Revista Ouricuri https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri <p>A <strong>Revista Ouricuri</strong> é um periódico multidisciplinar editado pelo Programa de Pós-Graduação em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGEcoH) da Universidade da Bahia - UNEB - Campus III, Juazeiro - BA.&nbsp;</p> <p>A <strong>Revista Ouricuri</strong> recebe apoio institucional do Programa de Apoio a Publicação de Periódicos vinculados aos Programas de Pós-Graduação <em>Stricto Sensu</em> da UNEB (PROEP-PÓS), mediante aprovação via Edital PROEP-PÓS N° 032/2019.</p> Universidade do Estado da Bahia pt-BR Revista Ouricuri 2317-0131 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p><p>a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença <a title="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/">Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p><p>b) Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p><p>c) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) já que isso pode aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja <a title="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html">O Efeito do Acesso Livre</a>).</p> EDITORIAL https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/15760 <p>Editorial</p> Rosiane Rocha Oliveira Santos Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-11-28 2022-11-28 12 2 01 03 10.29327/ouricuri.12.2-1 HERPETOFAUNA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO, UMA ÁREA VERDE NUM CENÁRIO URBANO https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/14103 <p>Este trabalho objetivou inventariar a herpetofauna associada a ambientes aquáticos do campus Recife da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife/PE, um Imóvel de Proteção de Área Verde, evidenciando a ocupação dos organismos nos diferentes hábitats e microhabitats, bem como seu status de conservação com base nas listas disponíveis de ameaças. A coleta dos dados foi realizada durante os anos de 2017 e 2018, com maior esforço na época chuvosa, com três horas homem aomdia. Os registros se deram através de buscas ativas e informações de terceiros. Ao total, foram avaliados 12 microambientes de cinco corpos d’água na área de estudo. Foram registradas 41 espécies da herpetofauna, sendo 30 espécies de anfíbios distribuídas em sete famílias: Bufonidae (n = 3), Craugastoridae (n = 1), Hylidae (n = 16), Phyllomedusidae (n = 1), Microhylidae (n = 1), Leptodactylidae (n = 7), Ranidae (n = 1); uma espécie de lagarto da família Iguanidae; cinco espécies de serpentes: Dipsadidae (n = 4) e Boidae (n = 1); três de testudines: Chelidae (n = 2) e Kinosternidae (n = 1) e duas de crocodilianos Alligatoridae (n = 2). Diante da grande riqueza de anfíbios e répteis associados a malha hídrica e os resquícios de áreas <br>florestadas do Campus da UFRPE, destaca-se a necessidade de estratégias de conservação para fauna silvestre para esse ímovel.</p> Cláudio Aguiar Silva Flávio José da Silva Emerson Gonçalves Dias Rayssa Lima dos Santos Paulo Braga Mascarenhas-Junior Jozélia Maria de Sousa Correia Ednilza Maranhão dos Santos Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-11-22 2022-11-22 12 2 1 19 10.29327/ouricuri.12.2-2 CULTURA E IDENTIDADE EM DOURADOS – MS https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/13934 <p>O presente trabalho visa refletir sobre a temática território e identidade, tomando como referencial de análise os Paraguaios de/em Dourados-MS. Pensar sobre identidade, a partir do recorte territorial, pressupõe considerar o sentido de pertencimento, institucionalizado ou não. Pertencer a um ponto no território é fruto de relações sociais historicamente produzidas, carregando significados, afetos, vivências, experiências e desejos. Considerando essa perspectiva, tomamos como objeto de estudo os paraguaios que vivem na cidade de Dourados-MS, buscando avaliar, histórias de vida, suas rotinas, possíveis resistências, ou, num sentido mais amplo, o seu sentido de pertencimento. A metodologia adotada neste estudo se processou por meio de: pesquisa de campo, visando maior aproximação como a população paraguaia; entrevistas, com sujeitos que diretamente trabalham com essa população, como professores, funcionários do setor de comércio, de imigração e saúde. Por meio do levantamento realizado, dos depoimentos e enunciados, buscamos analisar o conjunto de elementos, signos e referenciais, a partir das relações que estabelecem com o lugar.