Identidade mobilizadora, liderança e educação: fatores que inter-relacionam

  • Elília Camargo Rodrigues Universidade do Estado da Bahia, Campus VIII, Paulo Afonso, Bahia.
Palavras-chave: Identidade, Liderança, Educação, Associativismo

Resumo

Discute o processo de construção da identificação coletiva dos sujeitos na sociedade capitalista e a formação representativa de lideranças, que possuem caráter educativo, operam com aprendizagens significativas contra-hegemônicas em circunstâncias institucionais legítimas. A individualidade é preconizada nas ações sociais, entretanto, surgem realidades de expressões da coletividade fomentadoras de subjetividades coletivas, com formatações associativistas. Resultado de pesquisa no campo da Etnometodologia e do Interacionismo Simbólico sobre lideranças e associativismo, busca (re) construir conceitos de gestão, participação e recoloca-los em lugar específico, resultados de lutas e conquistas sociais, categorizando a autogestão como processo político de atuação dos sujeitos na perspectiva dos movimentos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elília Camargo Rodrigues, Universidade do Estado da Bahia, Campus VIII, Paulo Afonso, Bahia.
Mestre em Educação e Contemporaneidade com Especialização em Educação Básica de Jovens e Adultos na Universidade do Estado da Bahia. Possui Graduação em Licenciatura em Ciencias Sociais pela Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Educação e atualmente exerce a docência como Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia - UNEB. A perspectiva de pesquisa possibilita trabalhar com os seguintes temas: Memória, Identidade; Movimentos Sociais; Educação Comunitária; Liderança; Território; Associativismo.

Referências

ADORNO, T. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

ARRUDA, A. (Org.). Representado a alteridade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1988.

ASTI VERA, A. Metodologia da pesquisa científica. 5. ed. Porto Alegre: Globo, 1979.

BAUDRILLARD, J. A sociedade de consumo. Tradução Artur Morão. Rio de Janeiro: Elfos, 1995.

______. A sombra das maiorias silenciosas: o fim do social e o surgimento das massas. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BAUMAN, Z. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1998.

_____. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2005.

BAURRICAUD, François. Dicionário crítico de sociologia. São Paulo: Ática, 1993.

BERGER, P. L.; LUCKAMN, T. A construção social da realidade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1985.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Tradução Fernando Tomaz. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BRINGEL, Breno; FALERO, Alfredo. Redes transnacionais de movimentos sociais na América Latina e o desafio de uma nova construção socioterritorial. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 53, p. 269-288, maio/ago. 2008. Disponível em:<http://www.scielo.br>.Acesso em: 1 abr. 2009.

CALDAS, A. dos S.; NUNES, E. J. F.; SANTOS, W. Odu, Eghé Dudu: caminhos da Mata Escura. Salvador: UNIFACS, 2007.

CARDOSO, R. Aventuras de antropólogos em campo ou como escapar das armadilhas do método. In: ______ (Org.). A aventura antropológica: teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

CASTELLS, M. O poder da identidade. Tradução de Klauss Brandini Gerhardt. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Org.). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: EDUERJ, 1999.

COSTA, R. Haesbaert da. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” a multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

COULON, A. Etnometodologia e educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

COULON, A. La etnometodologia. Madrid: Catedra, 1988.

DEBET, G. Problemas relativos à utilização da história de vida e história oral. In: CARDOSO, R. C. L. (Org.). A aventura antropológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

DELGADO, Lucília A. N. História oral, memória, tempo e identidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

ESPIÑEIRA GONZALEZ, Maria Victoria. O partido, a igreja e o estado nas associações de bairros. Salvador: EDUFBA; Assembléia Legislativa do Estado da Bahia, 1997.

FEATHERSTONE, M. O desmanche da cultura: globalização, pós-modernismo e identidade. São Paulo: Studio Nobel, 1997.

FERNANDES, Rosali B. Processos recentes de urbanização em Salvador: o miolo, região popular e estratégia da cidades. Biblio 3W: Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, Universidad de Barcelona, v. 9, n. 523, jul. 2004. Disponível em: <http://www.ub.es/geocrit/b3w-523.htm>. Acesso em: 27 nov. 2006.

