INFLUÊNCIA DA REMUNERAÇÃO AO SÍNDICO NA COMPOSIÇÃO DE CUSTOS DA TAXA DE CONDOMÍNIO

Palavras-chave: Remuneração, Síndico, Taxa de condomínio, Composição de Custos

Resumo

Este estudo objetivou descrever a relação entre a Remuneração do Síndico e a Composição de Custos da Taxa de Condomínio. Como base teórica foram utilizados estudos sobre os determinantes de custos e a Teoria da Agência. A metodologia utilizada foi a de uma pesquisa descritiva com modelo de regressão linear múltipla para analisar e testar a hipótese de relação. Como resultado, o pagamento do síndico apresentou alinhamento com os interesses dos condôminos. O pagamento do síndico mostrou-se inversamente proporcional à taxa de condomínio, sugerindo que quanto maior o recurso no pagamento do síndico menor o valor da taxa, ou seja, variações na remuneração do síndico estão relacionadas às variações inversas e mais que proporcionais nos outros componentes de custo e, consequentemente, à variação também inversa na taxa de condomínio.  Nesse sentido, maior custo no pagamento do síndico aumenta a eficiência na aplicação dos recursos, reduzindo o valor da taxa de condomínio e comprovando o alinhamento de interesses entre principal (moradores) e agente (síndico) em prol da eficiência gerencial de Custos. A contribuição deste estudo é de que o valor despendido ao síndico está relacionado ao valor da taxa, indicando a existência de alinhamento na gestão de custos do condomínio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFONSO, G. A. O.; DA SILVA, H. D. Síndico Profissional: Uma Nova Tendência do Mercado. QUALIA: a ciência em movimento, v. 1, n. 1, p. 40-63, 2015.

ALFREDO, Bruno Jorge Da Silva; DE SOUZA VASCONCELOS, Ana Lucia Fontes.

Contabilidade condominial: percepção dos condôminos quanto ao conhecimento técnico da prestação de conta à luz da legislação vigente. Práticas em Contabilidade e Gestão, v. 5, n.1. 2017 1,

BAENINGER, R. População e Cidades. Campinas: Núcleo de Estudos de, 2010.

BAKER, G. P.; JENSEN, M. C.; MURPHY, K. J. Compensation and incentives: Practice vs. theory. The journal of Finance, v. 43, n. 3, p. 593-616, 1988.

BEUREN, I. M; SCHLINDWEIN, N. F. Uso do Custeio por Absorção e do Sistema RKW para gerar informações gerenciais: Um estudo de caso em hospital. ABCustos, v. 3, n. 2, 2008.

BRASIL. Lei n° 4.591: promulgada em 16 de dezembro de 1964. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L4591.htm. Acesso em: 24 out. 2019

BRASIL. Código Civil. Lei nº 10.406: promulgada em 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406compilada.htm. Acesso em: 24 out. 2019

BRASIL, Lei n° 3.000: promulgada em 26 de março de 1999, (RIR/99, art.155), que regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3000.htm. Acesso em: 24 out. 2019

BRITO, F; HORTA, C. J. G; AMARAL, E. FL. A urbanização recente no Brasil e as aglomerações metropolitanas. 2018.

CAMPOS, C. R. de; TEODORO, V. da S. Contabilidade condominial: uma ferramenta para tomada de decisões. Trabalho de Conclusão de Curso. UFF. 2016.

CARVALHO, A. J. F. O condomínio na prática. Editora Liber Juris, 1999.

CHENEVERT, D.; TREMBLAY, M. Fits in strategic human resource management and methodological challenge: Empirical evidence of influence of empowerment and compensation practices on human resource performance in Canadian firms. The International Journal of Human Resource Management, v. 20, n. 4, p. 738-770, 2009.

CUNHA, A. S. da et al. Administração de condomínios: estudo em um condomínio catarinense. 2010.

DUTRA, J. S.; HIPÓLITO, J. A. M. Remuneração e recompensas. São Paulo: Atlas, 2012.

ESPÍNDOLA, M. N; DE MELO, J. A. M. Benefícios da gestão financeira-um estudo de caso em um condomínio residencial do Distrito Federal. NEGÓCIOS EM PROJEÇÃO, v. 10, n. 1, p. 1-13, 2019.

FARBER, J.C.; SEGRETI, J. B. Contribuição da contabilidade para a eficácia da gestão e controle de condomínios. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E FINANÇAS EM CONTABILIDADE, 2004, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2004.

FÁVERO, L. P. L. et al. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. 2009.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P. Métodos Quantitativos com Stata: Procedimentos, Rotinase Análise de Resultados. Elsevier Brasil, 2014.

FELICIANO, P. P. dos S.; LEAL, E. A. A utilização da informação contábil gerencial na gestão de condomínios: um estudo com os síndicos. ConTexto, v. 12, n. 22, p. 119-129, 2012.

FERREIRA, A. B. de H. Aurélio século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 2007.

FERREIRA, R. J. Contabilidade básica. Editora Ferreira. Ed, v. 10, 2007.

FRANCO, J. N. Condomínio: administração, órgãos administrativos, assembléia geral, si̋ndico, conselho fiscal, responsabilidades. Editora Revista dos Tribunais, 2005.

