USO MÍSTICO, MÁGICO E MEDICINAL DE PLANTAS NOS RITUAIS RELIGIOSOS DE CANDOMBLÉ NO AGRESTE ALAGOANO

  • Larissa Nascimento Sátiro Universidade federal de Alagoas
  • Jadla Higino Vieira Universidade Federal de Alagoas
  • Dougllas Ferreira da Rocha Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: Candomblé. Conhecimento tradicional. Etnobotânica

Resumo

O estudo objetivou compreender os usos e a diversidade de plantas utilizadas em rituais religiosos de Candomblé e o poder que as mesmas exercem na crença das pessoas que as utilizam. Para atender ao objetivo proposto, as plantas foram categorizadas enquanto místicas, mágicas e medicinais. Assim foram realizadas entrevistas semi-estruturadas a partir de visitas aos terreiros de Candomblé, delimitados pelo método da bola - de – neve. As entrevistas seguiram com sacerdotes e sacerdotisas após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Foram realizadas entrevistas em 30 terreiros de Candomblé, distribuídos nas cidades de Arapiraca, Campo Alegre, Coité do Nóia, Limoeiro de Anadia e Taquarana. 64% dos entrevistados eram pertencentes ao sexo feminino (sacerdotisas) e 36% pertencentes ao sexo masculino (sacerdotes), enquanto os anos que se dedicam à atividade variaram entre 20 - 60 anos. Foram citadas 198 espécies, dentre as quais 177 foram identificadas e distribuídas em 60 famílias. Nesse caso as famílias mais representativas foram: Fabaceae (21 espécies), Lamiaceae (20 espécies), Asteraceae (12 espécies) e Anacardiaceae (12 espécies). Além disso, oito espécies foram identificadas em gênero e 13 espécies foram indeterminadas. A categoria medicinal obteve o maior percentual de espécies (35%) seguida pela categoria mística (16%) e mágica (15%), enquanto 34% das espécies foram distribuídas em mais de uma categoria. Como ações de retorno às comunidades foram distribuídas mudas de plantas solicitadas pelos entrevistados e espécies raras na região. É possível concluir que existe uma ampla diversidade de espécies sendo utilizadas nos espaços religiosos do Candomblé.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Nascimento Sátiro, Universidade federal de Alagoas
Professora Adjunta IV nas áreas de Botânica e Ecologia da Universidade Federal de Alagoas.

Referências

REFERÊNCIAS

AGUIAR, L. C. G. G.; BARROS, R. F. M. Plantas medicinais cultivadas em quintais de comunidades rurais no domínio do cerrado piauiense. Revista brasileira de plantas medicinais. Botucatu, v. 14, n. 3, p. 419-434, 2012.

ALBUQUERQUE, U. P. de. Introdução a etnobotânica. 2 ed. Rio de Janeiro: Intercência, 2005.

ALBUQUERQUE, U. P. de. O dono do segredo: o uso de plantas nos cultos afro-brasileiros. Recife: NUPEEA, 2012.

ALBUQUERQUE, U. P.; ALMEIDA, C. F. B. R; MARINS, J. F. A. Tópicos em conservação etnobotânica e etnofarmacológica de plantas medicinais e mágicas. Recife: NUPEEA, 2005.

ALBUQUERQUE, U. P.; LUCENA, R. F. P.; CUNHA, L. V. F. C. Métodos e técnicas na pesquisa etnobiológica e etnoecológica. Recife: NUPEEA, 2010.

AMOROZO, M. C. M. A perspectiva etnobotânica e a conservação de biodiversidade. In: XIV CONGRESSO DA SOCIEDADE BOTÂNICA DE SÃO PAULO, 2002, Rio Claro. Palestra. Rio Claro: UNESP, 2002.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável do Agreste de Alagoas. Brasília, DF: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2011.

BOTELHO, P. F. O segredo das folhas e os rituais de cura na tradição Afro-brasileira. In: VI ENECULT, 2010, Bahia. Anais... Salvador: Facom UFBA, 2010.

CARVALHO, J. S. B. de. et al. Uso popular das plantas medicinais na comunidade da

várzea, garanhuns-pe. Revista de Biologia e Ciências da Terra,v. 13, n. 2, 2. sem. 2013.

COSTA, V.P; MAYWORM, M.A.S. Plantas medicinais utilizadas pela comunidade do bairro dos Tenentes - município de Extrema, MG, Brasil. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. v.13, n.3, 2011.