</p> Ailson Barbosa de Oliveira Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-11-22 2022-11-22 12 2 03 23 10.29327/ouricuri.12.2-3 IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS DA MINERAÇÃO NO MUNICÍPIO DE CHAPADA DA NATIVIDADE - TOCANTINS, BRASIL https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/15105 <p>O objetivo desse estudo é fazer uma análise reflexiva sobre os impactos socioambientais da mineração no município de Chapada da Natividade-TO. Para isso, foram analisados a percepção de estudantes de ensino médio de uma escola estadual através das falas apresentadas em um debate, os registros das atividades da mineradora Engegold em Chapada da Natividade através da análise de documentos no site da Agência Nacional de Mineração (ANM), e a percepção da comunidade local e autoridades através da análise de uma reunião ocorrida na Câmara Municipal de Chapada da Natividade. Foi destacado apenas um benefício visível da mineração no município, que é a geração de emprego para os moradores, e vários malefícios como a poeira das pilhas de solo estéril, que consequentemente traz prejuízos econômicos e de saúde para os moradores, rachaduras nas paredes das casas, poluição sonora e destruição do patrimônio histórico. A população parece não estar sendo esclarecida sobre as questões referente à fiscalização do aproveitamento mineral, da exploração de recursos minerais, bem como do recolhimento e arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) da mineradora para o município. Nesse sentido, o poder público municipal deveria disponibilizar profissionais capacitados na área de mineração para atender a população em seus anseios.</p> Diôgo Januário da Costa Neto Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-11-28 2022-11-28 12 2 01 13 10.29327/ouricuri.12.2-4 FAMÍLIA HALYMENIACEAE (HALYMENIALES, RHODOPHYTA), NOVOS REGISTROS NO LITORAL DE ALAGOAS, BRASIL https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/14965 <p>A família Halymeniaceae (Halymeniales, Rhodophyta) apresenta importância ecológica como produtores primários, econômica, médica pelos seus compostos bioativos. No Estado de Alagoas, estudos sobre sua diversidade ainda são escassos e o presente trabalho teve como objetivo identificar, descrever e fornecer informações sobre a diversidade e ecologia das espécies da família Halymeniaceae no litoral alagoano. As coletas foram realizadas na região entre marés das praias de Sonho Verde, Mirante da Sereia, Riacho Doce (litoral norte), Pajuçara (litoral centro) e Pontal do Coruripe (litoral sul), durante os períodos seco (setembro e outubro de 2017 / março e setembro de 2018) e chuvoso (abril, maio, julho e agosto de 2018). Foram analisadas exsicatas de Halymeniaceae depositadas na coleção ficológica do Herbário MAC do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas. A maioria das amostras foram coletadas crescendo em substrato rochoso incrustrado por coralináceas e/ou corais. <em>Halymenia duchassaingii</em>,<em> H. cearensis</em> C.A.A. Azevedo, Cassano &amp; M.C. Oliveira,<em> H. clathrata </em>E.C. Oliveira, F. Pinheiro-Vieira &amp; R.E Norris<em> e Grateloupia cf. filicina </em>(J.V. Lamouroux) C. Agardh consistem em novos registros para o litoral de Alagoas e tiveram sua distribuição geográfica ampliada.</p> Élica Amara Cecilia Guedes Coelho Kelly Gomes Bastos Manoel Messias da Silva Costa Mariana Mello Fireman Fernando Pinto Coelho Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-12-07 2022-12-07 12 2 1 19 10.29327/ouricuri.12.2-5 A ESCOLARIZAÇÃO DE PRÁTICAS MULTILETRADAS: https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/15855 <p>Este trabalho propõe uma reflexão sobre a importância da escolarização de práticas multiletradas em consonância à contemporaneidade cultural, marcada pelo ciberespaço e pela cibercultura. A partir das discussões sobre as formas de escolarização, a pedagogia dos multiletramentos e a consolidação da rede mundial de computadores, examina-se de que forma a escola se porta frente às multimodalidades textuais, às relações sociais presentes no ciberespaço. Foram utilizados como aporte teórico as questões sócio-histórico-culturais das formas de escolarização, além de apresentar definições desse conceito; conceitos sobre ciberespaço e cibercultura; e a pedagogia dos multiletramentos, que apresenta ponderações acerca de novas funções da escola. A intenção da presente discussão não é exaurir o tema ou estabelecer caminhos inquestionáveis, mas provocar um olhar sobre o papel da escola na atualidade, especialmente no contexto do ciberespaço.