Diálogos intergeracionais na docência no ensino médio de territórios rurais: narrativas (auto)biográficas de práticas educativas

Fabrício Oliveira da Silva, Adelson Dias de Oliveira

Resumo


O texto objetiva compreender como as experiências formativas de professores e jovens do Ensino Médio são construídas em contexto rural. A problemática explica-se pela questão norteadora: de que maneira os docentes significam suas práticas educativas e as inter-relacionam com a juventude e a contextualização do ensino? Como núcleos de sentido decorrentes do estudo, estão localizados: a identidade pessoal e profissional em contexto rural e a pertinência dos valores familiares, como significativos para a formação e o desenvolvimento da profissão, as condições de trabalho no âmbito das ruralidades e os sentidos do ensino médio nesse processo. É uma pesquisa qualitativa, fenomenológica, que toma como princípios a abordagem (auto)biográfica. Utiliza-se da entrevista narrativa como dispositivo de recolha de dados. Para a reflexão sobre os resultados, toma a análise compreensiva mediada pelos princípios da hermenêutica. Como resultados aparentes é possível indicar a existência de divergências no entendimento do que significa a escola e o lugar de vivência, demarcado por distâncias geracionais, o que provoca, dessa forma, um afastamento nos propósitos do fazer educacional, pelo docente, e de viver a prática educativa, pelos jovens alunos, marcados pelo seu lugar.


Palavras-chave


Prática educativa; Docência; Ensino médio; Juventudes; Ruralidades

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel. Repensar o Ensino Médio: Por quê? In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. (Orgs.). Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2014. p. 54-74.

BERTAUX, Daniel. Narrativa de vida: a pesquisa e seus métodos. Tradução de Zuleide Alves Cardoso Cavalcante e Denise Maria Gurgel Lavallée. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB n. 5/2011. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 24 jan. 2011. Seção 1, p. 10.

BRASIL. Nova delimitação do semiárido brasileiro. Secretaria de Desenvolvimento Regional. Ministério da Integração Nacional. Brasília, DF, 2008.

CARNEIRO, Maria José. Apresentação. In: MOREIRA, R. (Org.). Identidades sociais: ruralidades no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 07-13.

CARNEIRO, Maria José. Multifunciolnalidade da agricultura e ruralidade: uma abordagem comparativa. In: MOREIRA, R.; COSTA, L. F. (Orgs.). Mundo rural e cultura. Rio de Janeiro: MAUAD, 2002. p. 223-240.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Biografia e educação: figuras do indivíduo-projeto. Tradução de Maria da Conceição Passeggi, João Gomes da Silva Neto e Luis Passeggi. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método. Tradução de Flávio Paulo Meurer. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

GOTTMANN, Jean. A evolução do conceito de território. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, SP, v. 2, n. 3, p. 523-545, 2012.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1981.

JOSSO, Marie-Christine. A experiência de vida e formação. Tradução de José Cláudio e Júlia Ferreira; 2. ed. rev. e ampl. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin W. Entrevista narrativa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho Guareschi. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007. p. 90-113.

MARTINS, Josemar da Silva. Contextualizando contexto. Caderno Multidisciplinar: Educação e contexto no semiárido brasileiro. Múltiplos espaços para o exercício da contextualização. Juazeiro, BA: Selo Editorial RESAB, 2009.

MOREIRA, Roberto José. Ruralidades e globalizações: ensaiando uma interpretação. In: MOREIRA, Roberto José et al. (Orgs.). Identidades sociais: ruralidades no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 15-40.

MOTA, D. M. da.; SCHMITZ, H. Pertinência da categoria rural para análise do social. Revista Ciências Agrotécnicas, Lavras, v. 26, n. 2, p. 392-399. mar./abr. 2002.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Ana Paula Viveiros. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

OLIVEIRA, Adelson Dias de. Jovens no semiárido baiano: experiências de vida e formação no campo. 2014. 138 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2014.

PIMENTEL, Álamo. O encontro e a troca: ensaios antropológicos do aprende e genealogias do conviver. Salvador: EDUFBA, 2013.

RAMOS, Renata Fornelos d’Azevedo. Juventude e trabalho: um paradoxo contemporâneo. In: NASCIMENTO, Antônio Dias; CHAVES, Rosana Mara Rodrigues; SODRÉ, Maria Dorath Bento. (Orgs.). Educação do campo e contemporaneidade. Salvador: EDUFBA, 2013. p. 273-289.

REIS, Edmerson dos Santos; SANTOS JÚNIOR, Paulo Anunciação dos. Da práxis à fundamentação: elementos para pensar a relação Educação do Campo e o desenvolvimento local. In: NASCIMENTO, Antônio Dias; CHAVES, Rosana Mara Rodrigues; SODRÉ, Maria Dorath Bento. (Orgs.). Educação do campo e contemporaneidade. Salvador: EDUFBA, 2013. p. 129-145.

RICOEUR, P. Teoria da interpretação. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1996.

RIOS, Jane Adriana Vasconcelos Pacheco; VICENTINI, Paula Perin. Docência e profissionalização: experiências de professores leigos na roça. In: VICENTINI, Paula Perin; SOUZA, Elizeu Clementino de.; PASSEGGI, Maria da Conceição. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica: questões de ensino e formação. Curitiba: CRV, 2013. p. 111-130.

SOUZA, Elizeu Clementino de. A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, v. 25, n. 11, p. 22-39, jan./abr. 2006.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Histórias de vida, escritas de si e abordagem experiencial. In: SOUZA, E. C.; MIGNOT, A. C. V. (Orgs.). Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro: Quartet; Faperj, 2008. p. 89-98.

SOUZA, Elizeu Clementino de et al. Sujeitos, instituições e práticas pedagógicas: tecendo as múltiplas redes da educação rural na Bahia. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 20, n. 36, p. 151-164, jul./dez. 2011.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Revista Educação, Santa Maria, v. 39, n. 1, p. 39-50, jan./abr. 2014.

VEIGA, José Eli da. Cidades imaginárias: o Brasil é menos urbano do que se calcula. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas: o “rural” como espaço singular e ator coletivo. Estudos Agricultura e Sociedade, Rio de Janeiro, n. 15, p. 87-145, out. 2000.

WELLER, Wivian. A atualidade do conceito de gerações de Karl Mannheim: perspectivas para a análise das relações entre educação e trabalho. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 29., Caxambu. Anais... Caxambu: ANPOCS, 2005. p. 01-16.




DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2018.v3.n7.p306-323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

 

 

Portal SEER

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis B2 Educação

 A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de  Atribuição-NãoComercial CC BY-NC