“Escola Modelo de Língua Japonesa” em Dourados-MS: imigração, história e educação feminina

Joice Kochi, Magda Sarat, Míria Izabel Campos

Resumo


O artigo aborda a educação feminina de imigrantes japonesas, em Dourados, Mato Grosso do Sul, considerando a sua participação e pioneirismo na abertura da “Escola Modelo de Língua Japonesa de Dourados/MS”. Objetiva-se compreender como as mulheres se organizaram para manter valores tradicionais da cultura japonesa, buscando a difusão de padrões de comportamento, para crianças e jovens, em uma “Escola”. As fontes, constituídas por histórias de vida, trajetórias docentes e memórias autobiográficas, foram recolhidas via procedimentos da história oral, o que permitiu abordar as relações de gênero. Utilizaram-se, também, documentos oficiais e fotos. Os resultados apontam que as professoras foram idealizadoras da “Escola” e figuras imprescindíveis à comunidade de imigrantes e de nipo-brasileiros, atuando até o presente na manutenção da tradição e da cultura japonesas no município. Conclui-se que as relações de gênero estão fortemente marcadas no grupo de imigrantes, se expressando no alijamento das mulheres do espaço público, apesar de que, no movimento específico, as mulheres estivessem à frente, paradoxalmente a sua educação, fundada em “silêncios” e “submissões” da “vida doméstica”, características presentes na concepção de educação para meninas, demonstrando os aspectos da cultura e os padrões da formação feminina japonesa.


Palavras-chave


Imigrantes japoneses; Memórias; Educação feminine; Educação étnica

Texto completo:

Sem título PDF

Referências


AKAMA, Regina Chiga. A formação da identidade feminina: reconstruindo a memória e a história de vida de ex-alunas do Internato “São Paulo Saihou Jogakuin”. 2008. 371 f. Dissertação (Mestrado em Multimeios) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2008.

ALBERTI, Verena. Ouvir contar: textos em história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

BITTAR, M. Mato Grosso do Sul, a construção de um estado. Volume 1: Regionalismo e divisionismo no sul de Mato Grosso. Campo Grande: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2009.

DEMARTINI, Zeila de Brito Fabri. Vivências diferenciadas entre três gerações de japoneses em São Paulo. Travessia, São Paulo, n. 35, p. 10-16, set./dez. 1999.

ELIAS, Norbert. El cambiante equilibrio de poder entre los sexos. Estudio sociológico de un proceso: el caso del antiguo Estado Romano”. In: ELIAS, Norbert. La civilización de los padres y otros ensayos. Bogotá: Editorial Norma, Bogotá, 1998. p. 199-248.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador, volume 1: uma história dos costumes. Tradução de Ruy Jungmann. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John. L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder com base em uma comunidade. Tradução de Vera Ribeiro. Tradução do posfácio Pedro Süssekind. Apres. e ver. téc. Frederico Neiburg. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

ESCOLA MODELO DE LÍNGUA JAPONESA DE DOURADOS. Documento da Fundação da Escola Modelo de Língua Japonesa de Dourados, 1990.

INAGAKI, Edna. Mitsue. Imigração japonesa para o Brasil: os japoneses em Dourados, (séculos XIX e XX). Dourados: UEMS, 2008.

IWAMOTO, Vivian. Educação e civilidade nas memórias de infância de imigrantes japoneses. 2016. 146 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD, Dourados, MS, 2016.

IWAMOTO, Vivian; SARAT, Magda. Danças japonesas: a história e a trajetória de uma professora imigrante. História Oral, v. 19, n. 2, p. 87-107, jul./dez. 2016.

KOCHI, Joice Camila dos Santos. “Escola Modelo de Língua Japonesa de Dourados-MS”: movimentos, histórias e memórias de mulheres. 2017. 108 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD, Dourados, MS, 2017.

KUBOTA, Nádia Fujiko Luna. Bon Odori e sobá: as obassan na transmissão das tradições japonesas em Campo Grande-MS. 2008. 210 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Estatual Paulista/UNESP, Marília, SP, 2008.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Tradução de Bernardo Leitão et al. Campinas, SP: UNICAMP, 1990.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

MATOS, Maria Izilda. História das mulheres e gênero: usos e perspectivas. In: MELO et al. (Orgs.). Olhares feministas. Brasília, DF: Ministério da Educação; UNESCO, 2009. p. 277-289.

MAUAD, Ana Maria. Através da imagem: fotografia e história interfaces. Tempo, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 73-98, 1996.

MENEZES, Ana Paula. Colônia agrícola nacional de Dourados (CAND): o trabalho dos migrantes e a intensificação da agricultura no antigo sul de Mato Grosso. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE HISTÓRIA ECONÔMICA & ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA ECONÔMICA, 4., 2012, São Paulo. Anais… São Paulo: USP, 2012. p. 1-17.

NISHIMOTO, Miriam Mity. Herança cultural e trajetórias sociais nas memórias de professoras aposentadas de origem japonesa. 2011. 212 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2011.

NISHIMOTO, Miriam Mity; PEREIRA, Jacira Helena do Valle. Diálogos do habitus professoral e oriental nas memórias de professoras aposentadas de origem japonesa. Inter-Ação, Goiânia, v. 39, n. 1, p. 179-197, jan./abr. 2014.

PERROT, Michelle. As mulheres e os silêncios da história. Tradução de Viviane Ribeiro. Bauru: EDUSC, 2005.

PINSKY, Carla Bassanezi. Estudos de gênero e história social. Estudos feministas, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 159-189, abr. 2009.

PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria. (Orgs.). Nova história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2012.

PORTELLI, Alessandro. O que faz a história oral diferente. Projeto História, São Paulo, v. 14, p. 25-39, fev. 1997.

PRIORE, Mary Del. (Org.). História das mulheres no Brasil. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2011.

ROCHA, Cristina Moreira. A cerimônia do chá no Japão e sua reapropriação no Brasil: uma metáfora da identidade cultural do japonês. 1996. 216 f. Dissertação (Mestrado em Comunicações e Artes) – Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo/USP, São Paulo, 1996.

SAKURADA, Chisai; MATSUSHITA, Michiko; SHIMA, Hiroko; KONISHI, Mitsuko. The gender issue in Japan, from the foreign cultural point of view. Kanazawa University Repository for Academic resources, 2002. Disponível em: < http://hdl.handle.net/2297/1891>. Acesso em: 20 fev. 2017.

SAKURAI, Célia. Os japoneses. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2014.

SARAT, Magda. Contribuições de Norbert Elias aos estudos da infância e Processo Civilizador. In: GEBARA, Ademir; COSTA, Célio Juvenal; SARAT, Magda. (Orgs.). Leituras de Norbert Elias: processo civilizador, educação e fronteira. Maringá: Eduem, 2014. 263 p.

SARAT, Magda; CAMPOS, Míria Izabel. Gênero, sexualidade e infância: (con)formando meninas. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão/SE, v. 7, n. 12, p. 45-56, jan./abr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2017.

Entrevistas:

YASUKO. Entrevista concedida a Joice Camila dos Santos Kochi. Dourados, em julho de 2016. Gravação registrada em aplicativo Gravador do iphone.

SATOKO. Entrevista concedida a Joice Camila dos Santos Kochi. Dourados, em fevereiro de 2016. Gravação registrada em aplicativo Gravador do iphone.




DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2018.v3.n7.p167-186

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

 

 

Portal SEER

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis B2 Educação

 A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de  Atribuição-NãoComercial CC BY-NC