID, Anne. (Eds.). Researching International Pedagogies: Sustainable Practice for Teaching and Learning in Higher Education. Netherlands: Springer, 2008. p. 83-99.

HELLSTÉN, Meeri; REID, Anne. (Orgs.). Researching international pedagogies: Sustainable practice for teaching and learning in higher education. Netherlands: Springer, 2008.

HELLSTÉN, Meeri; UCKER PEROTTO, Lilian. Re-thinking internationalization as social curriculum for generative supervision: letters from the international community of scholars, European Journal of Higher Education, v. 8, 2018 – Issue 1, p. 1-17, 2017.

HERNÁNDEZ, Fernando; RIFÁ, Montse. (Orgs.). Investigación autobiográfica y cambio social. Barcelona: Octaedro, 2011.

HERNÁNDEZ, Fernando. (Org.). Aprender a ser en la escuela primaria. Barcelona: Paidós, 2010.

IONTA, Marilda. A escrita de si como prática de uma literatura menor: cartas de Anita Malfatti a Mário de Andrade. Estudos Feministas, Florianópolis, 91-101, 2011. Disponível em: .

Acesso em: 20 dez. 2012.

KNIGHT, Jane. Cinco verdades a respeito da internacionalização. Revista de Ensino Superior, Unicamp, 2012. Disponível em: . Acesso em: 24 abr. 2013.

LEE, Jenny. A falsa aura da internacionalização. Revista de Ensino Superior Unicamp, n. 71, p. 85-87, 2013. Disponível em:

t.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2013.

LIMA, Manolita Lima; CONTEL, Fabio Betioli. Internacionalização da educação superior. Nações ativas, nações passivas e a geopolítica do conhecimento. São Paulo: Alameda, 2011.

LUCE-KLAPER, Rebecca. Writing with, through and beyond the text – An ecology of language. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 2004.

MACHADO, Leila Domingos. O desafio ético da escrita. Psicologia e Sociedade, 16 (1), Porto Alegre, 2004. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2013.

MELLO, Alex Fiuza. Globalização, sociedade do conhecimento e educação superior. Os sinais de Bolonha e os desafios do Brasil e da América Latina. Brasília, DF: Editora da UnB, 2011.

NÓVOA, António. Textos, imágenes y recuerdos. Escritura de ‘nuevas’ historias de la educación. In: POPKEWITZ, T., FRANKLIN, B.; PEREYRA, M. (Orgs.). Historia cultural y educación. Ensayos críticos sobre conocimiento y escolarización. Barcelona: Pomares Corredor, 2003. p. 61-101.

ONFRAY, Michel. Teoria da viagem: uma poética da Geografia. Lisboa: Quetzal Editores, 2009.

PINNEGAR, Stefinne; DAYNES, Gary. Locating narrative inquiry historically: Thematics in the turn to narrative. In: CLANDININ, Jean. (Ed.). Handbook of narrative research. Mapping a methodology. Thousand Oaks, CA.: Sage, 2007. p. 3-34.

PORRES, Alfred. Relaciones pedagógicas en torno a la cultura visual de los jóvenes. Barcelona: Ediciones Octaedro, 2012.

RIBEIRO, Neurilene Martins; SOUZA, Elizeu Clementino de. As cartas e as histórias de vida: dilemas e aprendizagens da docência em língua portuguesa. In: OLIVEIRA, Inês Barbosa. (Org.). Narrativas: outros conhecimentos, outras formas de expressão. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2010. p. 79-97.

STOLL, Louise; FINK, Dean; EARL, Lorna. Sobre el aprender y el tiempo que requiere: implicaciones para la escuela. Barcelona: Ediciones Octaedro, S.L, 2004.

UCKER, Lilian. Espaços reais e imaginados: um estudo de desenhos de alunos em escolas públicas de Goiânia. 2006. 217 f. Dissertação (Mestrado em Cultura Visual) – Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2006.

WALKER, John; CHAPLIN, Sarah. Una introducción a la cultura visual. Barcelona: Octaedro, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2018.v3.n7.p257-272

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

 

 

Portal SEER

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis B2 Educação

 A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de  Atribuição-NãoComercial CC BY-NC