GHENO, R.; BERLITZ, J. Remuneração estratégica e pacote de benefícios: um estudo de caso aplicado ao nível operacional de uma multinacional. Revista de Administração da UFSM, v. 4, n. 2, p. 268-287, 2011.

GIL, A. C. Como delinear uma pesquisa bibliográfica. Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, p. 59-86, 2006.

GONÇALVES, W. A. et al. A remuneração de profissionais de Tecnologia da Informação: um estudo sobre as práticas adotadas por empresas de informática do Distrito Federal. Revista de Administração da UFSM, v. 8, n. 1, p. 125-140, 2015.

GUJARATI, D.; PORTER, D. C. Econometria Básica. ed. Campus e Elsevier, Rio de Janeiro, 2006.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Bookman Editora, 2009.

HOLMSTROM, B.; MILGROM, P. Multitask principal-agent analyses: Incentive contracts, asset ownership, and job design. Journal of Law, Economics, & Organization, v. 7, p. 24-52, 1991.

IUDICIBUS, S.; MARION, J. C. Introdução à teoria da contabilidade para o nível de graduação. Atlas, 2006.

IUDÍCIBUS, S. Ensaio sobre algumas raízes profundas da contabilidade, em apoio aos princípios fundamentais. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 1, n. 1, p. 8-15, 2007.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

JENSEN, M. C.; MURPHY, K. J. Performance pay and top-management incentives. Journal of political economy, v. 98, n. 2, p. 225-264, 1990.

KRAUTER, E. Contribuições do sistema de remuneração dos executivos para o desempenho financeiro: um estudo com empresas industriais brasileiras. 2009. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing : Uma Orientação Aplicada. Bookman Editora, 2006.

MARTINS, G. de A. Manual para elaboração de monografias e dissertações. 1994.

MARTINS, E. et al. Contabilidade de custos. São Paulo: Atlas, 2003.

MEIRA, A. R. et al. Estudo histórico dos custos correntes gerados em um condomínio residencial da cidade de João Pessoa. Divulgação Científica e Tecnológica do IFPB, nº 37. 2017.

MEURER, P. et al. Informações de custos dos serviços prestados por uma empresa de administração de condomínios e fornecimento de mão-de-obra de limpeza, portaria, jardinagem e zeladoria. 2009.

MURPHY, K. J. “Executive Compensation: Where we are, and how we got there,” in George Constantinides, Milton Harris, and René Stulz (eds.). Handbook of the Economics of Finance. Elsevier Science North Holland, Chapter 4: 211-356, 2012.

MIOTTO, G. R. Análise da gestão estratégica de custos no setor de aviação comercial brasileiro. Dissertação de Mestrado, Universidade do Rio dos Sinos, São Paulo, Brasil. 2007.

NETO, J. M. C. Curso de Gestão Contábil de condomínios, Fortaleza, Brasil. 2008.

OLIVEIRA, S. N. et al. ANÁLISE DE ADESÃO A PROPOSTA DA COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIOS. GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS, p. 34.

PINHO SOARES, L. R. O SÍNDICO E O INSS: UMA OBRIGAÇÃO QUE POUCOS LEMBRAM. Direito UNIFACS–Debate Virtual, n. 161, 2013.

PORTER, M. E. Competitive Advantage, New York Free Press. Porter Competitive Advantage 1985, 1985.

PRESSLEE, A.; VANCE, T. W.; WEBB, R. A.. The effects of reward type on employee goal setting, goal commitment, and performance. The Accounting Review, v. 88, n. 5, p. 1805-1831, 2013.

QUESADO, P. R.; RODRIGUES, L. L. A gestão estratégica de custos em grandes empresas portuguesas. Revista iberoamericana de contabilidad de gestión, v. 5, n. 10, p. 121-143, 2007.

SHANK, J. K.; GOVINDARAJAN, V. A revolução dos custos: como reinventar e redefinir sua estratégia de custos para vencer em mercados crescentemente competitivos. Elsevier, 1997.

SORNBERGER, G. P. et al. Contabilidade em Condomínios: Diagnóstico da Utilização das Informações Contábeis pelos Gestores de Condomínios na Cidade de Sorriso/MT. Contabilidade & Amazônia, v. 2, n. 1, p. 78-91, 2012.

SOUZA, A. C. de. Condomínio em edifícios: manual do condômino. São Paulo, v. 4, 2007.

DE SOUZA, T. E. F.; COSTA, E. F. C.; DE AGUIAR, M. F. P. Estimativa do valor da taxa de condomínio em prédios residenciais. Revista Tecnologia, v. 26, n. 2, 2005.

THIEL, G. R. et al. Determinantes de Custos: Análise Bibliométrica da Produção Científica em Periódicos Nacionais de Contabilidade, no período de 2000 a 2015. Revista Estudo & Debate, v. 24, n. 1, 2017.

WOOLDRIDGE, J. M. Introductory econometrics: A modern approach. Nelson Education, 2009.

Publicado
2021-12-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 826
  • ARTIGO downloads: 585
Seção
ARTIGOS