Professor sem Fronteiras: trabalhando o lúdico na Educação Infantil a partir de múltiplas linguagens de sentido

Palavras-chave: Linguagens, lúdico, educação infantil

Resumo

As múltiplas linguagens trabalhadas através do lúdico na educação infantil fortalecem o processo de desenvolvimento da aprendizagem da criança, no qual, cria e passa a usar seu imaginário para organizar os espaços sociais nos quais está inserida. Com o objetivo de ampliar reflexões sobre múltiplas linguagens podem ser trabalhadas no contexto da educação infantil, este estudo ancora-se à discussão de que o professor da educação infantil precisa repensar suas práticas com o apoio do lúdico. Caracteriza-se como um estudo exploratório, de aportes teóricos relacionados ao lúdico como subsídio essencial para o desenvolvimento infantil. A partir de conclusões preliminares admite-se que é um tema de extrema importância, pois, as múltiplas linguagens desenvolvidas no ambiente escolar reverberam ações pertinentes ao reconhecimento e desenvolvimento cognitivo da criança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Afonso de Oliveira, Universidade Federal Rural da Amazônia

Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). Doutoranda em Comunicação, Linguagens e Cultura (UFRA). Mestre em Comunicação, Linguagens e Cultura (UFRA). Graduada em Letras (Português) pela Universidade da Amazônia. Professor Auxiliar I da Universidade Federal Rural da Amazônia.  E-mail: liliane_afonso@yahoo.com.br. ORCID: 000-0003-4581-9952.

Maria do Perpétuo Socorro Cardoso da Silva, Universidade Estadual do Pará

Universidade Estadual do Para (UEPA). Doutora em Semiótica e Linguística Geral (USP/2002). Mestre em Letras/Linguística (UFPA/1997). Especialista em Língua Portuguesa (UECE/1992). Graduada em Letras (UFPA/1983). Professor Titular e pesquisadora da UEPA. E-mail: cardoso_socorro@yahoo.com.br. ORCID: 0000-0002-2574-4183.

Wanubya do Nascimento Moraes Campelo, Universidade Federal Rural da Amazônia

Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). Doutoranda em Letras pela Universidade Federal do Pará. Mestre em Letras/Teoria Literária pela Universidade Federal do Pará. Graduada em Letras (Português) pela Universidade do Estado do Pará. Professora Assistente II da Universidade Federal Rural da Amazônia. E-mail: wanubyacampelo@gmail.com. ORCID: 0000-0002-6557-0827.

Cíntia Maria Cardoso, Universidade Federal Rural da Amazônia

Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). Doutoranda em Educação pela Universidade de São Paulo, Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade de Taubaté (2008), Licenciada em Letras (Habilitação em Língua Portuguesa) pela Universidade Federal do Pará e Pedagogia pela Universidade Cidade de São Paulo. Professora Assistente da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). E-mail: cintia.ufra@gmail.com. ORCID: 0000-0002-6373-6803.

Referências

ALMEIDA, Andréia Oliveira; FONSECA, Maria da Conceição Vinciprova. Libras: a inclusão de surdos na escola regular. Revista Práxis (Online) , v. 5, p. 65-69, 2013.

ALMEIDA, P. (1987). Educação Lúdica - técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Edições Loyola.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil, de 16 de Julho de 1934. Rio de Janeiro: Presidência da República, 1934. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao34.htm. Acesso em: 25 jun. 2020.

BRASIL. Decreto nº 17.943-A, de 12 de outubro de 1927. Consolida as leis de assistencia e protecção a menores. Rio de Janeiro: Presidência da República, 1927. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1910-1929/D17943Aimpressao.htm. Acesso em: 3 jul. 2020.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: Presidência da República 1961. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L4024.htm. Acesso em: 25 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n° 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

COSTA, Adalvo da Paixão & VAREJAO, Ana Maria Louzada. Educação infantil: uma contextualização histórica. Pró-discente. Caderno de Produção Acadêmico Científica do Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal do Espírito Santo. Vol. 3 n.6, 1997.

CRAIDY, Carmem Maria. KAERCHER, Gladys E.(Org.) Educação Infantil pra que te quero. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

COSTA, Adalvo da Paixão; VAREJÃO, Ana Maria Louzada. Educação infantil: uma contextualização histórica. Caderno de Produção Acadêmico Científica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Espírito Santo, v. 3 n. 6, 1997.

FORTUNA, Tânia Ramos. O Lugar do brincar na Educação Infantil. Revista Pátio Educação Infantil, Ano IX, n. 27, p. 08-10, abr./jun. 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 12 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

KISHIMOTO, Tizuco Morchida. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 1993.

MACHADO, N. J. Matemática e Educação: alegorias, tecnologias e temas afins. 2.ed. São Paulo : Cortez, 1995. 120 p.

PASCHOAL, Jaqueline Delgado; MACHADO, Maria Cristina Gomes. Imagens da Infância na Modernidade: da infância que temos à infância que queremos In: MORENO, Gilmara Lupion; AQUINO, Olga Ribeiro de; PASCHOAL, Jaqueline Delgado. Trabalho pedagógico na educação infantil. Londrina: Humanidades, 2007. p. 19, 20, 55 e 57.

PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagens e representação. Rio de Janeiro: Guanabara, 1998.

PIAGET, J. Seis estudos de psicologia. Rio de Janeiro: Forense, 1980.

PILETTI, Claudinho. Didática geral. São Paulo: Ática, 1995.

PEDROSO, C de A. et al. Papel do brinquedo no desenvolvimento infantil. Faculdades Integradas do Vale do Ribeira. SCELISUL. 2011. Disponível em: www.scelisul.com.br/cursos/graduacao/pd/artigo2.pdf. Acesso em: 16/06/2015.

SILVA. Ezequiel T. da. O professor e o combate à alienação imposta. 2ª ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991, p. 32 - 36.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

VIGOTSKI, L. S. Do Acto ao Pensamento. Lisboa: Morais, 1979.

VIGOTSKI, L.S. A Formação Social da Mente. 6ª ed. São Paulo, SP. Martins Fontes Editora LTDA, 1984.

VIGOTSKI, L.S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Publicado
2020-12-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 32
  • PDF downloads: 44
Como Citar
Oliveira, L. A. de, Silva, M. do P. S. C. da, Campelo, W. do N. M., & Cardoso, C. M. (2020). Professor sem Fronteiras: trabalhando o lúdico na Educação Infantil a partir de múltiplas linguagens de sentido . Plurais Revista Multidisciplinar, 5(3), 183-199. https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2020.v5.n3.10200
Seção
Estudos/Ensaios