</p> Roberto Remigio Florencio João de Sá Araújo Trapiá Filho Jadnaelson da Silva Souza Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-12-19 2022-12-19 12 2 1 16 10.29327/ouricuri.12.2-6 A INFLUÊNCIA DA INTERDISCIPLINARIDADE NA MUDANÇA DO CONCEITO DE DESENVOLVIMENTO https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/14369 <p>Este artigo tem como objetivo abordar e trazer uma breve reflexão de como a interdisciplinaridade influenciou, através de abordagens multidimensionais, a mudança no conceito de desenvolvimento ao longo do tempo. Essas novas abordagens incorporaram ao longo da segunda metade do século XX, sobretudo nas últimas décadas do século e início do século XXI, outros saberes para além da perspectiva econômica tradicionalmente relevante na construção do conceito de desenvolvimento baseado no crescimento. A necessidade de respostas ao fenômeno do desenvolvimento passa a absorver as contribuições das demais áreas do conhecimento, sem com isso excluir a importância do econômico, a fim de responder as necessidades impostas pela realidade dos povos e pela busca de soluções mais abrangentes em um mundo de enorme heterogeneidade e complexidade.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>interdisciplinaridade; desenvolvimento econômico; desenvolvimento sustentável</p> Marialda Souza Bueno Ferraz Ronaldo Josué Faller Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-12-22 2022-12-22 12 2 01 11 10.29327/ouricuri.12.2-7 CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS FECHADOS EM XANGRI-LÁ/RS https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/15506 <p style="margin-bottom: 0cm; line-height: 100%; orphans: 2; widows: 2;" align="justify"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"><span style="font-family: Times New Roman, serif;">O presente artigo parte de algumas observações de caráter empírico e tem como objetivo tecer breves considerações sobre algumas características do recente processo de urbanização/metropolização de Xangri-Lá/RS. Município que se destaca pelo pioneirismo e pela profusão de condomínios horizontais fechados nos últimos anos. Abordaremos os processos que se realizam sob a égide deste tipo de empreendimento imobiliário a partir de um duplo olhar: de um lado, enfocaremos os impactos sobre a paisagem litorânea, o que envolve indicar o potencial e alguns danos ao ambiente dessa porção do litoral gaúcho; de outra perspectiva, o analisaremos enquanto produtos socioespaciais complexos, dotados de atributos da metrópole, frutos de um momento do capitalismo. </span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Times New Roman, serif;">Para tanto, realizamos um levantamento bibliográfico, e utilizamos outros métodos qualitativos como pesquisa de campo que subsidia a descrição e análise da territorialidade, material e imaterial, que ocorre à beira mar.</span></span></span></span></p> <p style="margin-bottom: 0cm; line-height: 100%; orphans: 2; widows: 2;" align="justify"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><strong>Palavras-chave:</strong></span><span style="font-family: Times New Roman, serif;"> condomínios horizontais fechados; paisagem; impactos ambientais; urbanização; metropolização.</span></span></span></p> <p style="text-indent: 1.5cm; margin-bottom: 0cm; line-height: 150%; orphans: 2; widows: 2;" align="left">&nbsp;</p> André dos Santos Baldraia Souza Deizi Giacomelli Ronaldo Josué Faller Solane König Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-12-22 2022-12-22 12 2 01 17 10.29327/ouricuri.12.2-8 A EXTINÇÃO DO ALDEAMENTO DO BREJO DOS PADRES (TACARATU/PE): https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/14134 <p>Durante muitas décadas, os povos indígenas foram silenciados, marginalizados e invisibilizados nas narrativas historiográficas do Brasil, sobretudo no século XIX, bem como foi omitida a diversidade sociocultural, e ainda, a sistemática negação das identidades, e de direitos, especificamente os habitantes na Região Nordeste, por autoridades, invasores dos territórios indígenas o que viabilizou a extinção oficial dos aldeamentos da Região, e consequentemente, os esbulho das terras pertencentes a estes aldeamentos. Sendo necessário e ampliar discussões acerca do papel e o lugar dos povos indígenas nos processos históricos locais e regionais.