FERREIRA, N. S. C. (Org.). Gestão democrática da educação: atuais tendências, novos desafios. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FONSECA, C. Quando cada caso não é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 10, p. 58-78, 1999.

FOUCAULT, M. Microfisica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GARCIA, A. S. Mulheres da cidade d’ oxum: relações de gênero, raça e classe e organização espacial do movimento de bairro em Salvador. Salvador: EDUFBA, 2006.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

GIDDENS, A. As conseqüências da modernidade. São Paulo: UNESP, 1991.

GOFFMAN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis, RJ: Vozes, 1983.

GOHN, M. da G. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos. São Paulo: Loyola, 1998.

______. Movimentos sociais e educação. 3. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

HAGUETTE, M.T. Metodologias qualitativas na sociologia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

HALBWACHS, M. A memória coletiva. Tradução de Laurent Léon Schaffter. São Paulo: Vértice, 1990.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 1999.

HOBSBAWM, E. A era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

KOWARICK, L. Escritos urbanos. São Paulo: Ed. 34, 2000.

LAPASSADE, G. As microssociologias. Tradução de Lucie Didio. Brasília, DF: Líber Livro, 2005.

______. Grupos organizações e instituições. Rio de Janeiro: Francisco. Alves, 1983.

LEVY-STRAUSS, C. Antropologia estrutural. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1985.

MAFFESOLI, M. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Tradução Maria de Lourdes Menezes. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

MALINOWSKI, Bronislaw. Argonautas do pacífico ocidental: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné Melanésia. 2. ed. São Paulo: Abril, 1978.

MATTA, R. da. Relativizando: uma introdução á antropologia social. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1983.

MINAYO, M.C. O desafio do conhecimento. 2. ed. Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 1993.

OLIVEIRA, D. A. (Org.). Gestão democrática da educação: desafios contemporâneos. Petrópolis: Vozes, 1997.

POLLAK, M. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-27, 1989.

PUTNAM, Robert D. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. 5. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

REIS, E. Desigualdade e solidariedade: uma releitura do familismo de Banfield. Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano X, n. 29, p. 35-48, out. 1995a.

______. Governabilidade e solidariedade. In: VALLADARES, Lícia do Prado; COELHO, Magda Prates (Org.). Governabilidade e pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995b.

______. Percepções da elite sobre a pobreza e desigualdade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 15, n. 42, p. 145-152, fev. 2000.

SACCONI, L. A. Minidicionário Sacconi da língua portuguesa. São Paulo: Escala Educacional, 2007.

SANT‟ANNA, I. R. A agenda 21 em estrada das barreiras: uma estratégia de desenvolvimento local e participação social em Salvador. 2007. Monografia (Graduação em Urbanismo) – Universidade do Estado da Bahia, 2007.

SANTOS, B. S. Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. Rio Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

______. Pela mão de Alice: o social e o político na pós – modernidade. São Paulo: Cortez, 1995.

______. Reinventar a democracia: entre o pré-contratualismo e o pós contratualismo. In: OLIVEIRA, F. de; PAOLI, M. C. (Org.). Os sentidos da democracia: políticas do dissenso e hegemonia global. Petrópolis, SP: Vozes; FAPESP,1999. p. 83-129.

SOUZA, E. C. de; SOUSA, C. P. de; CATANI, D. B. A pesquisa (auto)biográfica e a invenção de si no Brasil. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 29, p. 31-42, jan. 2008.

TEIXEIRA, E. C. O local e o global: limites e desafios da participação cidadã. São Paulo: Cortez, 2001.

VELHO, G. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1981.

WEBER, M. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Brasília, DF: Ed. da UNB, c1999.

______. Ensaios de sociologia. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1982.

______. Metodologia das ciências sociais. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

ZALUAR, A. Exclusão e políticas públicas: dilemas teóricos e alternativas políticas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 12, n. 35, out. 1997.

Publicado
2013-07-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 272
  • PDF downloads: 195