FERREIRA, S. P.; SOUZA, K. M. P. A morada sagrada. A jurema no espaço religioso afro-brasileiro na cidade de Alhandra, PB. In: VIII CONHECIMENTO EM DEBATE, 2008, Paraíba. Anais... Paraíba: UFPB, 2008.

GOMES, H. H. S.; DANTAS, I. C.; CATÃO, M. H. C. de. Plantas medicinais: sua utilização nos terreiros de Umbanda e Candomblé na zona leste de cidade de Campina Grande-PB. Revista de Biologia e Farmácia,v. 3, n. 1, p. 110-129, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE cidades [on line]. Disponível em: <http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=27&search

=alagoas> . Acesso em: 20 fev. 2014.

LACERDA, J. R. C. et al. Conhecimento popular sobre plantas medicinais e sua aplicabilidade em três segmentos da sociedade no município de Pombal, PB. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 9, n. 1, p. 14- 23, jan./mar. 2013.

LÉO NETO, N. A. L.; ALVES, R. R. da N. A natureza sagrada do candomblé: análise da construção mística acerca da natureza em terreiros de candomblé no nordeste de Brasil. Interciencia, v. 35, n. 8, p. 568-574, ago. 2010.

LORENZI, H. Plantas daninhas: terrestres, aquáticas, parasitas e tóxicas. 4. ed. São Paulo: Instituto Plantarum, 2008a.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. 2 ed. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2008b.

MARTINS, W. M. de O.; PAIVA, F. S.; BANTEL, C. A. Etnoconhecimento de plantas de uso medicinal na microregião do vale do Juruá, Acre, Brasil Enciclopédia Biosfera, v.9, n.16, p. 2540-2547, 2013.

MANDARINO, A. C. de S. et al. Mercado: uma imersão no universo sacro afro-brasileiro.

Revista eletrônica de com. Inf. Inov. Saúde, v. 5, n.4, p.64-69, dez. 2011. Disponível em:

Acesso em: 15 nov. 2013.

MONTELES, R.; PINHEIRO, C. U. B. Plantas medicinais em um quilombo maranhense: uma perspectiva etnobotânica. Revista de biologia e ciências da terra, v. 7, n. 2, p. 38-47, 2007.

MOREIRA, P. F. S. D. et al. A bioquímica do candomblé: possibilidades didáticas de aplicação da Lei Federal 10639/03. Química nova na escola,v. 33, n. 2, p. 85-92, maio. 2011.

OLIVEIRA, F. C. de et al. Avanços nas pesquisas etnobotânicas no Brasil. Acta Botânica Brasílica, v. 23, n.2, p. 590-605, 2009.

OLIVEIRA, G. L. de; OLIVEIRA, A. F. M. de; ANDRADE, L. de H. C. Plantas medicinais utilizadas na comunidade urbana de Muribeca, Nordeste do Brasil. Acta Botânica Brasílica, v. 24, n. 2 p. 571-577, 2010.

PANTOJA, S. C. de S.; SUL, N. A. dos S.; MIGUEL, N. do N. Levantamento etnobotânico de Petiveria alliacea l. (Phytolaccaceae) comercializadas no mercadão de Madureira – RJ.Revista Eletrônica Novo Enfoque, v. 17, n. 17, p. 184 –190, 2013.

PRANDI, R. O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso. Estudos avançados, v. 18, n. 52, p. 223-238, 2004.

SIVIERO, A. et al. Plantas medicinais em quintais urbanos de Rio Branco, Acre. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu- SP, v.14, n.4, p.598, 2012.

SOUZA, R. S. et al. Plantas utilizadas em fitomagia na cidade de limoeiro. Revista de Biologia e Farmácia,v. 7, n. 2, p. 92-101, 2012.

STRACHULSKI, J.; FLORIANI, N. Conhecimento popular sobre plantas: um estudo etnobotânico na comunidade rural de linha criciumal, em Cândido de Abreu- PR. Revista Geografar, v.8, n.1, p.125-153, jun. 2013.

Publicado
2020-06-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 994
  • PDF downloads: 3568
Como Citar
Sátiro, L. N., Higino Vieira, J., & Ferreira da Rocha, D. (2020). USO MÍSTICO, MÁGICO E MEDICINAL DE PLANTAS NOS RITUAIS RELIGIOSOS DE CANDOMBLÉ NO AGRESTE ALAGOANO. Revista Ouricuri, 9(2), 045-061. https://doi.org/10.29327/ouricuri.9.2-5
Seção
Artigos de Revista