ENTRE NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS E POSSIBILIDADES ONTOLÓGICAS DO SER DESDE A EDUCAÇÃO POPULAR: DA REPRESENTAÇÃO AO PROJETO DE SI

  • Júlia Guimarães Neves
  • Vilmar Alves Pereira
  • Lourdes Maria Bragagnolo Frison
Palavras-chave: Educação Popular, Narrativas autobiográficas, Ateliês Biográficos de Projeto

Resumo

Este artigo traz um recorte da dissertação de Mestrado em Educação intitulada “Histórias de vida no contexto da Educação Popular: narrativas, projetos de vida e (auto)formação”. A pesquisa foi realizada com dezessete educandos do Grupo de Apoio Educacional Maxximus, Curso Pré-universitário Popular, vinculado a um projeto de extensão da Universidade Federal do Rio Grande – FURG, nomeado Programa de Auxílio ao Ingresso nos Ensino Técnico e Superior – PAIETS. A pesquisa desenvolveu-se ancorada na metodologia dos Ateliês Biográficos de Projeto, de Delory-Momberger, com foco na construção dos projetos de vida. A escolha metodológica de análise do corpus de pesquisa incidiu sobre a Análise Textual Discursiva. O processo de análise das narrativas escritas dos sujeitos participantes fez emergir, no final do processo, duas categorias. Neste artigo, debruçamo-nos sobre a primeira categoria. O trabalho nos permitiu pensar sobre o horizonte projetivo do ser em direção à construção daquilo que ele deseja ser. A contribuição da pesquisa aponta para a possibilidade formativa de abertura do passado e de ressignificação das trajetórias de vida em direção ao futuro desejado e projetado no reconhecimento do ser enquanto um sujeito de possibilidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Org.). A aventura (auto)biográfica: teoria e empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987. (Obras Escolhidas, 1).

BUARQUE, Cristóvão. A universidade na encruzilhada. In: A universidade na encruzilhada. Seminário Universidade: por que e como reformar? Brasília: UNESCO Brasil, Ministério da Educação, 2003. p. 23-65.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Natal: EDUFRN, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

KUNDERA, Milan. A insustentável leveza do ser. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

MARQUES, Mario Osorio. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MELUCCI, Alberto. Juventude, tempo e movimentos sociais. In: FÁVERO, Osmar; SPÓSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo; NOVAES, Regina Reys. (Orgs.). Juventude e contemporaneidade. Brasília: UNESCO, MEC, ANPEd, 2007. p. 29-46.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva. Ijuí: Unijuí: 2013.

PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto; DELORY-MOMBERGER, Christine. Reabrir o passado, inventar o devir: a inenarrável condição biográfica do ser. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto; PASSEGGI, Maria da Conceição. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo II. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 29-57.

PESSOA, Fernando. Poesias. Porto Alegre: L&PM, 1996.

Publicado
2017-04-29
Métricas
  • Visualizações do Artigo 722
  • PDF downloads: 570
Como Citar
NEVES, J. G.; PEREIRA, V. A.; FRISON, L. M. B. ENTRE NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS E POSSIBILIDADES ONTOLÓGICAS DO SER DESDE A EDUCAÇÃO POPULAR: DA REPRESENTAÇÃO AO PROJETO DE SI. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 2, n. 4, p. 220-238, 29 abr. 2017.