</p> Thyara Freitas de Alcantara Mariana Albuquerque Dantas Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-11-22 2022-11-22 12 2 01 15 10.29327/ouricuri.12.2-9 PESCADORES ARTESANAIS NA GESTÃO PARTICIPATIVA DE RECURSOS HÍDRICOS https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/15346 <p>A apropriação dos recursos hídricos, de forma prioritária, para fins econômicos frequentemente limita os usos múltiplos e costumeiros feitos pelos pescadores artesanais, eliminando suas concepções tradicionais de domínio e uso, e impulsionando a origem ou agravamento de conflitos. Algumas bacias hidrográficas brasileiras são hidroterritórios permeados por conflitos relacionados a gestão dos recursos hídricos, contudo uma parcela desses conflitos não é discutida, mesmo nos ambientes decisórios como as instâncias do Sistema Nacional de Gerenciamento dos Recursos Hídricos (SINGREH). Esse trabalho teve como objetivo avaliar a participação dos pescadores artesanais na gestão de recursos hídricos brasileiros. Para isso foi feito uma pesquisa bibliográfica em diferentes bases de dados. Os resultados do estudo demonstraram que apesar das comunidades tradicionais possuírem assentos assegurados nas instâncias do SINGREH, observa-se que a presença dos pescadores nesses fóruns é utilizada para legitimar os interesses de outras categorias. Identificou-se que o cerceamento dos territórios pesqueiros é a principal causa dos conflitos envolvendo os pescadores artesanais e que a gestão participativa é uma estratégia exitosa em resolução de conflitos. No entanto, a gestão compartilhada necessita de mudanças para o alcance da valorização dos diferentes atores da sociedade. Também foi evidenciado a importância de outras estratégias e espaços que objetivam o compartilhamento da gestão de recursos e resolução desses conflitos.&nbsp;&nbsp;</p> Edson dos Santos Susana Menezes Luz de Souza Ticiano Rodrigo Almeida Oliveira Maristela Casé Costa Cunha Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-12-07 2022-12-07 12 2 01 14 10.29327/ouricuri.12.2-10 O USO DE RECURSOS NATURAIS E OS IMPACTOS NO MEIO AMBIENTE: https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/14078 <p>A necessidade de reduzir os impactos ambientais associados ao acesso à energia e a busca pela sustentabilidade geram um diálogo global, incluindo interesses ambientais, sociais, políticos e econômicos. A pesquisa parte da premissa de que o avanço tecnológico e a abordagem científica do meio ambiente fortalecem as preocupações com as questões ambientais, confirmam, de certa forma, previsões catastróficas e muitos estudos apontando para a degradação ambiental, resultando em uma série de atividades industriais e tecnológicas. Ele traz à mente a perfuração de petróleo e seu impacto ambiental na sociedade moderna. No caso da prospecção de petróleo, existem alguns estudos que apontam para o potencial impacto ambiental dessa atividade econômica. Ou seja, esta pesquisa visa responder ao propósito declarado de análise teórica, com foco na revisão de trabalhos, ensaios e livros didáticos sobre o tema, com ênfase na informação digital. De fato, a pesquisa mostrou que mostra que o desenvolvimento econômico, pela perfuração de petróleo, deve ser pautado por uma política de sustentabilidade, integrando processos organizacionais e padrões de consumo direcionados com foco na sustentabilidade. Portanto, a exploração de petróleo deve ser considerada em relação à gestão ambiental, que contribui para o desenvolvimento sustentável. O Plano de Recursos Integrados (PIR) utilizado para o planejamento energético permite a redução dos custos totais e dos impactos ambientais e sociais. Este artigo explica que os efeitos naturais de quatro fontes de energia renováveis ​​e não renováveis ​​- termelétrica, hidrelétrica, eólica e solar fotovoltaica - podem ser mitigados por meio do Planejamento Integrado de Recursos.</p> Weaver Bruno Moreira de ASSUNÇÃO Ricardo Jorge Amorim DE DEUS Copyright (c) 2022 Revista Ouricuri 2022-12-30 2022-12-30 12 2 1 21 10.29327/ouricuri.12.2-11